04/03/19

Honda vai revisar montagem “agressiva demais” do motor

Toyoharu Tanabe, diretor técnico do projeto, diz que a montagem do motor Honda foi “agressiva demais” nos testes de pré-temporada e a fábrica está planejando correções a tempo do GP da Austrália. Tanabe ressalva que o problema encontrado na montagem compacta não é grande, mas precisa de alterações
As equipes da Honda não tiveram grandes problemas nos testes, mas o diretor admitiu ter ficado “nervoso às vezes” durante os treinos. Ele disse ao Motorsport.com que não estava “confiante o suficiente” com o progresso feito, apesar de a fábrica ter tido seu melhor desempenho de pré-temporada desde que retornou à F1 em 2015.
“Não temos um problema sério com a instalação no momento, mas encontramos alguns problemas por conta da montagem compacta. A forma era um pouco agressiva demais, então precisamos fazer um pouco diferente. Não é uma grande preocupação”.
A Honda aplicou algumas correções na pista, mas também alterou o design na fábrica para introduzir uma “contramedida permanente” a tempo do GP da Austrália, em 17 de março.
“Até agora, não é sério. Isso significa que podemos estar prontos para a primeira corrida com os itens em que tivemos problemas aqui”, disse Tanabe. .”
A mudança da Red Bull para os motores Honda é um dos principais pontos de discussão para a nova temporada, e a meta inicial da parceria é estar na mesma posição que o time austríaco tinha com sua fornecedora anterior, a Renault.
A Honda está empenhada em evitar expectativas iniciais, e quando perguntado se estava feliz com as melhorias de desempenho, Tanabe brincou: “nunca feliz, na verdade”.
“Claro que temos um alvo. E um alvo ao longo do ano também. Não estamos tão confiantes com a conquista atual. Ainda há muitas áreas que precisamos trabalhar para alcançar os principais concorrentes”, respondeu.
Apesar de a Red Bull ter vencido quatro corridas na última temporada com a Renault, o ano começou com o time muitos décimos atrás da Mercedes e da Ferrari.
As primeiras indicações dos testes de pré-temporada são que os ganhos de inverno da Honda, que incluem redução dos déficits de qualificação, significam que a Red Bull começa em 2019 em uma posição similar.
Tanabe disse: “Nós revisamos não 100%, mas quase todas as partes e aplicamos pequenas modificações para o peso e a confiabilidade. No lado do motor de combustão interna, queríamos mais eficiência na combustão. Vamos tentar melhorar gradualmente.”