Bahrein – 2018

 

Data – 8 de abril de 2018

Circuito – Sakhir

Pista – 5.412 metros

Voltas – 57 –  306,208 km

Pole – Sebastian Vettel – Ferrari – 1m27s958

Vencedor  Sebastian Vettel – Ferrari

Tempo – 1h31m01s940

Volta mais rápida –Valtteri Bottas – Mercedes – 22 – 1m33s740

Líderes – Sebastian Vettel (1-17), Valtteri Bottas (18-20), Lewis Hamilton (21-25), Sebastian Vettel (26-57)

Qualificação

Depois de ficar atrás do companheiro nos treinos livres, Sebastian Vettel surpreendeu na última volta da Q3 e conquistou a pole position para o GP do Bahrein 2018. Kimi Raikkonen, que tinha feito o melhor tempo no início da fase decisiva, acabou ficando com a segunda posição no grid. Foi a 52ª pole da carreira de Vettel e a 74ª dobradinha da Ferrari.  A segunda fila teve Valtteri Bottas e Lewis Hamilton. A maior surpresa da qualificação, porém, foi o francês Pierre Gasly, que com uma volta lançada no final garantiu a 6ª posição.

Q1- A Ferrari dominou desde os primeiros minutos do treino. Apesar de usarem pneus macios, Raikkonen e Vettel fizeram os melhores tempos, com boa vantagem para os demais pilotos, a maioria com compostos supermacios que são mais aderentes. Nessa fase, Max Verstappen cometeu um erro na entrada da curva 2, perdeu o controle do carro e foi parar na barreira de pneus, provocando bandeira vermelha por 5 minutos. O holandês não pode continuar na pista e no reinicio do treino, houve uma acirrada disputa pelas vagas finais na Q2. No minuto final, Fernando Alonso, que era o 15º, foi ameaçado por Romain Grosjean, mas o francês cometeu um erro na última curva e não conseguiu a ultrapassagem. Foram eliminados nessa Q1, além de Grosjean, Marcus Ericsson, Sergey Sirotkin, Charles Leclerc e Lance Stroll.

Q2 – A segunda fase da qualificação começou também com as Ferrari na frente. Vettel fez o melhor tempo do fim de semana:1m28s341, e a Raikkonen ficou 0s174 atrás.  Todavia, Lewis Hamilton, que havia sido o 5º na Q1. colocou-se entre os dois e,com pneus macios, que usaria na largada, tomou o segundo lugar de Raikkonen. Fernando Alonso e Stoffel Vandoorne tiveram problemas com o carro e caiaram para 13º e 14º. De novo, a surpresa foi Pierre Gasly, classificado em 9º. Os eliminados foram Brendon Hartley, Sergio Perez, Fernando Alonso, Stoffel Vandoorne e Max Verstappen.

Q3 – Na decisão dos Top 10, a Ferrari continuou a liderar as primeiras tentativas, com Kimi Raikkonen 0s095 à frente de Vettel.  Hamilton ficou 0s096 à frente de Bottas na primeira volta lançada, enquanto Ricciardo ficou em quinto, à frente de Gasly. Na última tentativa, Vettel confirmou a primeira pole position da Ferrari na temporada. Kimi Raikkonen chegou a ser superado por Bottas, mas acabou na frente do compatriota na última volta lançada.

 

Grid

 

