Brasil 2018

Data –11 de novembro de 2018

Circuito – Autódromo José Carlos Pace – Interlagos

Pista – 4.309 metros

Voltas – 71 – 305, 909 km

Pole – Lewis Hamilton – Mercedes – 1m07s281

Vencedor – Lewis Hamilton – Mercedes

Tempo – 1h27m09s066

Volta mais rápida –  Valtteri Bottas – Mercedes – 65 – 1m10s540 (recorde da pista_

Líderes- Lewis Hamilton (1-18), Max Verstappen (19-35), Daniel Ricciardo (36-39), Max Verstappen (40-43), Lewis Hamilton (44-71)

Qualificação

Lewis Hamilton consolidou a sua condição de recordista da poles positions na temporada de 2018  ao conquistar pela 10ª vez, em 20 corridas, a primeira posição no grid do GP do Brasil. Essa foi também a 81º pole da carreira do piloto inglês e a 100ª da sua equipe, a Mercedes. O piloto inglês, que marcou o tempo de 1m07s281, foi acompanhado na primeira fila pelo rival Sebastian Vettel, com 1m07s374. Valtteri Bottas, também da Mercedes, e Kimi Raikkonen, da Ferrari, formaram a segunda fila.

No início da Q2, quando ainda fazia a sua volta de aquecimento, na entrada da curva 12, Hamilton, de repente, levou o carro pata a esquerda e por pouco não bateu em Sirotkin. O acidente só não se consumou graças ao reflexo dos pilotos que conseguiram desviar a tempo. Na Q3,  quando, com a ameaça da chegada de chuva mais forte, Vettel corria de volta para os boxes, para troca de pneus, foi convocado para subir com seu carro na balança da FIA.  O piloto demonstrou impaciência ao gesticular para os fiscais, e, ao deixar a balança, danificou o equipamento da FIA. Ele também não desligou o motor, o que proporciona resultados mais precisos na pesagem, e saiu sozinho, sem ser empurrados para fora da balança, para evitar qualquer dano, como manda a regra. Os dois pilotos foram investigados e o alemão sofreu multa de 25 mil euros e uma reprimenda, mas manteve a 2ª colocação. Hamilton não foi nem advertido.

Com o título dos pilotos já decidido, tendo Lewis Hamilton como pentacampeão, a corrida no Brasil podia decidir o das Construtoras, em favor da Mercedes, que tinha uma vantagem de 55 pontos sobre a Ferrari. Para levar a decisão para Abu Dhabi, a equipe italiana teria de conseguir uma diferença de no mínimo 13 pontos sobre a concorrente, somados os pontos dos seus dois piloto.  Devidos aos melhores tempos na Q2, Hamilton e Bottas deverão largar com pneus supermacios, que têm mais aderência, enquanto Vettel e Raikkonen saem de macios, os mais duráveis, o que pode significar uma vantagem na corrida.

A sessão de classificação começou com pista seca, mas ameaça de chuva e as primeiras gotas apressaram a saída dos pilotos para a pista. Na Q2 caíram gotas de chuvas em alguns locais, mas não o suficiente para obrigar o uso de pneus intermediários.

Os melhores tempos da Q1 foram registrados logo nos primeiros minutos, na segunda tentativa de cada piloto e os primeiros 5 foram Max Verstappen (1m08s205), Kimi Raikkonen (1m08s452), Lewis Hamilton (1m08s464), Sebastian Vettel (1m08s472) e Valtteri Bottas (1m08s492). A briga nessa fase foi para escapar da degola, o que Ocon e Gasly conseguiram nos minutos finais. Foram eliminados Sainz, Hartley, Alonso, Stroll e Vandoorne.

Na Q2, novamente todos os classificados foram logo para a pista, preocupados com possível chegada da chuva, A Ferrari, já visando a corrida, mandou Vettel e Raikkonen com pneus macios, enquanto que todos os demais usaram os supermacios. Bottas liderou a primeira parte da fase, com 1min07s727. Vettel, mesmo de pneus mais lentos, ficou a apenas 0s049 (1.7S776) E Hamilton ocupou o terceiro posto, 0s068 atrás (1m7s795) do parceiro.

