Canadá 2018

Data – 11 de junho de 2018
Circuito – Circuito Gilles Villeneuve – Montreal

Pista – 4.361 metros

Voltas – 70 – 305,270 km

Pole – Sebastian Vettel  – Ferrari – 1m10s764

Vencedor –  Sebastian Vettel – Ferrari

Tempo – 1h28m31s37

Volta mais rápida – Max Verstappen – Red Bull –  65  – 1m13s864

Líder – Sebastian Vettel (1-68)

 Qualificação

Com uma volta excepcional, que estabeleceu novo recorde para a pista do Circuito Gilles Villeneuve, Sebastian Vettel, da Ferrari, conquistou a pole position para o Grande Prêmio do Canadá. O piloto alemão fez o extraordinário tempo de 1m10s764 na última volta lançada da Q3 e ficou 0s093 a frente do segundo colocado, Valtteri Bottas, da Mercedes. Foi a 54ª pole da carreira de Vettel. Lewis Hamilton e Max Verstappen formaram a segunda fila e Kimi Raikkonen que, na última volta rápida ainda tentava a ponta, passou pela grama na saída da chicane e ficou em 5º, à frente de Daniel Ricciardo. O carro de Romain Grosjean teve uma falha de motor quando deixou o pit lane no Q1, não conseguiu marcar tempo de volta, mas foi autorizado a correr.

Q1 – A primeira fase da qualificação começou com uma o motor Ferrari da Haas de Romain Grosjean soltando muita fumaça quando ele deixava a garagem, por causa de um vazamento de óleo, que atingiu as partes quentes do carro e causou a fumaça. Todos os pilotos entraram na pista com pneus hipermacios e a Ferrari começou dominando. Vettel cravou 1m12s110, mas logo em seguida Raikkonen fez 1m12s050. Na sequência de voltas, o alemão melhorou para 1m11s824, enquanto o finlandês foi mais veloz, com 1m11s725. Ainda com o mesmo jogo de pneus, Vettel fez 1m11s710. Verstappen chegou a fazer o melhor primeiro setor, mas ficou a 0s298 da marca de Vettel, em quarto, enquanto Bottas foi 0s058 mais rápido. Hamilton cometeu um pequeno erro e ficou em quinto, à frente de Ricciardo. No seu 300º GP, Fernando Alonso, até o último minuto, esteve sob risco de não passar à Q2, mas acabou chegando no 14º, à frente de seu companheiro de McLaren Stoffel Vandoorne. Foram eliminados Pierre Gasly, Lance Stroll, Sergey Sirotkin, Marcus Ericsson e Romain Grosjean.

Q2 – Para a Q2, os pilotos da Mercedes e da Ferrari trocaram os pneus supermacios pelos ultramacios, com os quais pretendiam fazer a melhor volta e fazer a largada, como manda o regulamento. Vettel e Raikkonen começaram mais rápidos, mas Bottas assumiu o primeiro lugar, enquanto Hamilton errou e ficou apenas em 4º na primeira rodada de tentativas. A Red Bull optou por continuar com os supermacios, os mais aderentes no fim de semana. Ricciardo inicialmente não teve muito sucesso e ficou em sexto, mas Verstappen assumiu o primeiro lugar, 0s042 à frente de Bottas. Na segunda rodada de tentativas, enquanto os pilotos de Ferrari e Mercedes não melhoraram com os supermacios, Ricciardo estabeleceu a melhor marca da história do circuito Gilles Villeneuve, com 1m11s434, superando o tempo de Verstappen por 0s038. A McLaren, que passou raspando pelo Q1, se afundou na Q2, com Alonso no 14º e Stoffel, em 15º, justamente no aniversário de 50 anos da primeira vitória da equipe, no GP da Bélgica de 1968, com o fundador Bruce McLaren.  Além dos dois, foram eliminados Kevin Magnussen, Brendon Hartley, Charles Leclerc.

Q3 – A última etapa de qualificação começou com as duplas de Ferrari e Mercedes de volta aos supermacios. Bottas fez uma excelente volta de 1m10s857, melhorando a marca anterior de Ricciardo, mas logo em seguida, Vettel assumiu a pole provisória, 0s081 à frente do finlandês, com Raikkonen em terceiro. Na última tentativa, Hamilton chegou a fazer seus dois melhores primeiros setores, mas, como já tinha acontecido na Q2, travou os pneus no cotovelo e perdeu tempo. Vettel foi ainda mais veloz e consolidou a pole position com 1m10s764, o melhor tempo já registrado em 40 anos no circuito Gilles Villeneuve.