1 Sebastian Vettel

Ferrari

1m27s958

2 Kimi Raikkonen

Ferrari

1m28s101

3 Valtteri Botas

Mercedes

1m28s124

4 Daniel Ricciardo

Red Bull

1m28s308

5 Pierre Gasly

Toro Rosso

1m29s329

6 Kevin Magnussen

Haas

1m29358

7 Nico Hulkenberg

Renault

1m29s570

8 Esteban Ocon

Force India

1m29s874

9 Lewis Hamilton

Mercedes

1,m28s220

10 Carlos Sainz Jr

Renault

1m29s986

11 Brendon Hartley

Toro Rosso

1m30s195

12 Sergio Perez

Force India

1m30s156

13 Fernando Alonso

McLaren

1m30s212

14 Stoffel Vandoorne

McLaren

1m30s525

15 Max Verstappen

Red Bull

s/t

16 Romain Grosjean

Haas

1m30s530

17 Marcus Ericsson

Haas

1m31s063

18 Sergey Sirotkin

Williams

1m31s414

19 Charles Leclerc

Sauber

1m31s320

20 Lance Stroll

Williams

1,31s503

  Corrida

Sebastian Vettel fez uma boa largada e manteve a ponta do GP do Bahrein de 2018, no circuito de Sakhir, no dia 8 de abril. Valtteri Bottas aproveitou o lado limpo da pista e passou por Kimi Raikkonen, por fora, na curva 1 e assumiu o segundo lugar. Pierre Gasly, partindo bem do quinto posto, ganhou a posição de Daniel Ricciardo, que teve de abandonar na volta seguinte, com suspeita de falha de elétrica. Lewis Hamilton, 9º no grid, devido à perda de 5 posições, pela troca da caixa de marcha, saiu muito mal e perdeu posição para Fernando Alonso, que saiu da 13ª para a 9ª colocação. Max Verstappen acompanhou a subida do espanhol e ficou atrás do inglês da Mercedes. Pouco antes, Sergio Pérez foi tocado na primeira curva por Brendon Hartley e rodou, mas conseguiu voltar. O incidente causou uma punição de 10s ao neozelandês. Na segunda volta, enquanto Vettel, Bottas e Räikkönen escapavam na frente, Hamilton era pressionado por Verstappen, que colocou seu carro por dentro da disputa da curva 1 para superar o britânico. Todavia, a ousadia custou caro: um toque entre os dois provocou um corte no pneu traseiro esquerdo e fez o holandês deixar a disputa. Pela primeira vez, desde o GP da Itália de 2012, a Red Bull teve seus dois carros fora da pista ao mesmo tempo.  O incidente causou instalação de safety car virtual, quando os 10 primeiros eram Vettel, Bottas, Räikkönen, Gasly, Kevin Magnussen, Esteban Ocon, Nico Hülkenberg, Fernando Alonso e Hamilton. No reinicio, Vettel escapou na ponta, levando Bottas e Räikkönen. Mais atrás, Hamilton, numa bela manobra, passou de uma vez só por Alonso, Hülkenberg e Ocon. Mais à frente, Magnussen tentou tirar o 4º lugar de Gasly, mas piloto da Toro Rosso resistiu ao dinamarquês, que acabou fora da pista.

