Publicidade

GP Brasil 1989

Desde 1978, a Ferrari não ganhava uma corrida de Formula 1. O fim do jejum aconteceu no Brasil, no dia 26 de março de 1989. A equipe italiana tinha um carro novo, equipado com um revolucionário câmbio automático, e também um novo piloto. E foi ele, o leão Nigel Mansell,quem venceu a prova, que teve um começo tumultuado. Assim que foi dada a largada, tres carros se lançaram juntos para tomar a primeira curva: a McLaren de Ayrton Senna, a Ferrari de Gerhard Berger e a Williams de Riccardo Patrese.

Espremidos no lado de dentro da curva, Senna e Berger se chocaram e abandonaram a corrida. Patrese escapou da confusão e ficou em primeiro. A liderança do italiano durou até a volta 16, quando Mansell acelerou sua Ferrari para assumir a primeira colocação. Nem mesmo quando parou nos boxes e perdeu a posição para Alain Prost, o inglês se sentiu ameaçado. Ultrapassou rapidamente o piloto frances e partiu rumo à vitória. Quem ameaçou tomar o segundo lugar de Prost foi Maurício Gugelmin, pilotando a mesma March do ano anterior. Gugelmin só nao conseguiu passar Prost por causa da potência do motor Honda da McLaren. Foi a primeira vez que Maurício Gulgemin subiu ao pódio da Formula 1.