14/07/19

Hamilton aproveita o safety car e ganha o GP da Inglaterra

Lewis Hamilton aproveitou a entrada do safety car, na volta 20, para fazer sua única parada e ganhou o GP da Inglaterra 2019, com o tempo de 1h21m08s452, novo recorde da pista de Silverstone. Foi a 80ª vitória da carreira, a 7ª da temporada e a 6ª no circuito do piloto inglês, que chegou 24s928 à frente do companheiro de equipe Valtteri Bottas. Charles Leclerc, da Ferrari, completou o pódio. Sebastian Vettel, punido com 10 segundos por atropelar Max Verstappen, na volta 37, terminou no 15º lugar.

Hamilton deveu a vitória a Antonio Giovinazzi, que escapou da pista e ficou preso na brita, provocando a entrada do safety car. O líder do campeonato, que assumira a ponta com a parada de Bottas, aproveitou para fazer sua única parada, colocar pneus médios e voltar na liderança, que manteve até o final, com direito à volta mais rápida e recorde da pista, 1m27s369, e um ponto extra.

Hamilton, Vettel, Perez, Russel e Kubica correram com um segundo MGU-K e Lando Norris usou um terceiro motor e combustão e turbo compressor, mas nenhum deles foi punido, por estarem dentro das tricas permitidas.

A corrida foi tão ou mais emocionante quanto à anterior na Áustria, com a repetição da renhida disputa por posições entre Charles Leclerc e Max Verstappen, que várias vezes chegaram a tocar rodas. No final, Leclerc, que corria em 6º, acabou beneficiado pelo choque entre o holandês e Vettel para conquistar o terceiro lugar no pódio. No pelotão intermediário também houve disputas interessantes e Carlos Sainz foi o primeiro dos últimos, ocupando a 6[ posição.

Com tempo nublado e temperatura na pista em torno de 33 graus, a largada foi normal, com Bottas mantendo a ponta, apesar da pressão de Hamilton. Vettel, que era 6º passou por Gasly, que foi superado também por Lando Norris, Lance Stroll também ganhou duas posições, enquanto os dois pilotos da Haas se tocavam, obrigando Grosjean ir aos boxes para troca da asa dianteira. Sainz também fez uma boa largada, ganhando duas posições e pulando para 11º. Lando Norris assumiu a liderança do pelotão intermediário, depois de ultrapassar Daniel Ricciardo.

Depois de liberado o DRS, com diferença menor de um segundo, Hamilton, de asa aberta passou a pressionar ainda mais a Bottas. Na volta 3, tentou passar por fora na curva Stone, mas não conseguiu. Na 4, na reta Wellington ele chegou a ultrapassar o companheiro, mas este reagiu e recuperou o posto, por dentro, na curva Copse. A partir da volta 6, os dois pilotos da Mercedes passaram disputar também as voltas mais rápidas. Hamilton fez 1m30s967 e na 7 Bottas retrucou com 1m30s938. Na volta 8, Hamilton marcou 1m30s850 e, na 11, Bottas fez 1m30s728.

Na volta 14, Charles Leclerc e Max Verstappen proporcionaram um dos momentos mais da corrida. Eles foram juntos para os boxes e Verstappen ganha a posição ainda na pit lane. Na volta à pista, porém, o piloto da Red Bull errou e escapou na curva 4, e Leclerc recuperou a 4ª posição, com Vettel passando ao 3º lugar. Bottas, com uma vantagem de 1,5 segundo, parou na volta 16, colocando pneus médios, numa indicação de que iria fazer duas paradas. Voltou em 3º, atrás de Hamilton e Vettel. A essa altura, Leclerc e Verstappen continuavam sua disputa particular, com o holandês sempre na cola do rival, especialmente na curva 3, na reta Wellington e na Stowe,

Na volta 20, no setor 3, Giovinazzi escapou, foi parar na brita e a direção da prova determinou a entrada do safety car. Hamilton aproveitou para fazer a sua única parada e colocou pneus duros, para voltar na liderança, que manteve até o final. Vettel também aproveitou a entrada do safety car e continuou em 3º, mas a Ferrari não fez o mesmo, demorou para chamar Leclerc e causou o rebaixamento do monegasco para o 6º lugar. Pelo rádio, o piloto reclamou: Por que fizeram isso comigo? ”

O safety car deixou a pista na volta 23 e na 26, exatamente a metade da prova, os 10 primeiros eram Hamilton, Bottas, Vettel, Gasly, Verstappen, Leclerc, Sainz, Norris, Ricciardo e Albon. Na volta 27, Verstappen ultrapassou Gasly e assumiu o 4º lugar, Entre as voltas 27 e 34, Hamilton quebrou por 4 vezes o recorde da pista, com voltas mais rápidas. Começou com 1m29s601 e chegou a 1m29s160. Na 36, Bottas o superou com 1m29s127.

Ainda na volta 36, na luta pelo 3º lugar, na Stowe, Verstappen passou por Vettel e ganhou a posição, mas o alemão, perdeu o ponto de freada na curva 16, entrou com tudo na traseira do carro do holandês, levando os dois para a brita. Embora tenha ido mais longe, Verstappen voltou na frente, enquanto o alemão obrigado a ir ao box parta trocar o bico, caiu para 17º e sofreu punição de 10 segundos. Na mesma volta, Leclerc ultrapassou Gasly para ocupar o 3º lugar.

Depois disso, não houve grandes alterações nas posições, com Hamilton, Bottas e Leclerc mantendo-se nas posições de pódio e o inglês dando-se ao luxo de conquistar o ponto extra com a volta mais rápida na 51, com 1m27s369.

A classificação final do GP da Inglaterra foi a seguinte:

Posição Piloto Equipe Tempo Incidentes
Lewis Hamilton Mercedes 1h21m08s452
Valtteri Bottas Mercedes a 24s928
Charles Leclerc Ferrari 30s117
Pierre Gasly Red Bull 34s962
Max Verstappen Red Bull 39s458
Carlos Sainz McLaren 53s639
Daniel Ricciardo Renault 54s401
Kimi Raikkonen Alfa Romeo 1m05s540
Daniil Kvyat Toro Rosso 1m06s720
10º Nico Hulkenberg Renault 1m12s733
11º Lando Norris McLaren 1m14s281
12º Alexander Albon Toro Rosso 1m15s617
13º Lance Stroll Racing Point 1m21s086
14° George Russell Williams 1 volta
15º Sebastian Vettel Ferrari 1 volta
16º Robert Kubica Williams 1 volta
17º Sergio Perez Racing Point 1 volta
Antonio Giovinazzi Alfa Romeo 20-rodada
Romain Grosjean Haas 9-acidente
Kevin Magnussen Haas 6- acidente

 

.