A partir daí, Hamilton passou a ter um ritmo mais forte e superou com facilidade Magnussen e Gasly, para assumir o quaro lugar. Os primeiros pit stops começaram a partir da volta 12. Pérez, Charles Leclerc, Lance Stroll e Stoffel Vandoorne foram os primeiros a parar. Desses, apenas o belga da McLaren foi colocou pneus macios. Stroll ousou e escolheu o supermacios. Entre os top-10, Alonso foi o primeiro a ir aos boxes. E, diferente do companheiro de time, escolheu os compostos médios, numa indicação de apenas uma parada. Gasly parou na volta 16 e colocou pneus macios para o francês. Na volta19, Vettel fez sua primeira parada, com Raikkonen logo depois e ambos mudaram para os compostos macios. Bottas assumiu a ponta, mas parou na volta seguinte, optando pelos pneus médios. Com as paradas dos líderes, Hamilton assumiu a ponta e a ordem da corrida era a seguinte: Hamilton, Vettel, Bottas, Räikkönen, Gasly, Magnussen, Ericsson, Hülkenberg, Alonso, Vandoorne, Ocon, Pérez, Sainz, Grosjean, Leclerc, Hartley, Stroll e Sirotkin. Com pneus novos, Vettel não demorou para alcançar Hamilton, com pneus desgastados e fazer a ultrapassagem na volta 26. A essa altura, Mercedes decidiu mudar a estratégia. Hamilton parou na volta 27 e mudou para os médios, retornando à pista em quarto – 17s atrás do líder Vettel. Imediatamente após o pit-stop, o inglês começou a virar mais rápido que os adversários constantemente. A primeira volta ele fez em 1min34s126, enquanto Vettel andava em 1min34s953 e Bottas, o segundo, andava em 1min34s6. Mais atrás, a corrida tinha interessante disputa entre Magnussen, Grosjean e Ocon, que liderava o pelotão a partir do oitavo posto. Logo depois – após a parada de Grosjean, Magnussen conseguiu passar Ocon, para assumir o oitavo posto. Gasly, Hülkenberg e Alonso, nessa ordem, corriam à frente desse grupo. Na volta 36, a Ferrari chamou Räikkönen para o pit e a parada foi desastrosa. O carro foi liberado antes do tempo, e Kimi acabou atingindo a perna do mecânico que ajudava na troca do pneu traseiro esquerdo. Com a roda solta, o finlandês teve de parar ao carro no pit-lane, abandonando a prova. O mecânico ferido foi levado de imediato ao centro médico, com suspeita de fraturas na perna esquerda. Na pista, Vettel mantinha a ponta, enquanto Hamilton virava cada vez mais rápido e a diferença entre os dois era de 11s. A classificação na volta 42 era: Vettel, Bottas, Hamilton, Gasly, Magnussen, Hülkenberg, Ericsson, Alonso, Vandoorne, Hartley, Grosjean, Sainz, Ocon, Pérez, Leclerc, Stroll e Sirotkin. Depois do incidente com o carro de Räikkönen, a Ferrari precisou mudar a tática, e optou por manter Vettel sem um segundo pit stop. Assim, com pneus macios mais desgastados, ele teve de tirar tudo nas voltas finais, porque, mesmo sem ameaça de Hamilton, que não conseguiu manter o ritmo forte, era pressionado por Bottas, com quem teve uma intensa disputa antes de cruzar a bandeira quadriculada. .Bottas terminou mesmo em 2º, com Hamilton em 3º. Pierre Gasly colocou a Toro Rosso em 4º, à frente de Kevin Magnussen, Nico Hülkenberg, Fernando Alonso e Stoffel Vandoorne. Marcus Ericsson marcou os dois primeiros pontos da Sauber na nova fase de Alfa Romeo. Esteban Ocon completou o top-10.

 Resultados

Posição Piloto Equipe Tempo Incidentes
Sebastian Vettel Ferrari ‘1h32m01s940
Valtteri Bottas Mercedes a 0s699
Lewis Hamilton Mercedes 6s512
Pierre Gasly Toro Rosso 1m02s234
Kevin Magnussen Haas 1m15s046
Nico Hulkenberg Renault 1m39s024
Fernando Alonso McLaren 1 volta
Stoffel Vandoorne McLaren 1 volta
Marcus Ericsson Sauber 1 volta
10º Esteban Ocon Force India 1 volta
11º’ Carlos Sainz Jr Renault 1 volta
12º Charles Leclerc Sauber 1 volta
13º Romain Grosjean Haas 1 volta
14º Lance Stroll Williams 1 volta
15º Sergei Sirotkin Williams 1 volta
16º Sergio Perez Force India 1 volta
17º Brendon Hartley Toro Rosso 1 volta
Não completaram
Kimi Raikkonen Ferrari  35- oda
Max Verstappen Red Bull  3-colisão
Daniel Ricciardo Red Bull  2-elétrica

 Classificação

A classificação dos pilotos passou a ser esta:

 

Pos Piloro Pontos
‘1 Sebastian Vettel 50
Lewis Hamilton 33
Valtteri Bottas 22
Fernando Alonso 16
Kimi Raikkonen 15
Nico Hulkenberg 14
Daniel Ricciardo 12
Pierre Gasly 12
Kevin Magnussen 10
10º Max Verstappen 8
11º Stoffel Vandoorne 6
12º Marcus Ericsson 2
13º Carlos  Sainz Jr 1
14º Esteban Ocn 1
15º Sergio Perez 0
16º Charles Leclerc 0
17º Brendon Hartley 0
18º Lance Stroll 0
19º Romain Grosjean 0
20º Sergey Sirotkin 0

 

A classificação das equipes passou a ser esta:

 

Pos Piloro Pontos
‘1 Ferrari 65
Mercedes 55
McLaren 22
Red Bull 20
Renault 15
Toro Rosso 12
Haas 10
Sauber 2
Force India 1
10º Williams 0