22/02/19

Veja quem venceu e quem perdeu nos testes de Barcelona

O site F1.com, fez um balanço da atuação da equipes na pré-temporada em Barcelona e apontou os ganhadores e vencedores dos quatro dias de testes. Eis a relação, mantido o estilo do texto original do site.
Vencedor: Ferrari
Houve um nome que caiu na lista dos vencedores imediatamente e que foi a Ferrari. O cavalo empinado entrou em cena em 2019, atacando o Circuito de Barcelona-Catalunha com um galope que causou arrepios nas espinhas de seus rivais. Eles conseguiram impressionantes 598 voltas, que foram levemente golpeadas pela Mercedes com 610. Mas eles não se importam – esta foi uma semana tremendamente bem-sucedida para os finalistas do ano passado. O SF90 funcionou de forma confiável e parecia estar nos trilhos enquanto corria pela pista. Tanto Sebastian Vettel quanto Charles Leclerc falaram de como o carro era confortável de pilotar e de como era fácil obter desempenho fora do campo – e Vettel, em particular, não costuma ser um lírico nesse estágio.
No lado da unidade de energia, junto com seus clientes Alfa Romeo e Haas, a Ferrari completou mais de mil voltas. Isso é impressionante. Seu ritmo brilhou no setor final, apertado e sinuoso, mas também parecia em casa nas curvas de média e alta velocidade nos dois primeiros.
Perdedor: Williams
No outro extremo do espectro em relação à Ferrari está a Williams. Nos livros de história, eles se sentam um e dois (nessa ordem) quando se trata de campeonatos de construtores. Mas o abismo entre eles agora não poderia ser maior.
Eles perderam o shakedown e os primeiros dois dias e meio de testes devido a atrasos na produção e agora estão numa situação perigosa. Eles têm escassas 88 voltas ao seu nome, 522 atrás da Mercedes, e infelizmente isso é agora uma lacuna que será impossível desfazer.
Uma falha encontrada na quinta-feira – o tipo de problema que poderia ter sido resolvido em um shakedown – os fez perder algumas horas de tempo precioso. Mas pelo menos eles agora têm um carro capaz de rodar, além de um intervalo de quatro dias para recuperar o atraso e analisar os poucos dados que têm à frente do teste dois. Eles agora têm tudo para fazer …
Vencedor: Honda
O teste da pré-temporada traz lembranças dolorosas para a Honda desde que eles retornaram à F1, com o fabricante japonês tendo sofrido uma péssima confiabilidade que prejudicou significativamente seus preparativos – mas não tão neste ano. Na verdade, francamente não poderia ter ido melhor.
Eles têm 957 voltas no banco de dados, através da Red Bull e Toro Rosso, e parecem bastante decentes nas retas e na armadilha da velocidade. Eles não aumentaram o motor nem executaram uma série de modos de qualificação para o teste, mas terão tempo para isso na próxima semana, depois de uma semana de confiança.
Helmut Marko, da Red Bull, aumentou a pressão elogiando a Honda e sugerindo que pode ganhar corridas este ano. O diretor da Toro Rosso, Franz Tost, acha que a Red Bull também pode fazer isso. Pierre Gasly e Max Verstappen não fizeram as mesmas afirmações, mas ambos estão muito satisfeitos com o impressionante progresso.
Perdedor: Racing Point
A Racing Point optou por trazer um carro ‘vanilla’ – palavras do chefe técnico Andrew Green, não nosso – para o teste de abertura da temporada, permitindo que eles impulsionassem o desenvolvimento na fábrica e trouxessem uma série de atualizações importantes para a abertura da temporada australiana.
Então, ao invés disso, eles se concentraram na confiabilidade e na compreensão dos pneus. A desvantagem, é claro, é que agora eles terão muito trabalho a fazer nessas novas partes nos treinos de sexta-feira em Melbourne.
Além disso, eles não conseguiram aumentar a quilometragem e, assim, comprovar a confiabilidade, na primeira semana, com apenas 248 voltas, um total que é maior do que o de Williams, que efetivamente só conseguiu um dia de corrida. O carro parece bem na pista, mas ainda há muito o que fazer.
Vencedor: Alfa Romeo
Há uma sensação crescente no paddock de que a Alfa Romeo será a melhor do resto deste ano, depois de ter feito um bom começo no teste de abertura da pré-temporada.
Apenas Mercedes e Ferrari conseguiram melhores tempos, enquanto o retorno de Kimi Raikkonen indica que a equipe deu um “grande passo” com a Sauber que ele pilotou no teste de pneus Pirelli do final do ano passado. De fato, o Homem de Gelo disse que os tempos rápidos tinham chegado sem ele ainda acelerar ainda.
Seu companheiro de equipe, Antonio Giovinazzi, também se adaptou rapidamente, tendo conseguido acelerar com poucos problemas e aprendido sensatamente tudo o que pôde de Raikkonen para ajudá-lo a se sentir confortável com o carro.