18/04/19

Um bilionário russo negocia a compra da equipe Williams

A imprensa russa publica que o bilionário Dmitry Mazepin, pai do piloto da Fórmula 2 Nikita Mazepin, negocia a compra da equipe Williams. A maior agência de notícias da Rússia, a Tass, relata que “o principal acionista da empresa Uralkali, Dmitry Mazepin, está negociando a compra da equipe da Fórmula, Williams.” A mesma notícia foi divulgada pela Ria Novisti, a agência estatal de notícias russa. Segundo as notícias, as primeiras conversas ocorreram em Xangai no último final de semana.
No ano passado, o empresário russo, presidente e acionista majoritário da grande empresa de fertilizantes russo, tentou adquirir a Force India, mas a equipe acabou comprada por Lawrence, pai bilionário de Lance Stroll. O interesse de negociação de Dmitry na Williams está relacionado ao seu filho, Nikita, que compete este ano pela primeira vez na Fórmula 2, com o ART Grand Prix. Aos 20 anos, ele é o atual vice-campeão GP3 e acrescenta vários dias de testes com a equipe Force India no passado, mas não tem os 40 pontos necessários no Super Licença para no grid da F1, nem mesmo com os 25 necessários participar de treinos das sextas-feiras.
Fontes da Itália confirmam que o empresário iniciou conversas com a equipe de F1 Williams sobre uma potencial aquisição e a filial italiana da Motorsport diz que Mazepin abordou a Williams há um mês e continuou conversando durante o GP da China.
Os dois carros da Williams estão no fundo do grid novamente, pois problemas básicos tornaram a equipe britânica pouco competitiva. A equipe admite que há algo “fundamentalmente” errado com o carro deste ano, deixando George Russell e Robert Kubica na luta pelo 19º lugar.
Paddy Lowe foi demitido e Claire Williams está sob pressão. Sir Patrick Head, ex-sócio de Frank Williams e considerado um gênio da engenharia na F1 no fim dos anos 80 e início dos 90, voltou como consultor no início desta temporada.
Os fracos resultados da equipe a atingiram financeiramente, principalmente depois de ter perdido o patrocinador principal, a Martini no final do ano passado, e o prêmio em dinheiro ter caído depois do 10º lugar do ano passado.
A edição italiana do Motorsport.com relata que o Mazepin poderia ser o salvador da equipe. De acordo com o relato, durante o fim de semana do GP da China, houve “primeiras confirmações vazadas sobre a negociação entre Williams e Dmitry Mazepin, pai de Nikita.
No entanto, o tópico em discussão não foi (pelo menos em forma direta) sobre a carreira do piloto russo de vinte anos, mas sobre a possibilidade de Mazepin poder adquirir o controle da equipe do Grove.
A Motorsport.com acrescentou que depois de doze meses de resposta com um ‘não, obrigado’ à proposta de compra feita por Stroll, desta vez a Williams pode ser forçada a aceitar o negócio.