11/02/19

Toro Rosso e Williams apresentam seus carros para 2019

A Toro Rosso e a Williams apresentaram hoje, pela internet, os seus carros para temporada de 2019 da Fórmula 1.
A Williams apresentou na fábrica da equipe, na cidade inglesa de Grove, apenas da estrutura de cores e pintura do FW42 e anunciou o novo seu patrocinador principal, a ROKiT, fábrica chinesa de smartphones. Com os novos parceiros, a pintura do carro muda radicalmente e terá um fundo branco, com degrade em azul celeste, bem diferente da anterior, ligada à Martini, antiga patrocinadora.
Esse é o segundo carro da Williams projetado sob direção de Paddy Lowe e, além da pintura, tem grandes modificações em relação ao do ano passado. Dave Redding, diretor-esportivo contratado em meados do ano passado, participa do projeto da equipe pela primeira vez. O carro incorpora as modificações impostas pelo novo regulamento, com asa dianteira mais simples e a asa traseira mais alta, defletores laterais menores e dutos de refrigeração de freios reduzidos e sofreu alterações internas significativas.
Em 2019, a Williams terá uma dupla de pilotos totalmente nova. Robert Kubica, que disputou sua última corrida em 2010 e ficou esse tempo todo afastado por causa das lesões sofridas num acidente de rali, está de volta à F1 e vai dividir a equipe com o inglês George Russell, campeão da Fórmula 2 no ano passado.
Depois de uma retomada entre 2014 e 2017, onde ficou sempre entre a terceira e quinta colocações do Mundial de Construtores, a Williams despencou em 2018, terminando em 10º e último lugar, com apenas sete pontos em todo o campeonato.
A Toro Rosso mostrou o STR14 através de imagens em 3 D e um vídeo divulgados pelo Youtube. O novo modelo tem pintura em azul, prata e vermelho, introduzida pela primeira vez em 2017, e as mudanças mais visíveis em relação ao ano passado são as exigidas pelos novos regulamentos técnicos de 2019, incluindo uma asa dianteira mais larga e simplificada, placas de barcaça menores e uma asa traseira maior e mais larga.
As entradas do sidepod também foram revisadas a partir do STR13 do ano passado e agora seguem a tendência de design liderada pela Ferrari nos últimos anos. À primeira vista se pode ver um nariz arredondado e muito mais fino, que incorpora alguns pilares com guelras, estilo McLaren e Ferrari. A zona intermediária é a que apresenta os mais novos recursos, com novos roteadores de fluxo, claramente inspirados na Ferrari, que substituem os defletores verticais do ano passado. A partir dessa área, os pontões são minimizados para quase desaparecer, muito parecido com o Red Bull RB14 do ano passado. A tampa do motor também foi reduzida.
A Toro Rosso terá um relacionamento mais próximo com a Red Bull neste ano usando peças do carro de 2018 da equipe sênior e as duas vão compartilhar uma traseira inteira – que inclui a unidade de potência Honda, mais a caixa de câmbio, a suspensão traseira e os componentes eletrônicos e hidráulicos – bem como algumas partes da suspensão dianteira.
Sobre o futuro da equipe, Franz Tost, diretor Toro Rosso, declarou:
“O objetivo é sempre melhorar para competir no nível mais alto possível, e neste inverno temos trabalhado intensamente para trazer algumas mudanças organizacionais que esperamos que ajudem a suavizar alguns problemas que tivemos no ano passado. Analisamos todos os procedimentos internos para otimizar nossos pontos fortes e minimizar nossas fraquezas. Em comparação com outras equipes, a Toro Rosso conta com um número menor de pessoas, mas a sinergia com a Red Bull Technology para as peças não listadas, agora que a Red Bull também será equipada com o motor Honda, vai dar mais tempo para nossos técnicos se concentrarem mais nos detalhes. A atenção aos detalhes faz a diferença e isso se traduz em mais desempenho.”
Tost explicou que os componentes relacionados ao motor Honda serão da mesma especificação que os da Red Bull e “a maioria das peças restantes” será da especificação do ano passado, porque a Toro Rosso não seria capaz de igualar o rápido desenvolvimento de 2019 da Red Bull.