01/02/19

A Sauber muda de nome e passa a ser Alfa Romeo Racing

A partir desta temporada, a Sauber vai mudar de nome e passará a se chamar Alfa Romeo Racing. A mudança é o resultado da associação da equipe suíça com a fábrica italiana de automóveis, que já participou dos primeiros anos das Fórmula 1.
Por enquanto, a mudança será só do nome e a fábrica da Sauber continuará na Suíça e a equipe, manterá sua ligação coma Ferrari. Como no ano anterior, os engenheiros de Maranello fornecem motores, transmissões e o eixo traseiro ao Hinwil e fornecem ajuda ao desenvolvimento em várias áreas.
A única contribuição significativa da Alfa Romeo vem do departamento de marketing. Ela garante que seus logotipos sejam bem integrados ao esquema de cores associada. É claro que o patrocinador também contribui com uma boa soma para, que no final beneficia o desenvolvimento do carro.
Frederic Vasseur, diretor da equipe, disse:
“É um prazer anunciar que participaremos do Campeonato Mundial da Fórmula 1 de 2019 como nome de equipe Alfa Romeo Racing. Depois de iniciar a colaboração com nosso patrocinador principal, a Alfa Romeo, em 2018, nossa equipe fez um progresso fantástico no lado técnico, comercial e esportivo. Isso aumentou a motivação de cada membro da equipe, seja na pista ou em nossa sede na Suíça, porque o trabalho árduo se refletiu em nossos resultados. Nosso objetivo é continuar desenvolvendo todos os setores da nossa equipe, permitindo que nossa paixão por corridas, tecnologia e design nos impulsione.”
A Sauber está presente na F1 desde 1993, quando o chefe da equipe, Peter Sauber, trocou as corridas de carros esportivos. A Alfa Romeo dominou os primeiros anos da F1, com Giuseppe Farina conquistando o título mundial inaugural em 1950, antes de Juan Manuel Fangio conquistar o primeiro de seus cinco títulos para a equipe, um ano depois.
Andrew Benson. Redator chefe de F1 da BBC diz o seguinte sobre a nova associação:
“A renomeação da equipe Sauber como Alfa Romeo pode, por um lado, ser um exercício para fins de marketing, mas também é um momento seminal na história da Fórmula 1.
Ela marca a primeira vez que uma equipe de F1 receberá apenas o nome do icônico fabricante italiano desde 1985 – e a primeira vez que o nome Sauber não estará no grid desde 1993.
Ambas as entidades conquistaram um lugar único na história do automobilismo. A Alfa Romeo foi uma força importante nas corridas entre as guerras, gerou a Ferrari e venceu o primeiro campeonato mundial de F1 em 1950, mesmo que sua história no esporte tenha sido menos ilustre depois que eles desapareceram em meados da década de 1950.
A Sauber, por sua vez, entrou pela primeira vez na F1 como uma procuração da Mercedes, com a qual eles já haviam tido um período de sucesso em corridas de resistência.
Depois que a Mercedes se juntou à McLaren em 1995, a Sauber seguiu em frente, antes de unir forças com a BMW de 2006-9, e depois se tornar independente novamente. Eles tinham acabado de passar por um período financeiro difícil antes de voltarem ao grid em 2018, depois que o Grupo Fiat fez investimentos na equipe após a decisão de os carros levarem o nome de sua marca Alfa Romeo.
Essas ligações acabaram de se tornar ainda mais fortes, e eles sugerem que a agora renomeada equipe Alfa Romeo poderia continuar o progresso ascendente visto no ano passado mais obviamente nas atuações de Charles Leclerc, que agora está na Ferrari.
Politicamente, também é um passo importante. Isso reforça ainda mais o status da equipe como uma equipe da Ferrari B – já evidenciada pela promoção de Leclerc e pela presença do italiano Antonio Giovinazzi no carro este ano, ao lado do ex-veterano da Ferrari, Kimi Raikkonen.
Além do forte relacionamento da Ferrari com a Haas, isso aumenta a força da companhia, já que as negociações sobre o futuro do esporte depois de 2020 entram em uma fase crítica este ano”.

 

.