Itália – 2017

Data – 3 de setembro de 2017

Circuito – Autódromo de Monza

Pista –  5,793 km

Voltas – 53 – 306,720 km

Pole – Lewis Hamilton – Mercedes – 1m35s544

Vencedor – Lewis Hamilton

Tempo – 1h15m32s312

Volta mais rápida – Daniel Ricciardo – Red Bull – 44 – 1m23s2361

Líder –  Lewis Hamilton (1-33), Valtteri Bottas (34-35)

Qualificação

Num treino de classificação conturbado, que demorou mais de três horas, por causa da chuva, Lewis Hamilton superou o recorde de Michael Schumacher, conquistando a pole position para o Grande Prêmio da Itália, no circuito de Monza. Com o tempo de 1m35s554, o piloto inglês da Mercedes obteve a 69ª primeira colocação do grid, superando as 68 do heptacampeão mundial, recorde que vigorava desde o GP da França de 2006. Sebastian Vettel, líder do campeonato, foi 8º no treino, mas vai largar da 6ª posição, beneficiado pelas punições a Max Verstappen e Daniel Ricciardo, da Red Bull, que foram 2º e 3º, respectivamente na classificação. Verstappen perdeu 15 posições e Ricciardo, 20, por troca de componentes da unidade de potência.

A punição aos dois pilotos da Red Bull provocou a maior surpresa para a corrida deste domingo. O jovem Lance Stroll, da Williams, que foi 4º colocado no treino, vai largar da 2ª posição, na primeira fila, ao lado de Hamilton. E Esteban Ocon, da Force India, 4º colocado, largará da 3ª posição. Valtteri Bottas, companheiro de Hamilton na Mercedes, larga da 4ª posição à frente de Kimi Raikkonen e Vettel, e Felipe Massa será o 7º, na frente de Stoffel Vandoorne.

O treino de classificação teve um desenvolvimento caótico, desde o início, por causa da chuva e de um acidente sofrido por Romain Grosjean, que sob forte aguaceiro, aquaplanou, foi de encontro à barreira esquerda da pista, voltou à do lado direito e ficou parado na grama.  O acidente e a continuação da chuva provocaram a suspensão da Q1 faltando 13 minutos e 31 segundos para seu final. A partir daí e, por duas horas e 11 minutos, a direção da prova fez várias vistorias na pista, com o carro de segurança, adiou por várias vezes o reinicio do treino e só fez isso após passar o trator com escovões, sugadores e até vassouras para secar o asfalto. Enquanto isso acontecia, os pilotos entravam e saiam dos carros à espera da ordem de volta à pista, até desistirem e se dedicarem a outras coisas. Vettel saudava os tifosi italianos; Hamilton postava fotos no Instagram e depois jogava videogame com Bottas. Verstappen e Ricciardo se tornaram cinegrafistas, com o australiano, sem disfarçar, filmava o carro de Hamilton. E o pessoal da Williams, Felipe Massa e o filho Felipinho entre eles, bateu bola em frente à garagem da equipe. Massa chegou a fazer uma jogada de efeito, repetida pela TV, tocando à bola com uma chaleira por trás do corpo.

A Q1 começou exatamente no horário, às 9 horas do Brasil, depois de uma inspeção da FIA mostrar que, apesar da chuva, a pista estava em condições. Todavia, com todos os pilotos na pista, com pneus azuis, para pista encharcada, a realidade era outra. Muitos aquaplanaram, a maioria não tinha boa visibilidade, devido ao spray, e o resultado foi o acidente com Grosjean e a interrupção do treino.   Logo no inicio, Hamilton cravou 1m40s128 e assumiu a liderança, com 22s266 à frente de Vettel. Atrás dos dois, só mais sete pilotos tinham tempo registrado quando houve a interrupção: Grosjean, Bottas, Sainz, Raikkonen, Magnussen, Kvyat e Massa. No reinicio, às 11 e 40, no Brasil, Vettel fez 1m38s285 Bottas, 1m37s193, mas Hamilton baixou o tempo para 1m36s981 e depois 1m36s009, assumia a liderança da etapa, seguido de Bottas, com 1m36s582, e Vettel, que numa outra tentativa fez 1m37s499, Verstappen, Stroll, Ricciardo, Massa, Perez, Vandoorne e Ocon. No final, porém, Bottas marcou 1m35s716, tomando a primeira colocação do companheiro. Foram eliminados Palmer, Magnussen, Wehrlein, Ericsson e Grosjean.

