26/01/19

Marko diz que o motor da Honda já é melhor que o Renault

O consultor da Red Bull, Helmut Marko, acha que o novo motor Honda já é melhor do que o da Renault, fornecedora anterior, e está perto da Mercedes e da Ferrari.
Falando ao Motorsport.com, Marko falou sobre a questionável decisão da Red Bull de mudar para a Honda, afirmando que o motor do fornecedor já era “melhor” do que seus parceiros franceses anteriores.
“Os números nos deixam muito otimistas, também no que diz respeito ao aumento no desempenho. Pela primeira vez, também podemos celebrar com um ‘modo de festa’!
O motor da Honda já está um pouco acima do motor da Renault. Se você combinar nossos dados de GPS com os dados fornecidos pela Honda, estaremos na região da Mercedes e da Ferrari. Claro que eles não estão dormindo também. Mas eles já estão em um nível tão alto que não podem mais fazer tais saltos. Mesmo que devêssemos ter 10 ou 15 kW de atraso, isso não foi diferente em nossa era Renault com o motor de oito cilindros. Nós podemos compensar isso. ”
A Red Bull alcançou o primeiro lugar do pódio quatro vezes no ano passado, mas também sofreu com vários problemas de confiabilidade e a Renault admitiu não ter feito o progresso de desempenho planejado. Em comparação, a Honda terminou uma forte temporada de reconstrução com a Toro Rosso, após três anos desastrosos com o McLaren. Mas Marko já antecipou que a Red Bull não terá uma primeira temporada sem problemas com a Honda.
“Estamos cientes de que provavelmente será difícil com confiabilidade. Provavelmente não conseguiremos passar a temporada com três motores. Mas se escolher as pistas certas, poderemos voltar ao topo em algumas etapas. Esse será o conceito: que nós conscientemente aceitemos penalidades de motores, se necessário. ”
Marko também disse que a Red Bull foi “retratada como os grandes chorões” com a Renault, mas insistiu que os números falam por si mesmos.
“Estávamos na categoria B desde o começo. Faltou até 70bhp na qualificação.
Dependendo da pista, ficou menos, mas, em média, estávamos sempre pelo menos 40bhp atrás. Nossos dados de GPS mostram claramente o quanto perdemos nas retas e o quanto ganhamos nas curvas. Quando o poder da Ferrari estava no auge, a diferença era ainda mais extrema”.