06/04/19

A Mercedes teme a potência da Ferrari nas retas da China

Valtteri Bottas teme que a superioridade da Ferrari seja ainda mais pronunciada na China do que no Bahrein pelas longas retas do circuito de Xangai, onde a potência do SF90 pode superar o W10.
Bottas dá a entender que a Mercedes está preparada para o pior nas próximas rodadas do campeonato, porque a Ferrari foi muito forte nas retas de Sakhir e a China e o Azerbaijão têm retas em abundância.
“China e Baku têm enormes retas. No Bahrein, eles foram quatro décimos mais rápidos nas retas. E não podemos tirar quatro décimos assim tão fácil. Melhoramos o carro constantemente, temos que verificar o que podemos fazer nas retas, mas será difícil”, disse o finlandês ao site RaceFans.net.
Toto Wolff tem o mesmo discurso. O chefe da equipe de Brackley admite que a Ferrari é a favorita na China, desde que a confiabilidade permita que eles funcionem com plena capacidade.
“Se eles forem capazes de manter esse nível de potência … não sei o que deu errado no motor, de Charles Leclerc, mas se eles puderem manter esse nível de potência em Xangai, são claramente os favoritos em uma pista onde a potência é tão importante quanto Xangai. Pode ser que a diferença por volta seja maior do que no Bahrein “.
A Ferrari confirmou que Leclerc sofreu um curto-circuito no sistema de injeção do motor sistema de controle, portanto, a perda de potência que lhe custou a vitória. Todavia, a equipe garantiu que não há nenhum precedente para essa falha, embora a confiabilidade tem sido um problema recorrente desde os testes de pré-temporada. A Scuderia negou a hipótese levantada por Helmut Marko de que a equipe rodou de maneira conservadora na Austrália por um problema de refrigeração.