Para a Q2, a maioria dos pilotos continuou com pneus de chuva forte, mas alguns optaram pelos intermediários e tiveram problemas, escapando a pista, especialmente na Parabólica, como Vandoorne, Raikkonen e Massa. Vettel e Hamilton disputaram palmo a palmo a liderança da etapa. O alemão assumiu a ponta, com 1m36s787, o inglês repetiu o 1m36s009 da Q1; Vettel respondeu cm 1m36s263, mas Hamilton liquidou a fatura com 1m35s344. Lance Stroll, que já havia surpreendido na Q1, voltou a se colocar bem, na 4ª posição e Felipe Massa, que esteve ameaçado de degola, no final, pulou do 14º para 7º lugar. Caíram Perez, Hulkenberg, Alonso, Kvyat e Sainz.

O treino, de novo sob forte chuva, culminou com uma confusão do sistema de cronometragem, que atribuiu tempos estapafúrdios como 1m34s660 para Hamilton e, de repente, mostrava Ricciardo na ponta, com 1m37s. Essa falha tornou ainda mais emocionante o desfecho do treino, pois não se sabia, quem realmente estava na frente. A situação só se esclareceu quando foi mostrado que Verstappen ocupava a primeira colocação, com 1m36s113, até, na volta final, Lewis Hamilton cravar o 1m35s554, que lhe garantiu o recorde de 69 poles position.

Grid 

1 Lewis Hamilton

Mercedes

1m35s544

2 Lance Stroll

Williams

1m37s932

3 Esteban Ocon

Force India

1m37s719

4 ‘Valtteri Bottas

Mercedes

1m37s833

5 Kimi Raikkonen

Ferrari

1m37s987

6 Sebastian Vettel

Ferrari

1m38s064

7 Felipe Massa

Williams

1m38s251

8 Daniil Kvyat

Toro Rosso

1m38s245

9 Magnussen

Haas

1m40s489

10 Sergio Perez

Force India

1m37s582

11 Marcus Ericsson

Sauber

1m41s732

12 Pascal Wehrlein

Sauber

1m41s875

13 Max Verstappen

Red Bull

1m36s702

14 Nico Hulkenberg

Renault

1n38s059

15 Carlos Sainz Jr.

Toro Rosso

1m38s526

16 Daniel Ricciardo

Red Bull

1m36s841

17 Jolyon Palmer

Renault

1m40s646

18 Stoffel Vandoorne

McLaren

1m38s157

19 Fernando Alonso

McLaren

1m38s202

20 Romain Grosjean

Haas

1m43s365

Corrida

Lewis Hamilton, da Mercedes, venceu o GP da Itália, no dia 3 de setembro e assumiu pela primeira vez a liderança do campeonato da F1 de 2017, com 3 pontos de vantagem sobre Sebastian Vettel, da Ferrari. Com a 59ª vitória na careira e 6ª na temporada, em 1h24m24s346, o piloto inglês totalizou 238 pontos, contra 235 do rival, que largou da 6ª posição e foi o terceiro colocado na corrida no circuito de Monza. Valtteri Bottas foi o segundo colocado, a 4s471 do companheiro de equipe completando a dobradinha da Mercedes.

Hamilton teve uma vitória tranquila, de ponta a ponta; Bottas e Vettel ganharam posições, mas o grande nome da corrida em Monza foi Daniel Ricciardo, da Red Bull. Depois de largar da 16ª posição, para pagar perda de 25 posições, por troca de componentes da unidade de potência, fez uma bela corrida de recuperação, chegando no 4º lugar, a apenas 3s5 de Vettel. Além disso, fez a volta mais rápida, na 51, com 1m23s361. Já o companheiro dele, Max Verstappen, chamou a atenção pelo lado negativo.

Demonstrando que não está nas melhores condições psicológicas, o jovem belgo-holandês provocou os dois incidentes mais significativos da corrida. Na largada, tocou em Felipe Massa, mas levou a pior, com um pneu furado e a necessidade de parar para fazer a troca. Com isso perdeu as várias posições que tinha ganhado, depois de largar da 13ª, também para cumprir punição por troca de peças do motor. O outro incidente com Verstappen aconteceu na volta 48, quando dentro da curva, ele jogou Kevin Magnussen para fora da pista.

A prova de Monza a 13ª do campeonato chamou a atenção pelo número de punições, que alterou completamente a ordem estabelecida pelo treino de classificação. Sergio Perez foi punido com 5 posições e largou da 10ª. Verstappen perdeu 20 e saiu da 13ª; Nico Hulkenberg perdeu 10 e largou da 14ª; Carlos Sainz foi punido com 10 posições e largou da 15ª; Daniel Ricciardo perdeu 25 e saiu da 16ª posição; Jolyon Palmer perdeu 15 e saiu da 17ª posição; Stoffel Vandoorne perdeu 25 e saiu da 18ª; Fernando Alonso, foi punido com 35 posições e foi o 19º e Romain Grosjean que ficou sem tempo na classificação, foi o 20º do grid.

