17/03/19

Bottas surpreende Hamilton e vence o GP da Austrália

Valtteri Bottas, segundo no grid, surpreendeu Lewis Hamilton, o pole position na largada e ganhou de ponta a ponta o Grande Prêmio da Austrália, no circuito de Albert Park, na tarde deste domingo em Melbourne. Quando as luzes vermelhas se apagaram o piloto finlandês pulou na frente do companheiro, assumiu a liderança e a manteve até o final, cumprindo o percurso de 5,303 metros em 1hr25m 27s325, com 20s886 à frente do pentacampeão. Bottas conquistou também o ponto extra para a volta mais rápida, com o tempo de 1m25s580, no penúltimo dos 58 giros da prova. Essa foi a primeira vitória de Bottas desde o GP de Abu Dhabi, em 2017.

Max Verstappen, da Red Bull, depois de ultrapassar Sebastian Vettel e fazer intensa perseguição a Hamilton, completou o pódio, o primeiro do motor Honda, depois de 11 anos. Os dois carros da Ferrari ficaram para trás, com Vettel em 4] e Charles Leclerc no 5º lugar. Kevin Magnussen liderou o pelotão intermediário, seguido de Nico Hulkenberg, Kimi Raikkonen, Lance Stroll e Daniil Kvyat, que completaram o Top 10. Daniel Ricciardo abandonou a pista depois de 28 voltas, depois de sair para a grama e perder a asa dianteira, antes da primeira curva. Carlos Sainz parou na volta 10, por superaquecimento do motor Renault, que teve princípio de incêndio.

Depois de sair na frente, Bottas encadeou cinco voltas rápidas para impor mais de um segundo de vantagem sobre Hamilton. Vettel passou por Verstappen para ser terceiro e manteve a posição, resistindo a ameaça do companheiro Leclerc. Magnussen, que era 7º pulou para 6º; Grosjean passou a 7ª e Norris, de 8º caiu para 10º. Na 6ª volta, Kubica se choca com o companheiro George Russel, perde a asa dianteira mas continua na corrida.
Na volta 10, Bottas já tinha uma frente de 3 segundos sobre Hamilton, de 7 segundos sobre Vettel e mais de 14 sobre Leclerc.

Na volta 14, Raikkonen faz sua parada e volta na 16ª posição e Vettel, que parou na volta seguinte, retornou em 6º. Hamilton foi para o pit stop na 16ª volta, trocando os pneus macios pelos médios, voltando em 4º. Essa parada antecipada foi uma das razões da derrota, pois Bottas, que só parou na volta 23 e retornou em 2º, correu sempre com pneus mais novos.
Na volta 30, quando, dos 10 primeiros, só Gasly não tinha feito sua parada, Bottas mantinha a frente, seguido por Hamilton, Vettel, Verstappen, Leclerc, Gasly, Magnussen, Hulkenberg, Raikkonen e Stroll, que tinha largado em 16º. Essa ordem se alterou na volta 31, quando Verstappen, no segundo trecho de DRS, ultrapassou Vettel e assumiu o 3º lugar. A partir daí o holandês da Red Bull passou a caçar Hamilton, chegou perto, mas nunca conseguiu diferença suficiente para usar a abertura da asa e ultrapassar.

A tarefa ficou ainda mais difícil na volta 49, quando ele saiu pela grama e ficou mais de 3 segundos atrás do inglês. Na volta 51, Leclerc, que era mais rápido, volta a tentar a ultrapassagem sobre Vettel, mas o alemão se defende bem, de novo. Depois da corrida, Leclerc confessou que a equipe pediu que ele não pressionasse o companheiro.

Nas últimas voltas, Verstappen e Bottas batalharam pela volta mais rápida. O holandês fez 1m26s540, na 54, mas na 57 e penúltima o finlandês garantiu o ponto extra, com 1m25s580.

A classificação do GP da Austrália ficou assim:
1 – Valtteri Bottas –Mercedes – 1hr25m 27s325
2 – Lewis Hamilton – Mercedes – 1h25m48s211
3 – Max Verstappen – Red Bull – 1h25m49s845
4- Sebastian Vettel – Ferrari – 1h26m24s434
5 – Charles Leclerc – Ferrari – 1h26m25s555
6 – Kevin Magnussen – Haas – 1h26m54s481
7 – Nico Hulkenberg – Renault- 1 volta
8 – Kimi Raikkonen – Alfa Romeo – 1 volta
9 – Lance Stroll – Racing Point – 1 volta
10 – Daniil Kvyat – Toro Rosso – 1 volta
11 – Pierre Gasly – Red Bull – 1 volta
12 – Lando Norris – McLaren – 1 volta
13 – Sergio Perez – Racing Point – 1 volta
14 – Alexander Albon – Toro Rosso – 1 volta
15 – Antonio Giovinazzi – Alfa Romeo – 1 volta
16 – George Russell – Williams – 2 voltas
17 – Robert Kubica – Williams – 3 voltas
Não completaram
Romain Grosjean – Haas – 29 voltas
Daniel Ricciardo – Renault – 28 voltas,
Carlos Sainz – McLaren – 10 voltas