26/03/19

Ecclestone acha improvável a criação de nova categoria

Bernie Ecclestone confirmou que falou com Toto Wolff, Lawrence Stroll e Luca de Montezemolo sobre a criação de categoria alternativa à F1, mas admitiu que é muito improvável que isso aconteça. E o presidente honorário da Fórmula 1, que é radicalmente contra o modelo de gestão da Liberty Media, disse também que não é provável que a ideia prospere no futuro.
“Eu não acho que isso vá acontecer. Eu não vejo isso possível se todos não concordarem. Precisamos que todos os promotores concordem, todos. O problema com essas coisas é que as pessoas sentam e conversam e conversam, mas quando chega a hora de puxar o gatilho, há uma enorme lista de ausentes “, disse ele.
A reunião dos dirigentes, revelada pela revista alemã Auto Motor und Sport, foi na casa do ex-chefão da F1 em Gstaad, na Suíça, e foi “uma reunião de velhos amigos. As suposições de um campeonato alternativo não fazem sentido”, segundo porta-voz da Racing Point.
No entanto, Ecclestone admitiu ao Racefans.net que no encontro foi avaliada a possibilidade de se criar um campeonato paralelo à Fórmula 1. De acordo com o ex-chefe da Fórmula 1, eles discutiram a possibilidade de organizar uma categoria paralela, uma ideia muito difícil de implementar, pois é necessário o acordo de todas as partes. Além disso, Ecclestone não vê nem Mercedes ou Racing Point corajosos o suficiente para deixar a categoria principal e procurar um novo futuro.
A improbabilidade de uma categoria paralela deve aliviar a Liberty Media, que apresentou às equipes, hoje, em Londres, seus planos para 2021. Se as ameaças de uma divisão fossem reais, Mercedes e Racing Ponto estariam em melhor posição para negociar benefícios para a nova era da Fórmula 1.
Os novos planos devem ser aprovados antes de 30 de junho se a Liberty Media quiser ter opções para manter alguma iniciativa e controle sobre o campeonato, pois a partir dessa data qualquer emenda regulamentar deve ser aprovada por unanimidade por todos os participantes.