01/03/19

No último treino, Hamilton fica 3 milésimos atrás de Vettel

Hoje à tarde, na última sessão de treinos da pré-temporada, em Barcelona, Lewis Hamilton fez o tempo de 1m16s224 e ficou a apenas 3 milésimos de Sebastian Vettel, que de manhã fez 1m16s221, mas não completou a etapa final por problemas no carro. Na sua 40ª volta de numa simulação de corrida, na curva 2, o SF90 teve uma falha elétrica e o alemão não pode continuar na pista.
Lewis Hamilton começou seu treino com uma série de cerca de 10 voltas longas, seguidas de passagens mais curtas. Depois, ele foi ao ataque. Primeiro usou duas vezes o C4 para conseguir 1m17s106 e 1m16s628. Na primeira tentativa com o C5, baixou o tempo para 1m16s224 e ficou a três milésimos de Vettel. Ele tentou uma segunda vez, mas ficou em 1m16s367.
O inglês baseou sua marca em um grande desempenho no terceiro setor de Montemeló, onde foi dois décimos mais rápido e estabeleceu o recorde absoluto da área. O SF90 foi o mais rápido nos dois primeiros. Com o seu tempo, Hamilton derrubou para o terceiro lugar o companheiro Valtteri Bottas, que tinha sido o segundo pela manhã.
Com os 1m16s221, Sebastian Vettel manteve-se com o tempo mais rápido de toda a pré-temporada. À tarde, Vettel queria enfrentar uma distância de corrida, teve que abandonar na volta 40, devido ao colapso elétrico. Antes, ele completou com sucesso as duas primeiras rodadas. Na primeira fez média de 1m23s401, mais rápido que o tempo de 1m23s463 de Charles Leclerc. No segundo momento, Sebastian ficou um pouco atrás: 1m22s218 contra 1m22s191.
Assumindo a Renault, à tarde, Nico Hulkenberg terminou a pré-temporada com o quarto lugar no final desta sessão depois de superar Daniil Kvyat na última hora da sessão. O russo da Toro Rosso ficou com o quinto melhor tempo.
A McLaren, que chegou a ser líder no início desta manhã com Carlos Sainz, finalizou o treino com o sexto lugar, à frente da Haas de Romain Grosjean e de Daniel Ricciardo, que durante a manhã foi o sexto colocado.
Após consertar o RB15, devido ao violento acidente de Pierre Gasly, na quinta, na curva 9, a Red Bull foi para a pista com Max Verstappen, que deu apenas 29 voltas, com o pneu C3, e ficou com o 11º tempo. O time foi apenas mais veloz que Racing Point, com Sergio Perez, e a Williams, com Robert Kubica.
De manhã, Vettel bate Bottas e estabelece novo recorde

Sebastian Vettel superou Valtteri Bottas em diferentes simulações de qualificação e foi o piloto mais rápido na manhã do oitavo e último dia da pré-temporada, no circuito de Montemeló, em Barcelona. Valtteri Bottas obteve a marca de 1min16s561 com pneu C5 pela primeira vez em todo o teste, mas, momentos depois, Sebastian Vettel, com o mesmo composto da Pirelli, marcou 1min16s333 e depois 1min16s221, a volta mais rápida de todos os dias de testes.
As condições meteorológicas desta sexta feira são muito semelhantes às dos dias anteriores. Sem nuvens no céu, a temperatura da pista começou em 11ºC até atingir os 28ºC no intervalo do meio-dia. A manhã teve uma única bandeira vermelha, causada por uma parada de Kimi Räikkönen na curva 2.
A maior parte da atenção da manhã foi voltada para a Mercedes e Ferrari. Valtteri Bottas e Sebastian Vettel fizeram suas últimas voltas rápidas e, como aconteceu ontem com Lewis Hamilton e Charles Leclerc, o carro mais rápido foi o vermelho.

Bottas fez sua simulação entre 6 e 30 e 7 e 30. Primeiro fez duas rodadas com o C4. Na primeira marcou 1m16s960; na segunda, falhou e ficou em 1m16s978. Então, passou para o C5, com o qual fez uma única tentativa que o ajudou a reduzir para 1m16s 561.
Vettel foi mais paciente. Começou com o pneu C3, e atingiu 1m17s939, depois de várias corridas e em seguida entrou no modo de classificação. Em duas tentativas com o pneu C4, fez 1m16s913 e 1m16s970. Na última chegou a um recorde nos dois primeiros setores, mas falhou no último. Em três tentativas com o C5 obteve 1m16s352, 1m16s332 e, finalmente, 1m16s221.

O Ferrari SF90 foi três décimos de segundo mais rápido que o Mercedes W10 com o pneu C5. A diferença foi reduzida a alguns centésimos no caso do C4, embora fossem vários décimos se não fosse por um erro de Vettel em sua melhor tentativa.
O tempo de Vettel não serviu apenas para liderar a manhã, mas também permitiu que ele conseguisse o melhor recorde da pré-temporada. Seu 1m16s221 foi um centésimo de segundo mais rápido que o 1m16s231 de Charles Leclerc no dia 7, também com o mesmo carro.

A Toro Rosso voltou a aparecer bem, com o russo Daniil Kvyat fazendo o tempo de 1min16s898 e colocando o carro do time italiano como o melhor que utiliza motores Honda, no top-3.
O piloto da casa, Carlos Sainz – que chegou a liderar o treino mais cedo – terminou a manhã deste último dia de testes coletivos com o quarto melhor tempo. Atrás dele veio o francês Romain Grosjean, da equipe Haas.
Último dos que utilizaram o pneu no composto C5 – mais macio disponível no teste de pré-temporada – Daniel Ricciardo ficou com o sexto lugar na Renault em suas últimas voltas no carro nestes testes, já que cederá o R.S.19 a Nico Hulkenberg na parte da tarde.
Com o C4, Kimi Raikkonen foi o sétimo mais veloz, uma posição na frente de Max Verstappen. O holandês acabou tendo seu treino afetado pelo acidente de Pierre Gasly na última quinta, que danificou bastante o carro da Red Bull. Ele saiu do box apenas com 35 minutos de sessão, e com uma versão mais antiga de seus bargeboards.
Carlos Sainz se atreveu com as simulações de qualificação, apesar de sua McLaren MCL34 não ter estado em plena capacidade. A equipe detectou um problema ontem e hoje optou por reduzir um pouco a entrega de energia para minimizar os riscos. Eles calculam que isso lhes tenha custado mais de um décimo de tempo por volta.
O piloto espanhol começou com duas tentativas com o composto C3, com o qual fez primeiro 1m17s851 e, em seguida, 1m17s495. Então, mudou para C4, com o qual ficou em 1m17s594. O momento da verdade chegou com o C5, com o qual ele fez 1m17s026 e, finalmente, 1m16s913, a volta mais rápida da McLaren, 171 milésimos mais rápido do que Lando Norris.
A Red Bull conseguiu consertar a RB15 com sucesso após o acidente muito forte que Pierre Gasly teve ontem. A equipe de Milton Keynes usou partes de uma especificação anterior para montar o carro e poder participar dos últimos ensaios da pré-temporada. Com apenas 29 voltas, Max Verstappen foi o piloto menos ativo da manhã.