Rússia 2018

Data –30 de outubro de 2018

Circuito – Circuito de Sochi

Pista – 5.853 metros

Voltas – 53 – 310,209 km

Pole – Valtteri Bottas – Mercedes –1m31s387

Vencedor – Lewis Hamilton – Mercedes

Tempo – 1h27m25s181

Volta mais rápida –  Valtteri Bottas – Mercedes – 50 – 1m35s861

Líderes – Valtteri Bottas (1-11), Lewis Hamilton(12-14), Kimi Raikkonen (15-18), Max Verstappen  (19-42), Lewis Hamiton(43-53)

Corrida

Na volta 26 do GP da Rússia de 2018, no dia 30 de setembro, no circuito de Sochi, Valtteri Bottas era o segundo colocado, com chances de ganhar a corrida, quando recebeu ordem do chefe da equipe Mercedes, Toto Wolf, para dar passagem a Lewis Hamilton e garantir a vitória do líder do campeonato. O finlandês obedeceu a ordem da equipe, deu passagem e Hamilton, que assumiu a liderança da prova com a parada de Max Verstappen na volta 44, e cruzou a linha de chegada em primeiro, com o tempo de 1h27m25s181.

A decisão de Toto Wolf constrangeu até o próprio Lewis Hamilton. Depois da prova ele tentou escapar da entrevista com o ex-piloto Paul di Resta. No pódio, chamou o companheiro para ficar ao se lado no lugar mais alto e até tentou trocar os troféus com Bottas.  A imagem destacada pela televisão da F1 foi a de Toto Wolf com o dedo no botão que transmitia a ordem a Bottas.

Com a vitória, Hamilton aumentou para 50 pontos a sua vantagem sobre Sebastian Vettel, da Ferrari, que agora não depende só dele para uma possível conquista do campeonato. Vai precisar ganhar todas as cinco corridas que restam e torcer para que Hamilton tenha alguns contratempos e não seja pelo menos 2º colocado nessas provas.

O grande destaque da corrida em Sochi foi a atuação dos pilotos da Red Bull, especialmente Max Verstappen, apontado como o piloto do dia. Depois de largar da 19ª posição, o jovem holandês pulou para o 5º lugar já na 7ª volta e chegou à liderança, quando os líderes fizeram pit stop. Ele manteve a ponta até a volta 44, quando trocou os pneus macios por ultramacios, na tentativa de surpreender os rivais, todos com compostos macios, mais lentos. Todavia, o piloto da Red Bull não conseguiu sair na frente de Raikkonen e ficou preso atrás do finlandês até o fim da corrida, que completou em 5º. O outro piloto da Red Bull, Daniel Ricciardo, que largou da 18ª posição, por também ter feito troca de componentes do motor, chegou em 6º.

Na largada, Bottas sustentou tranquilamente a pole position, mas Hamilton teve dificuldades para se defender de Sebastian Vettel. O alemão da Ferrari chegou a colocar meio carro à frente do inglês, mas desistiu da disputa ainda antes da segunda curva. Ainda na largada, Leclerc passou por Magnussen, para ser o 5º colocado, depois de bandeira amarela no 1º setor, provocada por rodadas de Pierre Gasly e Brendon Hartley, que abandonaram a corrida.

Verstappen que ganhou 14 posições em 7 voltas, chegou ao terceiro lugar, na 15ª, com a parada de Bottas, na 13, e Vettel, na 14, para a troca dos pneus ultramacios  pelos macios.  A essa altura os cinco primeiros eram Hamilton, Raikkonen, Verstappen, Bottas e Vettel. Nessa mesma volta, Hamilton trocou os pneus ultramacios pelos macios e logo depois foi ultrapassado por Vettel. Na volta 16, porém, o inglês recuperou o 4º lugar e Vettel chegou a ser investigado sob a suspeita de ter mudado de linha mais de uma vez, para evitar a ultrapassagem.

Na volta 26, depois da Mercedes, a Racing Point/Force India também recorreu a ordem de equipe e acatou pedido de  Sergio Perez para passar por Esteban Ocon, na tentativa de ultrapassar Kevin Magnussen. Sem conseguir seu intento, o mexicano devolveu a posição na volta 38.

Com a troca de pneus, os pilotos da frente começaram a fazer voltas mais rápidas uma atrás da outra. Na 18, Bottas fez 1m38s535. Na 20, Raikkonen marcou 1m38s139; na 22 fez 1.38s025; na 28, 1m37s770 e na 35, 1m37s555, superando Vettel, que na 32 tinha cravado 1m32s750. A sucessão de voltas mais rápidas continuou com1m37s395, na 37, e 1m37s316, na 38,  de Hamilton; 1m37s116, de Vettel, na 39 e 1m36s345, de Ricciardo, na 42,. O festival continuou com novos recordes da pista de Lewis Hamilton, com o tempo de 1m36s185, na volta 45, e 1m36s137, na 49. Mas o melhor resultado acabou ficando com Valtteri Bottas, que conseguiu 1m35s861, na volta 50.

A partir da volta 45, depois pit stop de Verstappen, as posições se definiram e nem nos pelotões de trás houve mudanças.

A classificação ficou assim:

 

Posição Piloto Equipe Tempo Incidentes
Lewis Hamilton Mercedes 1h27m25s181
Valtteri Bottas Mercedes a 2s545
Sebastian Vettel Ferrari 7s487
Kimi Raikkonen Ferrari 16s543
Max Verstappen Red Bull 31s016
Daniel Ricciardo Red Bull 1m20s451
Charles Leclerc Sauber 1m38s390
Kevin Magnussen Haas 1 volta
Esteban Ocon Force India 1 volta
10º Sergio Peres Force India 1 volta
11º Romain Grosjean Haas 1 volta
12º Nico Hulkenberg Renault 1 volta
13º Marcus Ericsson Sauber 1 volta
14º Fernando Alonso McLaren 1 volta
15º Lance Stroll Williams 1 volta
16º Stoffel Vandoorne McLaren 2 voltas
17º Carlos Sainz Jr Renault 2 voltas
18º Sergey Sirotkin Williams 2 voltas
Não completaram
Brendon Hartley Toro Rosso  1-rodada
Pierre Gasly Toro Rosso 1-rodada

 

A classificação do campeonato ficou assim:

Pilotos

Posição Piloto Equipe Pontos
Lewis Hamilton Mercedes 306
Sebastian Vettel Ferrari 256
Valtteri Bottas Mercedes 189
Kimi Raikkonen Ferrari 186
Max Verstappen Red Bull 158
Daniel Ricciardo Red Bull 134
Kevin Magnussen Haas 53
Nico Hulkenberg Renault 53
Fernando Alonso McLaren 50
10º Sergio Perez Racing Point 47
11º Esteban Ocon Racing Point 47
12º Carlos Sainz Jr Renault 38
13º Pierre Gasly Toro Rosso 28
14º Romain Grosjean Haas 27
15º Charles Leclerc Sauber 21
16º Stoffel Vandoorne McLaren 8
17º Lance Stroll Williams 6
18º Marcus Ericsson Sauber 6
19º Brendon Hartley Toro Rosso 2
20] Sergey Sirotkin Williams 1

Equipes

 

Posição Equipe Pontos
Mercedes 495
Ferrari 442
Red Bull 292
Renault 91
Haas 80
McLaren 58
Racing Point 35
Toro Rosso 30
Sauber 27
10º Williams 7