14/04/19

Hamilton vence de ponta a ponta a milésima corrida da F1

Lewis Hamilton acrescentou mais um brilhante capitulo à sua vitoriosa carreira no automobilismo ao vencer de ponta a ponta a milésima corrida da história da Fórmula 1, o GP da China. O piloto da Mercedes cumpriu as 56 voltas do circuito de Xangai em 1h32m06s350, com 6s552 de vantagem sobre o companheiro de equipe, Valtteri Bottas. Sebastian Vettel, da Ferrari, ocupou o 3º lugar do pódio e Pierre Gasly obteve o ponto extra fazendo a melhor volta da corrida, na 55ª. Com o resultado, Hamilton completou 75 vitórias na carreira e tomou de Bottas a liderança do campeonato.

Como se esperava, a Ferrari deu prioridade a Vettel, na esperança de que ele pudesse disputar a liderança com os rivais da Mercedes, e ordenou a Leclerc que cedesse passagem ao companheiro. Todavia, a tentativa fracassou. Vettel não passou da terceira colocação e Leclerc acabou em 5º. A Mercedes apresentou uma nova asa dianteira depois que a apresentada na sexta-feira foi proibida pela FIA, por causa do design de suas placas finais. A Ferrari e a Haas mudaram a central eletrônica de seus carros, sem receber penalidade. Nico Hülkenberg e Daniil Kvyat usaram uma segunda unidade de potência completa – exceto bateria e unidade de controle. Daniel Ricciardo e Lando Norris também mudaram o MGU-K. Alexander Albon largou da pit lane, após as mudanças feitas em seu carro devido ao acidente no 3º treino, mas acabou fazendo uma excelente corrida de recuperação e terminou no 10º lugar.

Robert Kubica e Max Verstappen rodaram na volta de apresentação, mas retornaram a tempo às suas posições de largada. Apagadas as luzes vermelhas, Hamilton aproveitou o fato de estar à direita, no lado de conversão da primeira curva e, por dentro, passou por Bottas, o pole position, para assumir a liderança que manteve até o final.

Ainda na largada, Leclerc ultrapassou Vettel dentro da curva; Perez ganhou 4 posições e subiu para 8º, e Daniil Kvyat bateu em Lando Norris, jogando-o para fora da pista. O incidente provocou a implantação de segurança virtual e uma punição de drive-through ao piloto da Toro Rosso.

Ao final da primeira volta, os 10 primeiros colocados eram Hamilton, Bottas, Leclerc, Vettel, Verstappen, Gasly, Ricciardo, Perez, Hulkenberg e Grosjean. Na volta 8, Raikkonen, que largou de 13º chegou a 10º, com ultrapassagem sobre Grosjean. Na 10ª volta, Vettel disse à equipe que está mais rápido do que Leclerc e o jovem piloto francês recebeu ordem para deixar o companheiro passar, o que ele fez na volta seguinte. Na mesma volta 11, Raikkonen passou também por Hulkenberg e assumiu a 9ª posição. Na 16, Stroll tomou o 10º lugar de Hulkenberg, que abandonou a pista em seguida.

Na volta 18 começaram as paradas, com Verstappen sendo o primeiro a ir ao box para colocar pneus médios e voltando em 8º. Vettel parou na volta seguinte, colocando também pneus médios e voltando em 5º, atrás de Gasly.

Na volta 20, Verstappen pressionou Vettel, os dois correram roda-a-roda, mas no final o alemão deu um x no holandês e manteve a posição. Bottas parou na volta 22; Hamilton e Leclerc pararam na 23 e, na 24, depois da parada dos líderes, os 10 primeiros eram Hamilton, Bottas, Vettel, Verstappen, Leclerc, Gasly, Raikkonen (que ainda não tinha parado), Ricciardo, Perez e Grosjean. Raikkonen só parou na volta 26 e retornou em 11º, mas logo passou por Magnussen e depois por Grosjean, para ocupar o 9º lugar.

Na volta 35 começou nova bateria de pit stops, com a maioria dos pilotos passando aos compostos médios, para ir até o fim da corrida. Hamilton e Bottas pararam juntos na volta 37. O inglês manteve a posição, mas o finlandês perdeu o segundo lugar par Leclerc.

Depois disso, os melhores momentos da corrida aconteceram na volta 39, quando, na reta, usando a asa aberta, Bottas passou por Leclerc e recuperou a vice-liderança e na volta 43, com a ultrapassagem de Vettel sobre Leclerc, para garantir o terceiro lugar no pódio.

Na volta 53, Pierre Gasly foi para os boxes para colocar pneus macios, a fim de tentar a volta mais rápida. A tentativa deu certo e com o tempo de 1m34s542 ele obteve o ponto extra da volta mais rápida.

Além disso, nada de excepcional aconteceu nas últimas voltas e os três ponteiros mantiveram suas posições sem nenhum problema até o fim.

A classificação final do GP da China, a terceira corrida do campeonato foi a seguinte:

Pos. Piloto Eqiuipe Tempo
Lewis Hamilton Mercedes 1h32m06s350
Valtteri Bottas Mercedes a 6s552
Sebastian Vettel Ferrari 13s744
Max Verstappen Red Bull 27s627
Charles Leclerc Ferrari 31s276
Pierre Gasly Red Bull 1m19s307
Daniel Riciardo Renault 1 volta
Sergio Perez Racing Point 1 volta
Kimi Raikkonen Alfa Romeo  1 volta
10º Alexander Albon Toro Rosso 1 volta
11º Romain Grosjean Haas 1 volta
12º Lance Stroll Racing Point 1 volta
13º Kevin Magnussen Haas 1 volta
14º Carlos Sainz McLaren 1 volta
15º Antonio Giovinazzi Alfa Romeo 1 volta
16º George Russel Williams 2 voltas
17º Robert Kubica Williams 2 voltas
Não completaram
Lando Norris Mclaren 15
Daniil Kvyat Toro Rosso 11
Nico Hulkenberg Renault 8

Classificação

Pilotos

Posição Piloto Equipe Pontos
Lewis Hamilton Mercedes 68
Valtteri Bottas Mercedes 62
 Max Verstappen Red Bull 39
Sebastian Vettel Ferrari 37
Charles Leclerc Ferrari 36
Pierre Gasly Red Bull 13
Kimi Raikkonen Alfa Romeo 12
Lando Norris McLaren  8
Kevin Magnussen Haas  8
10º Nico Hulkenberg Renault  6
11º Daniel Ricciardo Renault  6
12º Sergio Perez Racing Point  5
13º Alexander Albon Toro Rosso  3
14º Lance Stroll Racing Point  2
15º Daniil Kvyat Toro Rosso 1
16º Antonio Giovinazzi Alfa Romeo 0
17º Romain Grosjean Haas 0
18º Carlos Sainz McLaren 0
19º George Russel Williams 0
20º Robert Kubica Williams o

Equipe

Posição Equipe Pontos
Mercedes  130
Ferrari  73
Red Bull 52
Renault 12
Alfa Romeo 12
Haas 8
McLaren 8
Racing Point 7
Toro Rosso 4
10º Williams 0