22/04/19

Prost promete que Renault terá um dos melhores motores

O consultor especial da Renault e lenda da F1, Alain Prost, promete que a fábrica francesa terá, em algum momento, uma das melhores unidades de potência da Fórmula 1.
O departamento de motores da Renault, em Viry Châtillon, sofreu um começo difícil na temporada de 2019 com uma série de falhas da MGU-K sofridas pela equipe da fabricante e por sua cliente, a McLaren.
Carlos Sainz abandonou em Melbourne pela quebra do motor, enquanto Nico Hulkenberg e Daniel Ricciardo foram atingidos simultaneamente com problemas nos estágios finais do Grande Prêmio do Bahrein.
Todos os motores Renault foram equipados com um MGU-K atualizado na China, mas Hulkenberg foi mais uma vez surpreendido por uma falha de software e não no hardware da unidade.
De acordo com Prost, os problemas de confiabilidade são o preço a pagar pelo passo significativo que a unidade Renault alcançou nesta temporada em termos de desempenho.
“Sabemos que estamos bem perto do limite agora. Problemas de confiabilidade às vezes são inevitáveis, isso faz parte do jogo e temos que aceitar isso. Seremos novamente um dos melhores motores da Fórmula 1. Ninguém fala sobre isso, mas nós temos os dados, vamos fazer isso passo a passo e nós vamos fazer isso”, disse Prost à Sky Sports.
O ex-piloto insistiu em que havia notado as frustrações sentidas por Daniel Ricciardo no início desta temporada, embora a sorte do australiano tenha melhorado significativamente na China, onde conseguiu seus primeiros pontos do ano.
“É inevitável que tais coisas apareçam – eu disse a ele. A filosofia da Red Bull é muito especial, e é difícil estar em um novo time”, explicou Prost.
Daniel Ricciardo acredita que um ponto-chave de melhoria da Renault é a estabilidade em frenagem para se adequar ao seu estilo. O piloto australiano admitiu estar decepcionado com a performance inicial e transição que fez na Renault depois de terminar as duas primeiras corridas sem pontuar, mas encontrou avanços no Grande Prêmio da China com sétimo lugar depois de manter conversas importantes com seu time de engenheiros durante a corrida.
Ricciardo diz que enquanto o desenvolvimento geral é vital para a Renault, ele sente que melhorar a frenagem é uma alta prioridade, uma grande força durante os dias da Red Bull, que ele não conseguiu ultrapassar em 2019.
“O mais difícil é que há tanto que eu poderia aprender e trazer da Red Bull, mas preciso esquecer muito disso, porque é um carro diferente e precisa ser domado um pouco diferente. Nos testes e em Melbourne eu estava dirigindo demais, mas essa foi a minha abordagem no Red Bull, carregando na velocidade de entrada e o carro tem uma boa traseira. Mas aqui há uma abordagem diferente por enquanto. Eu não acho que meu estilo vá, necessariamente, mudar. Eu ainda quero ser aquele piloto agressivo nos freios e tudo mais. Mas isso virá com um pouco de confiança. Eu provavelmente ainda não tive esse nível de confiança na frenagem como no ano passado, mas isso virá. Eu sei que vou trancar uma roda aqui e ali, como talvez não tenha feito no ano passado. Estou tentando descobrir onde está o limite, talvez tenha que me adaptar um pouco à maneira como me aproximo, mas ainda vou tentar ir em frente. Eu ainda quero que meus concorrentes me temam”, explica Ricciardo.