20/05/19

As equipes estão perto de acordo sobre custos, diz Liberty

O CEO da Liberty Media, Greg Maffei, revelou que as equipes de Fórmula 1 estão agora relativamente perto de aceitar um sistema de teto orçamentário no esporte, e foram feitos “enormes progressos” no esforço de implantar o limite.
Os novos proprietários da F1 têm impulsionado a agenda de introdução de um teto orçamentário em 2021 por muito tempo, pois a atual disparidade de orçamentos entre fábricas como a Mercedes e uma equipe como a Haas F1 é de centenas de milhões.
“Eu acho que tem havido muito progresso”, disse Maffei em uma conferência em Nova York na semana passada, segundo o site Motorsport.com.
“Claro que há questões a debater. A F1 tem falado em colocar limites de custos durante 15 anos ou mais, e quando começamos, Chase e a sua equipe, a falar sobre colocar um limite de custos, as pessoas zombaram. Eu acho que, agora, a possibilidade de limite de custo é praticamente aceita”.
Chase Carey deixou claro, no último encontro com as equipes, que o prazo para aprovar as regras de 2021 terminará em 30 de junho. A decisão de adiar para outubro não teve um acordo unânime das equipes, então Chase Carey, os alertou de que eles têm pouco tempo para a negociação. Ele insiste que agirá de acordo com as regras e as equipes que têm até 30 de junho para concordar com os regulamentos da nova era, de acordo com o portal alemão Auto Motor und Sport.
Na última reunião entre as equipes e a Liberty falou-se em limitar os custos em 170 milhões de euros a partir de 2021 e estabelecê-lo em 140 milhões de euros depois de 2023. Houve também proposta de 152 milhões de euros como teto por cinco anos, a partir de 2021, mas nenhuma das duas propostas teve o acordo das equipes.