Cingapura – 2019

Data – 22 de setembro de 2019
Circuito – Marina Bay
Pista – 5.065 metros
Voltas – 61 – 308, 828 km
Pole – Charles Leclerc – Ferrari – 1m36s217
Vencedor – Sebastian Vettel – Ferrari
Tempo – 1h58m33s667

Volta mais rápida – Kevin Magnussen – Haas – 58 – 1m42s301

Qualificação

Com o tempo de 1m36s217, Charles Leclerc foi o mais rápido da etapa de qualificação para o GP de Cingapura, conquistando a terceira pole position consecutiva no campeonato da F1 de 2019 e a quinta da sua carreira. O piloto monegasco da Ferrari superou por 0s191 a Lewis Hamilton, da Mercedes, que, com 1m36s408, vai completar a primeira fila do grid de Marina Bay. Sebastian Vettel, que tinha a pole provisória até faltarem apenas 2 minutos para o final da Q3, escorregou na curva, abortou a última tentativa e acabou em 3º, com 1m36s437.

Charles Leclerc já tinha sido o mais rápido também no terceiro treino livre, com dois décimos à frente de Hamilton e um segundo para Verstappen, superando problemas de carga aerodinâmica enfrentados pela Ferrari.

A primeira etapa da qualificação, a Q1, começou com temperatura ambiente de 30 graus e 35 graus na pista. Como de costume, o primeiro a sair para a pista foi Robert Kubica, que dois dias antes confirmou que não continuará na Williams, em 2020. Ele foi seguido pelos dois carros da Alfa Romeo e Sergio Perez, que já sabia que perderia 5 posições por troca da caixa de câmbio.

Lewis Hamilton e Bottas saíram com pneus médios, enquanto Vettel, Leclerc, Verstappen e Albon optaram pelos macios. Leclerc logo assumiu a liderança da etapa, com 1m38s014, contra 1m38s540 de Verstappen; 1m38s623, de Bottas e 1m38s763, de Hamilton. A primeira tentativa de Vettel não foi boa e, com 1m38s939, ficou atrás até de Carlos Sainz, com 1m38s623. Ele foi, porém, o único a fazer uma segunda tentativa e, com uma volta limpa, fez 1m38s374, passou ao segundo lugar, 0s360 de vantagem sobre Leclerc e 0s166 à frente de Verstappen.

Nos últimos minutos da fase, Bottas e Hamilton fizeram uma segunda tentativa, agora com pneus macios, e passaram a 1º e 2º, com 1m37s317 e 1m37s565, respectivamente. A Mercedes era 7 décimos mais rápida do que a Ferrari, com vantagem principalmente no último setor, onde o W10 era 3 décimos mais rápido. Raikkonen e Magnussen escaparam do corte no último minuto e Kvyat, Stroll, Grosjean, Russell e Kubica não passaram à Q2.

A Q2 começou com 34 graus na pista e todos os pilotos com pneus macios. Hamilton foi o primeiro a deixar a pit lane e nos primeiros 3 minutos todos os carros estavam na pista, provocando intenso tráfico. O piloto da Mercedes foi também o primeiro a ter o tempo registrado, marcando 1m37s016. Em seguida, Bottas, na segunda volta lançada, fez 1m37s072, mas os dois foram superados por Leclerc, que cravou 1m36s930 e depois 1m36s650. Verstappen tomou a 3ª posição de Bottas, com 1m37s089, mas os dois foram superados por Vettel, que assumiu o segundo lugar, com 1m36s720, jogando Hamilton para a 3ª posição, com 1m36s933. Os 5 primeiros colocados foram então Leclerc, Vettel, Hamilton, Verstappen e Bottas. Foram eliminados Perez, Giovinazzi, Gasly, Raikkonen e Magnussen.

