Publicidade

Interlagos, um marco

interlagos_01Primeiro autódromo brasileiro, inaugurado em 1940, Interlagos logo se  transformou no grande cenário de eletrizantes corridas. A primeira delas aconteceu no dia da inauguração,  12 de maio de 1940. Trinta pilotos, brasileiros e estrangeiros, correram vinte e cinco voltas, no belo circuito de oito quilometros, atrás de um prêmio de 60 mil réis. O vencedor da prova histórica foi Arthur Nascimento Júnior, pilotando uma baratinha Alfa Romeo, a uma velocidade média de 115 quilometros por hora.

Mas o primeiro campeão de fato de Interlagos não foi um piloto de automobilismo. Naquele mesmo doze de maio, houve uma corrida de motocicletas, como preliminar da grande disputa dos carros Grand Prix. E coube ao santista Hans Ravache ganhar a prova das motos, com uma BMW 500.

Nem mesmo a deflagração da Segunda Guerra Mundial impediu que os motores continuassem rugindo em Interlagos. Se a guerra impunha um rigoroso racionamento de gasolina, os carros corriam movidos a gasogênio. Na verdade, nos tempos heróicos, fazia-se de tudo por amor à velocidade.

As corridas em Interlagos eram para todos os carros e todo os gostos. Corria-se de baratinhas, de carros de passeio, de inacreditáveis máquinas preparadas em fundos de quintal e havia provas curtas, longas e de médias distâncias.

Foi nos anos cinquenta, porém, que Interlagos deu ao automobilismo brasileiro o impulso que faltava. Dois grandes eventos marcaram para sempre a história do autódromo: as Mil Milhas Brasileiras e os 500 Quilometros de Interlagos.

Com um charme que fazia os mais fanáticos se lembrarem das corridas de Indianápolis, os 500 Quilometros de Interlagos eram pura velocidade. Monopostos da década anterior (Ferraris, Alfas e Maseratis, que haviam vivido dias melhores na Europa) eram empurrados por potentes motores norte-americanos, pelo anel externo do autodrómo. Nomes como Ciro Cayres, Celso Lara Barberis e Fritz D Orey se tornaram familiares aos ouvidos de uma multidão apaixonada pelas corridas.

interlagos_brasilMas foram as Mil Milhas que fizeram convergir para Interlagos todas as atenções. Criada por Wilson Fittipaldi e Eloy Gogliano, através do Centauro Motor Clube, a prova era a grande festa anual do automobilismo brasileiro. Interlagos recebia pilotos de todo o país e dias antes da largada das Mil Milhas, tradicionalmente à meia-noite de sábado, era ocupado pelos espectadores. Barracas, churrascos e até bailes compunham o cenário da grande festa.

Os verdadeiros artistas, porém, eram mesmo os pilotos e seus bólidos. Quarenta e quatro carros, o número máximo permitido, alinhavam no grid. Suas baterias de faróis e lanternas de identificação colocadas sobre o teto, faziam da corrida um espetáculo de luzes e emoção.

carreteras_brasilUma das atrações das Mil Milhas eram os pilotos gauchos e suas famosas carreteras. Idealizadas pelos argentinos, as carreteras eram inocentes cupês Ford e Chevrolet do final dos anos trinta, equipados com colossais motores Corvette e Thunderbird. O gaúcho Catarino Andreatta adquiriu fama na década de cinquenta, vencendo duas Mil Milhas de Interlagos, em cinquenta e seis e cinquenta e oito.

O tempo das carreteras ficou marcado também por um piloto paulistano, sobrinho do famoso Chico Landi. Correndo com a Chevrolet Corvette, número 18, Camilo Chrystófaro atravessou todos os anos sessenta como uma espécie de herói das Mil Milhas.

Os vencedores da F1 em Interlagos

 

2014 – Nico Rosberg

2013 – Sebastian Vettel

2012 – Jenson Button

2011 – Mark Webber

2010 – Sebastian Vettel 

2009 – Mark Webber

2008 – Felipe Massa

2007 – Kimi Räikkönen

2006 – Felipe Massa

2005 – Juan Pablo Montoya

2004 – Juan Pablo Montoya

2003 – Giancarlo Fisichella

2002 – Michael Schumacher

2001 – David Coulthard

2000 – Michael Schumacher

1999 – Mika Hakkinen

1998 – Mika Hakkinen

1997 – Jacques Villeneuve

1996 – Damon Hill

1995 – Michael Schumacher

1994 – Michael Schumacher

1993 – Ayrton Senna

1992 – Nigel Mansell

1991 – Ayrton Senna

1990 – Alain Prost

1980 – Reneé Arnoux

1979 – Jacques Laffite

1977 – Carlos Reutemann

1976 – Niki Lauda

1975 – José Carlos Pace

1974 – Emerson Fittipaldi

1973 – Emerson Fittipaldi