  Grid 

1 Sebastian Vettel

Ferrari

1m10s764

2 Valtteri Bottas

Mercedes

1m10s857

3 Max Verstappen

Red Bull

1m10s937

4 Lewis Hamilton

Mercedes

1m10s996

5 Kimi Raikkonen

Ferrari

1m11s095

6 Daniel Ricciardo

Red Bull

1m11s116

7 Nico Hulkenberg

Renault

1m11s973

8 Esteban Ocon

Force India

1m12s084

9 Carlos Sainz Jr

Renault

1m12s168

10 Sergio Perez

Force India

1m12s671

11 Kevin Magnussen

Haas

1m12s606

12 Brendon Hartley

Toro Rosso

1m12s635

13 Charles Leclerc

Sauber

1m12s661

14 Fernando Alonso

McLaren

1m12s856

15 Stoffel Vandoorne

McLaren

1m12s865

16 Lance Stroll

Williams

1m13s390

17 Sergey Sirotkin

Williams

1m13s643

18 Marcus Ericsson

Haas

1m14s593

19 Pierre Gasly

Toro Rosso

1m13s047

20 Romain Grosjean

Haas

Sem tempo

Pierre Gasly perdeu 10 posições por troca de motor. Romain Grosjean não conseguiu tempo na classificação

Corrida

O Grande Prêmio do Canadá de 2018, a sétima Campeonato Mundial de Fórmula 1 do ano, no Circuito Gilles Villeneuve, foi vencido por Sebastian Vettel, da Ferrari, que comemorou a sua 50ª vitória e a primeira da Ferrari em Montreal, desde a de Michael Schumaker, em 2004. Na véspera, o piloto alemão já tinha conquistado a primeira pole position para a equipe italiana depois de17 anos. Vettel completou as 70 voltas do percurso em 1h28m31s377, com 7s376 de vantagem sobre o segundo colocado, Valtteri Bottas, e 8s360 sobre Max Verstappen, que completaram o pódio. Fernando Alonso, que comemorava seu 300º Grande Prêmio, abandonou a corrida na volta 40, por problema no exaustor.

No final, a bandeira quadriculada foi erroneamente sacudida pela modelo Winnie Harlow antes de o líder da corrida Vettel iniciar a volta 70. Assim a corrida terminou na volta 69 e, conforme o artigo 43.2 das regras esportivas da Fórmula 1, para a classificação final foram consideradas as posições da volta 68. Assim, as voltas mais rápidas de Ricciardo nas voltas 69 e 70 foram anuladas, e a ultrapassagem de Sergio Pérez por Kevin Magnussen para o 13º lugar não foi válida. A última vez que isso havia acontecido na Fórmula 1 foi em 2014, no GP da China.

O Grande Prêmio do Canadá de 2018, a sétima Campeonato Mundial de Fórmula 1 do ano, no Circuito Gilles Villeneuve, foi vencido por Sebastian Vettel, da Ferrari, que comemorou a sua 50ª vitória e a primeira da Ferrari em Montreal, desde a de Michael Schumaker, em 2004. Na véspera, o piloto alemão já tinha conquistado a primeira pole position para a equipe italiana depois de17 anos. Vettel completou as 70 voltas do percurso em 1h28m31s377, com 7s376 de vantagem sobre o segundo colocado, Valtteri Bottas, e 8s360 sobre Max Verstappen, que completaram o pódio. Fernando Alonso, que comemorava seu 300º Grande Prêmio, abandonou a corrida na volta 40, por problema no exaustor.

No final, a bandeira quadriculada foi erroneamente sacudida pela modelo Winnie Harlow, antes de o líder da corrida Vettel iniciar a volta 70. Assim a corrida terminou na volta 69 e, conforme o artigo 43.2 das regras esportivas da Fórmula 1, para a classificação final foram consideradas as posições da volta 68. As voltas mais rápidas de Ricciardo nas voltas 69 e 70 foram anuladas, e a ultrapassagem de Sergio Pérez por Kevin Magnussen para o 13º lugar não foi válida. A última vez que isso havia acontecido na Fórmula 1 foi em 2014, no GP da China.

