24/03/19

McLaren ameaça deixar F1, se não aprovar as mudanças

O presidente-executivo da McLaren, Zak Brown, afirma que a equipe pode deixar a Fórmula 1 se as regras de 2021 não apontarem um futuro melhor para o esporte.
Na terça-feira, a Liberty Media se reunirá com a FIA e todas as dez equipes, em Londres, para discutir os projetos para a Fórmula 1. Os planos incluem mudanças na distribuição de receita, um possível teto orçamentário e novos regulamentos de corrida.
A McLaren, que é a segunda equipe mais antiga no grid, atrás só da Ferrari, diz que pode não continuar na categoria se não lhes derem uma razão para ficar.
“Para a McLaren, é preciso assinalar duas coisas: ser financeiramente viável e lutar de forma justa e competitiva. Se não for isso, teremos de considerar seriamente nossa posição na F1. Essa não é uma posição em que queríamos estar. Uma equipe de corrida tem de ser competitiva e fiscalmente responsável e, se acharmos que as novas regras não nos colocam nessa situação, teremos que rever nossa participação na F1″, disse Brown ao The Guardian.
O atual acordo comercial da F1 está previsto para expirar em 2020, e sob o último a Ferrari recebeu um bônus estimado de US $ 68 milhões, com a Red Bull e Mercedes também recebendo pagamentos adicionais de US $ 35 milhões, segundo dados do Guardian.
Todas as três equipes e a McLaren também receberam um pagamento estimado de $ 30 milhões pelo bônus de Construtor.
No entanto, Brown acredita que esse sistema recompensa os nomes maiores do esporte de maneira errada.
“A distribuição de receita deve ser mais equilibrada, deve ser orientada para o desempenho. Em um grau menor do que hoje, deve haver reconhecimento pela sua história. Todos nós concordamos que Ferrari é o maior nome e deve ser remunerado como tal, mas não no nível que é e você também não deve ser capaz de colocar esse dinheiro nas corridas. Uma vez nivelado, isso deve acelerar a competitividade de todos. A F1 teve períodos dominantes, mas uma grande F1 será quando ninguém mais domine. Pode significar uma equipe ganhando dois campeonatos consecutivos, não cinco ou seis. ”