05/05/19

Horner é contra o aumento excessivo do calendário da F1

Christian Horner, chefe de equipe da Red Bull, entende o desejo da Liberty Media de alcançar o maior número possível de fãs ao redor do mundo com Grandes Prêmios, mas teme que adicionar mais corridas pode deixar o calendário da Fórmula 1 em “ponto de inflexão” devido às exigências de um fim de semana de GP. Ele acha que o esporte já é muito exigente para todos os seus membros em sua configuração atual.
Horner pondera que, se os planos de expansão forem cumpridos, a F1 poderia ter apenas uma sessão de treinos por fim de semana de GP.
Em 2019 haverá 21 corridas entre março e dezembro, mas os donos do esporte pretendem acrescentar ainda mais, com um GP do Vietnã já confirmado e o provável retorno do GP holandês, elevando para 23 o número de provas em 2020. Também há especulações de que eles poderiam introduzir uma corrida secundária na China, no Reino Unido e nos EUA.
Horner diz que um equilíbrio correto deve ser encontrado entre atrair o maior número possível de fãs e entender o enorme volume de trabalho que as equipes têm que suportar para se preparar para um fim de semana de corrida.
“Eu acho que deve ser entendido que um fim de semana de Grande Prêmio é um evento que dura uma semana inteira para nós como um time”, disse Red Bull, à Motorsport Week.
O britânico calcula que se mais corridas forem adicionadas ao calendário, os fãs da F1 podem ficar expostos demais ao produto.
“O que você não quer é que o público fique saturado. Eu acho que um equilíbrio precisa ser alcançado entre o número certo e a estrutura de um fim de semana de corrida. Um Grande Prêmio dura uma semana inteira para as pessoas que estão no box, porque há muitas coisas ligadas a um fim de semana de competição”, diz o líder da equipe Red Bull.
“As 21 corridas já exigem um grande esforço. Eu sinto que estamos num ponto de inflexão. Indo além, é aconselhável rever a construção de um Grand Prix. Precisamos de muitos testes? A duração da temporada. Todos esses fatores impactam os custos e essas coisas, e vai tornar o show melhor? Um livro só pode ter um certo número de capítulos e queremos garantir que esses capítulos sejam tão divertidos quanto possível, que eles sejam um crescendo em direção a algo”, completou Horner.
Claire Williams também enfatiza os custos humanos decorrentes de trabalhar em um Grande Circo itinerante com tantas corridas.
“Nosso pessoal viaja ao redor do mundo 21 vezes por ano, mais testes, isso é muito tempo longe de casa”, diz o líder da equipe Williams. Seria ótimo se sua equipe pudesse pagar uma equipe de suporte, uma estrutura de suporte para rodar a equipe, mas é muito mais difícil para equipes pequenas e independentes, colocando muita pressão no sistema, não apenas no pessoal, também nas peças adicionais que temos que fabricar “.
O chefe da Red Bull, Christian Horner, acredita que a Fórmula 1 poderia mudar para ter apenas uma sessão de treinos em cada fim de semana de corrida se os planos para expandir o calendário do esporte forem cumpridos.
Horner viu o fim de semana do Azerbaijão como prova de que as equipes podem lidar com apenas uma sessão de treinos.
“Acho que isso depende de quantas corridas teremos. Se tivermos mais corridas, então, sem dúvida, precisamos condensar o tempo. Vimos que uma sessão funcionou bem o suficiente na sexta-feira. Talvez uma boa sessão seja o caminho a seguir. Uma sessão é suficiente para o fim de semana”, disse Horner.