No final, os pilotos da Mercedes e da Red Bull, também puseram pneus macios para a segunda tentativa, mas com chuva mais forte, especialmente entre a Junção e o S do Senna, foi impossível melhorar os tempos. O grande lance dessa etapa foi de Charles Leclerc, que se recusou a atender ao chamado da equipe para os boxes, continuou na pista e, numa volta relâmpago, pulou do 16º para o 8º lugar, tomando o lugar de Kevin Magnussen. Além do piloto da Haas, foram eliminados Perez, Ocon, Hulkenberg e Sirotkin. A fase foi marcada pela quase trombada entre Hamilton e Sirotkin, que colocou o inglês sob investigação.

O ritual se repetiu na Q3, com os líderes indo logo para a pista, com pneus novos para as primeiras tentativas. Pela ordem Raikkonen registrou 1m07s456, Vettel, 1m07s374, Bottas, 1l07s441, Hamilton, 1m07s301, Verstappen, 1m07s778, e Ricciardo, 1m07s780. Na segunda tentativa nenhum deles conseguiu melhorar a marca e as posições se definiram com Hamilton, Vettel, Bottas, Raikkonen, Verstappen, Ricciardo, com Ericsson, Leclerc, Grosjean e Gasly completando o Top 10.

Grid

Daniel Ricciardo, 6º na qualificação sofreu perda de 5 posições, por usar o 6º motor, e Esteban Ocon, 12º,  teve a mesma punição, por troca da caixa de câmbio. Depois das punições, o grid para o GP do Brasil ficou assim:

1 Lewis Hamilton

Mercedes

1m07s281

  2 Sebastian Vettel

Ferrari

1m07s374

3  Valtteri Bottas                Mercedes                1m07s481
  4 Kimi Raikkonen

Ferrari

1m07s456

5 Max Verstappen

Red Bull

1m07s778

  6 Marcus Ericsson

Sauber

1m08s296

7 Charles Leclerc

Sauber

1m08s492

  8 Romain Grosjean

Haas

1m08s517

9 Pierre Gasly

Toro Rosso

1m09s029

  10 Kevin Magnussen

Haas

1m08659

11 Daniel Ricciardo

Red Bull

1m07s780

  12 Sergio Perez

Racing Point

1m08s741

13 Nico Hulkenberg

Renault

1m08s834

  14 Sergey Sirotkin

Williams

1m10s381

15 Carlos Sainz Jr

Renault

1m09s269

  16 Brendon Hartley

Toro Rosso

1m09s280

17 Esteban Ocon

Racing Point

1m08s770

  18 Fernando Alonso

McLaren

1m09s402

19 Lance Stroll

Williams

1m09s441

  20 Stoffel Vandoorne

McLaren

1m09s601

 Corrida

Lewis Hamilton chegou em primeiro lugar e a Mercedes, sua equipe garantiu o 5º título consecutivo das construtoras, no GP do Brasil de 2018, no autódromo de Interlagos. A vitória caiu no colo do piloto inglês na 44ª das 71 voltas, quando Max Verstappen, que liderava a corrida desde a largada, foi tocado pelo retardatário Esteban Ocon, da Racing Point, no S do Senna. O holandês já tinha passado, quando foi atingido por Ocon, rodou e saiu da pista, vendo Hamilton passar para cruzar a linha na liderança com 1h27m09s066.

Os danos sofridos no assoalho impediram que Verstappen pudesse reduzir a diferença para menos de 1 segundo e tirar proveito do desgaste dos pneus médios de Hamilton nas últimas voltas. Ele acabou 1s469atrás de Hamilton, na frente de Kimi Raikkonen, o terceiro no pódio, que ficou 4s764 atrás do líder.

Com a vitória de Hamilton e a 5ª colocação de Valtteri Bottas, a Mercedes somou 35 pontos e totalizou 620 pontos, contra 553 da Ferrari, que fez apenas 23 pontos, 15 de Raikkonen, 3º,  e 8 de Vettel, 6º colocado. Valtteri Bottas, na 65ª, fez a volta mais rápida da corrida, 1m10s540, novo recorde para a pista de Interlagos. Daniel Ricciardo foi destaque da prova, chegando na 4ª posição, depois de ter largado de 11º, para cumprir punição por troca do 6º motor. Charles Leclerc, Kevin Magnussen, Romain Grosjean e Sergio Perez completaram a zona de pontuação.

