28/02/19

Leclerc faz a volta mais rápida dos treinos em Barcelona

Na última hora da sessão da manhã, do penúltimo dia de testes da pré-temporada, em Barcelona, Charles Leclerc fez 1min16s361, derrotando o tailandês da Toro Rosso Alexander Albon, que havia sido o primeiro piloto no teste a entrar na casa de 1min16s, com 1min16s882. O monegasco utilizou os pneus C5, os mais velozes disponíveis no teste, para cravar a volta mais rápida das duas semanas de treinos disputados até aqui.
Apesar de apenas os dois primeiros terem entrado na casa de 1min16s, os seis primeiros do treino desta manhã utilizaram os pneus C5. O terceiro colocado foi o estreante da McLaren, Lando Norris. O time britânico, que liderou os últimos dois dias de treino, ficou bem colocado no top-3 com o tempo de 1min17s084.
A Red Bull ficou em quarto com o francês Pierre Gasly, derrotado por apenas 0s007 por Norris. Nico Hulkenberg colocou sua Renault fechando os cinco melhores.
A quinta-feira amanheceu ensolarado no circuito. A temperatura da pista começou a 7ºC e subiu até atingir os 30ºC, repetindo as condições dos dias anteriores. O treinamento começou às 09:00 CET (5 horas em Brasília) e durou até as 13:00 CET (9 horas), sem qualquer interrupção por bandeira vermelha.
Mais cedo, a Ferrari anunciou que um pneu foi a causa do acidente Sebastian Vettel um dia antes. Um “objeto externo” bateu na peça e levou o carro para fora da pista, disse um porta-voz. O SF90 correu com aparente normalidade esta manhã embora com um programa de trabalho mais concentrado do que no passado.
Mercedes e Ferrari assustaram com o composto C2, embora tenha sido a Scuderia que mais se beneficiou da comparação. Lewis Hamilton fez 1m18s097, recorde provisório, mas depois Charles Leclerc quebrou a sua marca com 1m17s253. A rodada de Hamilton teve nove voltas e a de Leclerc, quatro. Leclerc, em seguida, mudou para o pneu C4, com o qual fez duas tentativas de qualificação. Na primeira, não melhorou (fez 1m17s056), mas na segunda marcou 1m16s949. Em seguida, mudou para o C5, com que fez 1m16s658, 1m16s361 e, finalmente, 1m16s231. Hamilton manteve-se com o C3, com o qual fez um stint de dez voltas.
Renault, McLaren e Toro Rosso se alternaram na liderança, com bom desempenho do C5, antes da chegada de Leclerc. Nico Hulkenberg fez primeiro 1m17s496 com a Renault, em seguida, Lando Norris baixou para 1m17s084, com a McLaren e, finalmente, Alexander Albon estabeleceu 1m16s882 com a Toro Rosso. A Red Bull tem também fez essa opção, mas Pierre Gasly ficou em 1m17s091.
Lando Norris superou confortavelmente 50 voltas com sua McLaren em uma manhã livre de incidentes graves. O britânico imitou o trabalho dos outros pilotos. Começou com duas pequenas estiradas com o C2. Com o C3 melhorou a 1m17s838, mas foram com o C5 seus melhores registros: 1m17s513 e, em seguida, 1m17s084.
Como Valtteri Bottas fez no dia anterior, Charles Leclerc foi forçado a começar a trabalhar logo cedo, para recuperar todo o tempo perdido após o acidente de seu parceiro Sebastian Vettel. A Ferrari optou por permitir que ele treine ao longo do dia em vez de alternar com o alemão.
Após fortes críticas de Robert Kubica, George Russell pegou o carro azul e branco da Williams com grades enormes que permitiriam que Grove coletasse dados valiosos em seu quarto dia e meio de teste, para os sete que acumulariam rivais desde o começo.
A classificação da manhã ficou assim:
1- Leclerc – Ferrari – 1m16s361 (C5) – 56 voltas
2- Albon – Toro Rosso – 1m16s882 (C5) – 75
3- Norris – McLaren – 1m17s084 (C5) – 66
4- Gasly – Red Bull – 1m17s091 (C5) – 44
5- Hulkenberg – Renault – 1m17s496 (C5) – 73
6- Stroll – Racing Point – 1m17s556 (C5) – 37
7- Giovinazzi – Alfa Romeo – 1m17s639 (C4) – 49
8- Hamilton – Mercedes – 1m18s097 (C3) – 85
9- Russel – Williams – 1m18s130 (C5) – 45
10- – Magnussen – Haas – 1m18s199 (C3) – 53