21/02/19

Novato Albon faz melhor tempo dos treinos em Barcelona

O nova Alexander Albon, da Toro Rosso foi o mais rápido da manhã e dos quatro dias de treinos da pré-temporada, esta manhã, no circuito de Barcelona. Em uma simulação com o STR14, e o composto C5 da Pirelli, o mais duro de todos, ele fez 1m17s637, superando o tempo de Daniil Kvyat de 1m17s762. Minutos antes, Daniel Ricciardo, com os mesmos compostos, com o Renault RS19, tinha marcado 1m17s785.

A Mercedes, finalmente, mostrou um pouco de ritmo após ficar na lanterna dos treinos desta semana, colocando o britânico Lewis Hamilton em terceiro lugar. Foi a primeira volta abaixo de 1min18s do time nesta semana, que fez o atual campeão mundial se colocar à frente da Ferrari do monegasco Charles Leclerc, quarto colocado.
Leclerc foi quem mais deu voltas nesta quinta, com 75 ao todo, com Romain Grosjean, da Haas, atrás com 64 e Hamilton com 58.
O italiano Antonio Giovinazzi, fechou o top 5 com a Alfa Romeo, um dia depois de seu companheiro Kimi Raikkonen liderar a manhã e ficar em segundo ao final da quarta-feira.
Depois de rodar no início do treino e provocar uma bandeira vermelha, Lando Norris foi o oitavo, logo à frente de Lance Stroll, da Racing Point, que também causou uma bandeira vermelha nesta primeira parte do treino.
Retornando ao posto de piloto oficial em um teste de pré-temporada, Robert Kubica levou à pista o novo FW42 da Williams, que treinou pela primeira vez apenas na última quarta. O polonês foi o último, com o tempo de 1min21s542 na mais veloz de suas 48 voltas. A sessão marcou seu retorno ao teste de pré-temporada da F1 como piloto oficial de uma escuderia desde 2011.
O treino começou 9h00 CET (5 horas no Brasil), e apenas 5 minutos depois os comissário acenaram a bandeira vermelha. O causador foi Lando Norris, que perdeu o controle de sua McLaren MCL34 na curva 5. Ele evitou o muro, mas foi parar na brita e precisou da ajuda de um guindaste. Foi a primeira e única interrupção.
Com a retomada da sessão, os pilotos voltaram ao trabalho. Um dos mais ocupados foi Robert Kubica. O polonês rodou carregando sensores durante as duas primeiras horas de teste, a fim de contribuir para a preparação de um carro cuja montagem terminou menos de 48 horas antes.
Lewis Hamilton começou com pneus C2, com o qual fez uma 1m18s800 para ficar 325 milissegundos fora o melhor registo da Ferrari com esse composto. Em seguida, mudou para C3, com a qual caiu para 1m18s518 -472 milésimos mais lentos que a Ferrari. Finalmente, ele usou o C4 para terminar com um 1m17s977. Valtteri Bottas irá substituí-lo na parte da tarde.
Charles Leclerc assumiu o volante do Ferrari SF90, depois Sebastian Vettel, ontem. Ele manteve o progresso dos últimos dias e estabeleceu as melhores marcas da Scuderia, com 1m18s475, com o C2 em 11 voltas e 1m18s046, com o C3, em um stint de 14 voltas.
A McLaren proporcionou uma manhã de poucos quilômetros para o jovem Lando Norris. O britânico completou 44 voltas com um melhor tempo de 1m19s543, com cursos de curta duração e ausências prolongadas. Em uma rodada na curva 5, ele causou uma bandeira vermelha, porque, embora estivesse lento, a baixa temperatura da pista o fez rodar ao acelerar.

A classificação da manhã ficou assim:

1 – Albon – Toro Rosso – 1m17s637 (C5) – 44 voltas
2 – Ricciardo – Renault – 1m17s785 (C5) – 34
3 – Hamilton – Mercedes – 1m17s977 (C4) – 58
4 – Leclerc – Ferrari – 1m10s046 (C3) – 75
5 – Giovinazzi – Alfa Romeo – 1m18s511(C3) – 56
6 – Grosjean – Haas – 1m18s563 (C5) – 64
7 = Gasly – Red Bull – 1m19s495 (C3) – 52
8 – Norris – McLaren – 1m19s543 (C3_ – 41
9 – Stroll – Racing Point – 1m20s026 (C3) – 41
10 – Kubica – Williams – 1m21s542 (C3) – 48