Na largada, Hamilton, o pole position manteve a posição, enquanto Bottas, no S do Senna, por fora, passou por Vettel para assumir a segunda colocação e manter a posição depois da reação do alemão. Verstappen também ultrapassou Raikkonen, o piloto da Ferrari deu o troco na reta oposta, recuperando o 4º lugar, mas na 3ª volta o holandês consegue passar de novo no S do Senna. Na volta 10, de asa aberta, no S do Senna, Verstappen passa também por Bottas, para ser o segundo e iniciar a caçada ao líder Hamilton. Vettel cometeu um erro na Curva do Lago foi ultrapassado por Raikkonen e a essa altura os cinco primeiros eram Hamilton, Verstappen, Bottas, Raikkonen e Vettel, com Ricciardo chegando ao pelotão da frente, depois de várias ultrapassagens.

No fim da 18º volta, Bottas foi o primeiro dos ponteiros a abrir a rodada de pit stops, trocando os supermacios pelos médios. Hamilton, líder, fez o mesmo na volta seguinte, cedendo a liderança a Verstappen e retornando em sétimo, atrás de Romain Grosjean. Na volta 20, Marcus Ericsson perdeu o controle do carro, rodou, saiu da pista e teve de abandonar a corrida.

Na volta 35, obedecendo ordem da equipe, Vettel cede passagem a Raikkonen, Verstappen vai para o box e ao contrário dos outros pilotos da frente, em vez de colocar os pneus médios, optou pelo macios , para tentar ser mais rápido até o fim da prova. A estratégia funcionou e já na volta 40 ele passou por Hamilton, por fora, na reta oposta, para assumir a liderança.

Na volta 44, aconteceu o incidente que mudou a corrida. No S do Senna, tentando evitar tomar uma volta do então líder, Esteban Ocon praticamente jogou seu carro contra o de Verstappen, que rodou foi para a grama e foi ultrapassado por Hamilton.  Ocon sofreu punição de 10 segundos, mas o prejuízo de Verstappen foi muito maior, pois com problema no assoalho do carro, não pode tirar proveito do desgaste dos pneus médios de Hamilton. Nessa mesma volta, depois de longa perseguição, Raikkonen passou por Bottas, que depois foi ultrapassado também por Ricciardo.

A classificação final da prova foi a seguinte:

 

Pos. Piloto Equipe Tempo Incidentes
Lewis Hamilton Mercedes 1h27s09s066
Max Verstappen Red Bull a 1s469
Kimi Raikkonen Ferrari 4s764
Daniel Ricciardo Red Bull 5s193
Valtteri Bottas Mercedes 22s943
Sebastian Vettel Ferrari 26s997
Charles Leclerc Sauber 44s199
Romain Grosjean Haas 51s230
Kevin Magnussen Haas 52s857
10º Sergio Perez Racing Point 1 volta
11º Brendon Hartley Toro Rosso 1 volta
12º Pierre Gasly Toro Rosso 1 volta
13º Carlos Sainz Jr Renault 1 volta
14º Stoffel Vandoorne McLaren 1 volta
15º Esteban Ocon Racing Point 1 volta
16º Fernando Alonso McLaren 2 voltas
17º Sergey Sirotkin Williams 2 voltas
18º Lance Stroll Williams 2 voltas
Não completaram
Nico Hulkenberg Renault 32-superaquecimeno
Marcus Ericsson Sauber 20-danos de acidente

Classificação

Equipe

1          Mercedes – 620 (campeã)

2          Ferrari – 553

3          Red Bull – 392

4          Renault         – 114

5          Haas – 90

6          McLaren – 62

7          Racing – 48

8          Sauber          – 42

9          Toro Rosso -33

10       Williams – 7

Pilotos

1          Lewis Hamilton   – 383

2          Sebastian Vettel – 302

3          Kimi Räikkönen       – 251

4          Valtteri Bottas   – 237

5          Max Verstappen – 234

6          Daniel Ricciardo – 158

7          Nico Hülkenberg – 69

8          Sergio Pérez – 58

9          Kevin Magnussen – 55

10       Fernando Alonso – 50

11       Esteban Ocon     49

12       Carlos Sainz Jr.    – 45

13       Romain Grosjean – 35

14       Charles Leclerc – 33

15       Pierre Gasly – 29

16       Stoffel Vandoorne – 12

17       Marcus Ericsson – 9

18       Lance Stroll – 6

19       Brendon Hartley – 4

20 Sergey Sirotkin – 1