14/05/19

Após 35 anos, GP da Holanda retorna ao calendário da F1

Depois de 35 anos, o Grande Prêmio da Holanda, incluído oficialmente no calendário de 2020, voltará à Fórmula 1, no circuito de Zandvoort, que já foi palco dos grandes prêmios entre 1952 e 1985.
“Estamos entusiasmados por estar aqui hoje. Há muita expectativa sobre esse evento, por isso é ótimo poder tratar disso diretamente”. Disse o CEO da F1, Chase Carey, em coletiva de imprensa anunciando a corrida.
Carey disse que o retorno da corrida é especial por três razões. “Temos uma história incrível em Zandvoort. Corremos aqui há 35 anos. Nós tivemos algumas das nossas grandes corridas aqui, alguns dos nossos maiores heróis correram aqui e realmente esta pista é uma parte tremendamente importante da Fórmula 1. A segunda razão é realmente a empolgação e a paixão que existe aqui na Holanda. A Holanda, geograficamente, é um país pequeno, mas não há dúvida de que o coração, a paixão é incomparável e eu acho que a energia na Holanda é cativante. Obviamente, Max Verstappen ajudou a dar outra dimensão para isso. Mas é apenas o amor por este esporte que nos atrai aqui. Quando vou a algumas das pistas, e vejo o mar de laranja que existe, é incrivelmente especial. E acho que a terceira razão é que é ótimo trazer uma nova corrida para a Europa. Não é uma nova corrida, obviamente, porque corremos aqui há 35 anos, mas para uma geração de fãs, esta será uma nova corrida. Nós somos um esporte global, temos meio bilhão de fãs ao redor do mundo e estamos crescendo, e não há dúvidas de que a base global deste esporte é incrivelmente importante para nós. Temos a satisfação de adicionar novas corridas como a do Vietnã, que também adicionaremos no próximo ano. Mas a Europa é nossa casa. A Europa é a nossa fundação. A Europa é a base sobre a qual construímos esse esporte. E assim trazer o esporte de volta a uma grande pista na Europa é incrivelmente importante para nós”, discursou Carey.
A corrida é a segunda nova introdução confirmada para o calendário da F1 de 2020, juntamente com Grande Prêmio do Vietnã, que será realizado em um circuito de rua em Hanói, em abril.
O layout do circuito de Zandvoort foi modificado desde a última corrida de Fórmula 1 e a pista sofrerá mais mudanças antes do retorno do campeonato no ano que vem, confirmou o diretor esportivo do Grande Prêmio da Holanda e ex-piloto de F1 Jan Lammers.
“Para atender aos desejos da Fórmula 1 e aos padrões exigidos pela FIA, o circuito e a infraestrutura serão modernizados dentro de algumas áreas, com o trabalho concluído bem antes da corrida em 2020. Além disso, o município de Zandvoort investiu recentemente para melhorar o acesso ao município e ao circuito”, informou Lammers.
O diretor esportivo, descreveu como a configuração da pista será alterada para o Grande Prêmio da Holanda do ano que vem.
“A linha de largada/chegada será levada um pouquinho para frente para garantir que o grid seja claramente visível da arquibancada principal. A saída da rotatória Gerlachtbocht será ampliada por questões de segurança, e a Hugenholtzbocht (curva 3) será ampliada no interior para permitir mais espaço e permitir velocidades mais altas em direção a Scheivlak. Então chegamos ao Hans ErnstBocht, do qual a segunda parte será encurtada e ampliada para melhorar o fluxo através da curva e aumentar as velocidades. O Arie Luyendijkbocht, antigamente conhecido como Bosuit, será modificado e ligeiramente inclinado, para permitir a aceleração máxima por lá. Isso fará com que seja semelhante à parte final do Brasil, onde você pode passar com o DRS aberto. Não vai ser fácil, mas possível, eu acho”.
O dirigente não disse se alguma mudança será feita nas áreas de escape, pois as áreas de Zandvoort são quase inteiramente de cascalho, enquanto a maioria dos locais permanentes da F1 agora tem escape de asfalto.
Além do layout do circuito, outras mudanças serão feitas na pista, incluindo um novo paddock e outras infraestruturas. Lammers disse que ele não teria pensado que seria possível que a F1 voltasse ao circuito depois de sua última corrida, 35 anos atrás.
“Se você me perguntasse há um ano, eu diria que é quase impossível. Eu sou um Zandvoorter e se imaginar que há 40 anos dirigi um carro de F1 pela primeira vez, então estou muito agradecido”
Os pilotos de Fórmula 1 dizem que Zandvoort será um circuito “massivamente rápido” para seus carros no ano que vem, mas estão preocupados com a ultrapassagem. Nico Hulkenberg, que venceu várias corridas no circuito em sua carreira júnior, espera que o retorno da F1 seja “uma boa diversão, uma boa festa”.
“Adorei o Zandvoort durante os meus tempos de juniores na F3, Formula BMW, A1. Boas lembranças de lá. Pista legal, ótima localização. E obviamente os holandeses já estão prontos para uma boa festa. Mesmo na F3 era quase impossível passar. O layout da pista não é o mais convidativo para ultrapassagens e corridas, infelizmente”, lembrou Hulkenberg.
Mas ele espera que a curva de alta velocidade de Sheivlak seja espetacular. “Definitivamente é divertido lá. Sheivlak é uma curva que sempre foi uma em que você tem que ser corajoso e corajoso. Tenho certeza de que será massivamente rápido na Fórmula 1. ”
Valtteri Bottas disse que a pista é um “circuito antigo que os pilotos adoram”.
“Cometer erros lá na seção de alta velocidade vai ser muito penalizante. Sentimo-nos um pouco mais, estamos nos arriscando nesse tipo de pista, o que é uma boa sensação para um piloto. Então, estou ansioso por isso. Até as corridas da Fórmula 3 tinham muita gente, muitos espectadores, boa atmosfera. Muitas boas lembranças de lá. Vai ser legal”.