Na largada, o pole Sebastian Vettel saiu bem e impediu ataque de Valtteri Bottas, que, por seu lado teve de controlar investida de Max Verstappen. O holandês contornou o primeiro S ao lado do finlandês, mas, na sequencia, teve de tirar o carro, ficando mesmo em terceiro. Lewis Hamilton largou com cuidado e chegou a ter a Ferrari de Kimi Räikkönen a seu lado, mas o finlandês perdeu a disputa e acabou cedendo o 5º lugar para Daniel Ricciardo. Um pouco atrás, Esteban Ocon ultrapassou Nico Hülkenberg e assumiu o sétimo posto. Carlos Sainz, Sergio Pérez e Charles Leclerc completavam os de dez primeiros. Mas ainda na primeira volta, na aproximação da curva 6, Lance Stroll se queixou de um pneu furado e perdeu o controle do carro e espremeu contra o muro Brendon Hartley, que tentava a ultrapassagem por fora. O carro da Toro Rosso voou e caiu com a asa dianteira sobre da Williams. Os dois pilotos tiveram que abandonar a corrida e a direção da prova impôs a entrada do safety car para limpeza da área de escape. Stoffel Vandoorne, com um furo no pneu, e Marcus Ericsson aproveitaram para colocarem compostos supermacios. O carro de segurança ficou à frente do pelotão até a volta 4 e quando deixou a pista, Vettel soube relargou sem qualquer ameaça. Bottas, Verstappen, Hamilton, Ricciardo, Räikkönen, Ocon e Hülkenberg completavam os oito primeiros. Mais atrás, Sainz tentou superar Pérez, mas ambos acabaram se tocando, com prejuízo do mexicano, que escapou na primeira curva, retornando na 13ª posição. Os primeiros pit stops entre os ponteiros aconteceram na volta 17. Verstappen trocou os ultramacios pelos supermacios. Hamilton fez o mesmo, mas na saída da pit lane quase rodou ao pisar na grama e perdeu a posição para Ricciardo, também tinha trocado os ultramacios por supermacios novos. A Mercedes antecipou o pit stop de Hamilton, porque o carro apresentava uma falha do sistema de refrigeração. Na parada, a equipe alemã conseguiu corrigir o problema, mas o inglês perdeu tempo demais nos boxes. Na 20ª volta a ordem era a seguinte: Vettel, Bottas, Räikkönen, Verstappen, Ricciardo, Hamilton, Gasly, Magnussen, Grosjean, Hülkenberg, Sainz, Ocon, Alonso, Leclerc, Sirotkin, Pérez, Ericsson e Vandoorne.. Enquanto Vettel comandava a corrida mantendo Bottas 4s atrás, Räikkönen vinha mais distante e Verstappen, o quarto, tentava fugir do companheiro Ricciardo, que tinha Hamilton se aproximando pouco a pouco. A partir da volta 33 houve uma bateria de paradas. Räikkönen trocou os pneus ultramacios da largada por um jogo novo de supermacios. Mesmo assim, perdeu o quinto lugar para Hamilton. Na volta 36, Bottas colocou pneus supermacios, voltando ainda em segundo. Em seguida, Vettel trocou pneus dele também por supermacios e retornou 5s de vantagem à frente do finlandês da Mercedes. Verstappen, Ricciardo e Hamilton completavam os cinco primeiros. Na volta 43, Alonso teve de deixar a disputa, abandonando pela segunda vez consecutiva uma prova na temporada. Na frente, Bottas chegou a ficar a menos de 3s de Vettel, mas cometeu um erro e perdeu a chance de passar o alemão. Com a vitória, a terceira da temporada, depois da Austrália e Bahrein, Vettel assumiu a liderança do campeonato, com 121 pontos, 1 a mais do que Lewis Hamilton, que terminou a corrida na quinta posição.

Resultados 

Pos. Piloto Equipe Tempo
Sebastian Vettel Ferrari 1h28n31s377
Valtteri Bottas Mercedes a 7s376
Max Verstappen Red Bull 8s360
Daniel Ricciardo Red Bull 20s892
Lewis Hamilton Mercedes 21s550
Kimi Raikkonen Ferrari 27s184
Nico Hulkenberg Renault 1 volta
Carlos Sainz Jr Renault 1 volta
Esteban Ocon Force India 1 volta
10º Charles Leclerc Sauber 1 volta
11º Pierre Gasly Toro Rosso 1 volta
12º Romain Grosjean Haas 1 volta
13º Kevin Magnussen Haas 1 volta
14º Sergio Perez Force India 1 volta
15º Marcus Ericsson Sauber 2 voltas
16º Stoffel Vandoorne McLaren 2 voltas
17º Sergey Sirotkin Williams 2 voltas
Não completaram
Fernando Alonso McLaren 43-exaustor
Brendon Hartley Toro Rosso 0-colisão
Lance Stroll Williams 0-colisão

 CLASSIFICAÇÃO

Pilotos

Posição Piloto Pontos
Sebastian Vettel 121
Lewis Hamilton 120
Valtteri Bottas 86
Daniel Ricciardo 84
Kimi Raikkonen 68
Max Verstappen 50
Fernando Alonso 32
Nico Hulkenberg 32
Carlos Sainz Jr 24
10º Kevin Magnussen 19
11º Pierre Gasly 18
12º Sergio Perez 17
13º Esteban Ocon 11
14º Charles Leclerc 10
15º Stoffel Vandoorne 8
16º Lance Stroll 4
17º Marcus Ericsson 2
18º Brendon Hartley 1
19º Romain Grosjean 0
20º Sergey Sirotkin 0

 Equipes

Posição Equipe Pontos
Mercedes 206
Ferrari 189
Red Bull 134
Renault 56
McLaren 40
Force India 28
Toro Rosso 19
Haas 19
Sauber 12
10º Williams 4