Além dessas alterações, os dois incidentes de Verstappen e algumas boas ultrapassagem, principalmente de Ricciardo, foi uma corrida monótona, especialmente a partir da 10º volta, com as primeiras posições praticamente definidas. Na largada, Hamilton manteve folgadamente a condição de pole position e Ocon passou por Stroll, para ocupar a segunda posição. Massa, 8º, e Perez, que pulou da 10ª para a 9ª posição, se tocaram, mas nenhum dos dois sofreu prejuízo no carro ou na colocação.

Na 2ª volta, Bottas passou por Raikkonen e Verstappen ultrapassou Perez, antes de bater em Massa. Na 2ª volta, Bottas superou Ocon e assumiu o segundo lugar, que manteria até o final. Na 8ª volta, Ocon foi ultrapassado também por Vettel, que assumiu o 3º lugar. Depois de 10 voltas, os 10 primeiros eram Hamilton, Bottas, Vettel, Ocon, Stroll, Raikkonen, Massa, Perez, Ricciardo e Kvyat.

Até a volta 15. Hamilton estabeleceu por três vezes a volta mais rápida, a última com 1m24s928. Na 17, com parou, voltando em 10º, permitindo que Massa pulasse para o 5º lugar e Ricciardo para o 6º. Na 18, Stroll fez sua parada e o atraso da equipe de box o fez voltar na 11ª posição. Na volta 20, os primeiros eram Hamilton, Bottas, Vettel, Massa, Ricciardo, Perez, Vandoorne, Ocon, Grosjean, Raikkonen e Stroll.

Massa parou na 22ª volta e voltou em 10º. Hamilton parou na 33 e Bottas, na 34 e ambos mantiveram as posições de liderança. Ricciardo fez sua parada na volta 38 e, com pneus macios, voltou no 5º lugar, ainda à frente de Stroll, Ocon e Massa. Logo, ele fez uma bela ultrapassagem sobre Raikkonen, na entrada da chicane e garantiu o 4º lugar. Verstappen também se garantiu na zona de pontuação ao ultrapassar Magnussen e obter o 10º lugar.

Depois de Hamilton e os outros primeiros cruzarem a linha de chegada, Stroll, Massa e Perez proporcionaram talvez o melhor momento da corrida, numa disputa renhida pela 7ª posição. Massa pressionou fortemente o companheiro e, apesar de ter chegado nele não conseguiu passar, até porque também tinha de se preocupar com a pressão de Perez.

A classificação final do GP da Itália foi a seguinte:

 

Pos. Piloto Equipe Tempo
Lewis Hamilton Mercedes 1m15m32s312
Valtteri Bottas Mercedes a 4s471
Sebastian Vettel Ferrari 36s317
Daniel Ricciardo Red Bull 40s335
Kimi Raikkonen Ferrari 1m00s082
Esteban Ocon Force India 1m11s528
Lance Stroll Williams 1m14s156
Felipe Massa Williams 1m14s834
Sergio Perez Force India 1m15s276
10º Max Verstappen Red Bull 1 volta
11º Kevin Magnussen Haas 1 volta
12º Daniil Kvyat Toro Rosso 1 volta
13º Nico Hulkenberg Renault 1 volta
14º Carlos Sainz Toro Rosso 1 volta
15º Romain Grosjean Haas 1 volta
16º Pascal Wehrlein Sauber 2 voltas
Não completaram
Fernando Alonso McLaren
Marcus Ericsson Sauber
Stoffel Vandoorne McLaren
Jolyon Palmer Renault

 CLASSIFICAÇÃO

Pilotos

Posição Piloto Pontos
Lewis Hamilton 238
Sebastian Vettel 235
Valtteri Bottas 197
Daniel Ricciardo 144
Kimi Raikkonen 138
Max Verstappen 68
Sergio Perez 58
Esteban Ocon 55
Carlos Sainz 36
10º Nico Hulkenberg 34
11º Felipe Massa 31
12º Romain Grosjean 24
13º Lance Stroll 24
14º Kevin Magnussen 11
15º Fernando Alonso 10
16º Pascal Wehrlein 5
17º Daniil Kvyat 4
18º Stoffel Vandoorne 1
19º Jolyon Palmer 0
20º Marcus Ericsson 0
21º Antonio Giovinazzi 0
22º Jenson Button 0
23º Paul Di Resta 0

 

Equipes

Posição Equipe Pontos
Mercedes 435
Ferrari 373
Red Bull 212
Force India 113
Williams 55
Toro Rosso 40
Haas 35
Renault 34
 9º McLaren 11
10º Sauber  5