Na Q3, o primeiro a ir para a pista foi Carlos Sainz, que usou os pneus macios usados, deixando um jogo novo para uma segunda tentativa. Vettel saiu à frente de Leclerc e Bottas, e Hamilton ficou preso atrás de pilotos mais lentos, entre ele Verstappen. Vettel estabeleceu a pole provisória com 1m36s437, 0s354 à frente de Leclerc, que tinha 1m36s791. Atrás deles estavam Verstappen, com 1m36s817; Hamilton, 1m37s447; Bottas, 1m37s483, e Albon, 1m37s964. Sainz, Norris, Ricciardo e Hulkenberg completavam a classificação.

Depois de uma parada nos boxes, ao faltaram 4 minutos para o final da qualificação, todos os carros voltaram à pista para uma última tentativa. Vettel foi o primeiro a iniciar uma volta lançada, mas logo na segunda curva, escorregou e teve de abortar a tentativa. E foi aí que Leclerc mostrou toda a sua força, batendo os recordes dos primeiro e segundo setores e fechando a volta em 1m36s217. Hamilton perdeu dois décimos no primeiro setor, não melhorou nos dois últimos e acabou mesmo na segunda posição, com 1m36s408. Com o tempo da primeira volta, Vettel garantiu a terceira posição.

Grid

Posição Piloto Equipe Tempo
Charles Leclerc Ferrari 1m36s217
Lewis Hamilton Mercedes 1m36s408
Sebastian Vettel Ferrari 1m36s437
Max Verstappen Red Bull 1m36s813
Valtteri Bottas Mercedes 1m37s146
Alexander Albon Red Bull 1m37s411
Carlos Sainz McLaren 1m37s818
Nico Hulkenberg Renault 1m38s264
Lando Norris McLaren 1m38s329
10º Antonio Giovinazzi Alfa Romeo 1m38s697
11º Pierre Gasly Toro Rosso 1m38s699
12º Kimi Raikkonen Alfa Romeo 1m38s858
13º Kevin Magnussen Haas 1m39s650
14º Daniil Kvyat Toro Rosso 1m39s957
15º Sergio Pere3z Racing Point 1m38s620
16º Lance Stroll Racing Point 1m39s979
17º Romain Grosjean Haas 1m40s177
18º George Russell Williams 1m40s867
19º Robert Kubica Williams 1m41s186
20º Daniel Ricciardo Renault desclassicado

Sergio Perez perdeu 5 posições, por troca da caixa de câmbio. Daniel Ricciardo foi desclassificado, por passar de 120m kw no fornecimento de energia pelo MGU-K, e largou da 20ª posição.

Corrida

Sebastian Vettel quebrou um jejum de 23 corridas, desde o GP da Bélgica de 2018, e conquistou a primeira vitória da temporada de 2019 da F1, a 53ª da carreira, ao vencer GP de Cingapura, no circuito de Marina Bay. O piloto alemão resistiu à pressão de Charles Leclerc depois de três entradas do safety car, para cruzar a linha de chegada em 1h58m33s667. Antes, quando Leclerc fez sua parada, no final da volta 20, Vettel, que parou no começo da volta, já havia superado o companheiro na pista, para assumir a liderança da prova, mantendo-a até o final. Foi a terceira vitória consecutiva da Ferrari, depois de Spa e Monza.

Leclerc completou a dobradinha da Ferrari, a primeira no circuito de Marina Bay, e a primeira também desde o GP da Hungria de 2017. Max Verstappen, com uma corrida discreta, porém consistente, ocupou o terceiro lugar no pódio; Lewis Hamilton, que não conseguiu superar Leclerc e depois Verstappen, terminou em 4º e Valtteri Bottas em 5º. Alexander Albon, Lando Norris, Pierre Gasly, Nico Hulkenberg e Antonio Giovinazzi completaram a zona de pontuação.

Giovinazzi, que ocupou a liderança da 27ª à 31ª volta, foi o primeiro italiano a liderar uma corrida da F1, desde 2009. Kevin Magnussen, que foi o 17º colocado, fez, na 59ª, a volta mais rápida, com 1m42s301, mas não ganhou o ponto de bonificação, reservado aos 10 primeiros.

A largada foi normal, com todos os carros da ponta mantendo as respectivas posições só havendo disputas no pelotão de trás. Vettel chegou a se emparelhar com Hamilton, mas ficou só na tentativa. Ricciardo, que largava da 20ª posição, bateu em Russell e quebrou a suspensão do carro da Williams. Sainz e Hulkenberg também se tocaram e o piloto espanhol teve um pneu furado, caindo para o último lugar.

Nas voltas 8 e 9, Hamilton se aproximou de Leclerc, mas, não teve oportunidade de usar a asa móvel para ultrapassar o monegasco. Na volta 10, Ricciardo usa o DRS para passar por Kvyat e Stroll aproveita para também tomar a posição do piloto russo. Leclerc impôs o ritmo da corrida nas primeiras 18 voltas, com tempos 12 ou 13 segundos mais lentos do que o da pole, economizando pneus e combustíveis.

A monotonia da corrida começou a ser quebrada na volta 19, quando Vettel fez sua parada, colocando pneus duros, e Leclerc fez o mesmo no final da volta 20. O alemão conseguiu passar à frente do companheiro, em 7º, quando este deixava a pit lane, na 8ª posição. A estratégia da Ferrari não agradou Leclerc, que disse não achar justa a decisão e querer explicações depois da corrida.

Depois da parada de Hamilton, Verstappen e Bottas, na 25ª volta a corrida de Cingapura passou a ter uma liderança improvável: Giovinazzi, Gasly, Ricciardo e Stroll. Essa situação perdurou até a volta 31, quando Vettel passou por Giovinazzi e assumiu a ponta. Duas voltas depois, Leclerc também passou pelo italiano e completou a dobradinha da Ferrari.

Na volta 35, o carro de segurança fez sua primeira entrada na pista, depois de um choque entre Grosjean e Russell; na volta 43, fez a segunda, quando Perez parou o carro em lugar perigoso, e na 57 entrou pela 3ª vez, após choque entre Kvyat e Raikkonen. Nas três relargadas, Leclerc tentou ultrapassar Vettel, que fazia uma corrida perfeita, sem erros, e baixou a pressão quando o engenheiro Laurent Mekies, pelo rádio, pediu que os dois pilotos “levassem o carro pra casa”. Na chegada, Leclerc não escondeu a decepção, balançando a cabeça em sinal negativo.

Resultados

Posição Piloto Equipe Tempo
Sebastian Vettel Ferrari 1h58m33s667
Charles Leclerc Ferrari a 2s641
Max Verstappen Red Bull 3s821
Lewis Hamilton Mercedes 4s608
Valtteri Bottas Mercedes 6s119
Alexander Albon Reed Bull 11s663
Lando Norris McLaren 14s769
Pierre Gasly Toro Rosso 15s547
Nico Hulkenberg Renault 16s718
10º Antonio Giovinazzi Alfa Romeo 17s855
11º Romain Grosjean Haas 35s436
12º Carlos Sainz McLaren 35s974
13º Lance Stroll Racing Point 36s419
14º Daniel Ricciardo Renault 37s660
15º Daniil Kvyat Toro Rosso 38s178
16º Robert Kubica Williams 47s024
17º Kevin Magnussen Haas 1m26s522
Não completaram
Kimi Raikkonen Alfa Romeo 49
Sergio Perez Racing Point 42
George Russell Williams 34

Classificação

Pilotos

Posição Piloto Pontos
Lewis Hamilton 296
Valtteri Bottas 231
Charles Leclerc 200
Max Verstappen 200
Sebastian Vettel 194
Pierre Gasly 69
Carlos Sainz 58
Alexander Albon 32
Daniel Ricciardo 34
10º Daniil Kvyat 33
11º Nico Hulkenberg 33
12º Lando Norris 31
13º Kimi Raikkonen 31
14º Sergio Perez 27
15º Lance Stroll 19
16º Kevin Magnussen 18
17º Romain Grosjean 8
18º Antônio Giovinazzi 4
19º Robert Kubica 1
20º George Russell 0

Equipes

Posição Equipe Pontos
Mercedes 527
Ferrari 394
Red Bull 289
McLaren 89
Renault 67
Toro Rosso 55
Racing Point 46
Alfa Romeo 35
Haas 26
10º Williams 1