Alemanha 2019

Data –28 de julho de 2019

Circuito – Hockenheimring

Pista – 4.574 metros

Voltas – 67 – 306,458 km

Pole – Lewis Hamilton – Mercedes – 1m11s767

Vencedor – Max Verstappen – Red Bull

Tempo – 1h44n31s275

Volta mais rápida – Max Verstappen – Red Bull – 61 – 1m16s645

Líderes – Lewis Hamilton (1-29), Max Verstappen (30-64)

Qualificação

Depois de liderarem os três treinos livres, os dois carros da Ferrari tiveram problemas na qualificação e Lewis Hamilton conquistou a pole position para o Grande Prêmio da Alemanha de 2019. Com o tempo de 1m11s767, o piloto inglês obteve a 6ª pole da temporada e a 87ª da carreira. Max Verstappen, da Red Bull, foi o segundo colocado e Valtteri Bottas, o terceiro na qualificação.

Sebastian Vettel não participou de nenhuma fase da qualificação, por um problema no turbo do SF90, que os mecânicos da Ferrari não conseguiram eliminar antes do término da Q1.Chales Leclerc, que tinha sido o segundo na segunda fase da qualificação, não pode voltar para a Q3 devido a falha no sistema de combustível. Vettel largou da 20ª e última posição do grid e Leclerc, da 10ª.

Antes do treino a direção da corrida alertou os pilotos de que os que ultrapassassem a faixa branca pista, o que é muito comum na primeira e últimas curvas da Hockenheim, teriam seus tempos invalidados. A ordem foi obedecida e ninguém teve de ser punido. Em comemoração dos 125 anos de entrada da fábrica nos esportes automobilísticos, o pessoal da Mercedes usou trajes da época, com suspensórios e gravatas. O carro foi todo pintado de prateado.

A Q1 começou com céu nublado, temperatura ambiente de 28 graus e de 45 graus na pista. Como sempre, os pilotos da Williams foram os primeiros a deixarem a pit lane, procurando explorar a pista livre. E na primeira volta lançada, Robert Kubica fez 1m15s182 e George Russel, 1m15s682. Na sequência, Lance Stroll marcou 1m13s393; Lando Norris, 1m13s373; Daniil Kvyat, 1m 13s278, Giovinazzi, 1m13s349 e Kimi Raikkonen liderou momentaneamente, com 1m13s066.

Aos 8 minutos, Max Verstappen cravou 1m12s593 e foi logo superado por Charles Leclerc, com 1m12s229. Lewis Hamilton que só foi para a pista depois de 10 minutos de treino, falhou na primeira tentativa e, com 1m13s842, foi o 16º. Na segunda volta lançada, porém, o inglês se recuperou; fez 1m12s852 e subiu para 3º. Bottas, que abortou a primeira volta, na segunda marcou 1m13s075, ocupando a 4ª posição.

No minuto final, Antonio Giovinazzi e Nico Hulkenberg escaparam da degola e os eliminados foram Lando Norris, Alexander Albon, Robert Kubica e Sebastian Vettel, que só deu uma entrada da pista, não conseguiu dar uma volta lançada e voltou para o box.

Na Q2, com pneus médios, que devem usar na largada, Hamilton e Bottas deixaram os boxes assim que a pista foi reaberta. O inglês fez 1m12s149 e o companheiro marcou 1.12s487. Em seguida, Leclerc fez 1m13s404, na primeira volta, e 1m12s344, na segunda. Verstappen, com macios, marcou 1m12s407. Perez, Magnussen, Kvyat, Ricciardo e Stroll foram eliminados. Hamilton, Leclerc, Gasly, Bottas, Verstappen, Raikkonen, Sainz, Hulkenberg, Sainz e Perez foram os 10 promovidos à última fase da qualificação.

Na Q3, Bottas e Hamilton foram de novo os primeiros a irem para a pista, seguidos de Verstappen, Sainz e Gasly, enquanto Leclerc permanecia na garagem, com os mecânicos em volta do seu carro. Logo na primeira volta lançada, Hamilton conseguiu 1m11s767, que perdurou até final e foi o tempo da pole. Bottas ficou logo atrás, com 1m12a222, até ser superado por Max Verstappen, com 1m12s113.

A 8 minutos do final, Leclerc deixou o assento do seu SF90, sem que os mecânicos resolvessem o problema do sistema de combustível. Hamilton ainda fez mais uma tentativa de melhorar o tempo, mas não teve êxito, assim como Verstappen e Bottas, que continuaram com as mesmas marcas do início. Com esse desfecho, um verdadeiro anticlímax, a sessão de qualificação do GP da Alemanha foi uma das, senão, a menos emocionantes da temporada.

Grid

1 Lewis Hamilton

Mercedes

1m11s767

2 Max Verstappen

Red Bull

1m12s113

3 Valtteri Bottas

Mercedes

1m12s129

4 Pierre Gasly

Red Bull

1m12s180

5 Kimi Raikkonen

Alfa Romeo

1m12s538

6 Romain Grosjean

Haas

1m12s851

7 Carlos Sainz

McLaren

1m12s897

8 Sergio Perez

Racing Point

1m13s065

9 Nico Hulkenberg

Renault

1m13s126

10 Charles Leclerc

Ferrari

1m12s344

11 Antonio Giovinazzi

Alfa Romeo

1m12s786

12 Kevin Magnussen

Haas

1m12s789

13 Daniel Ricciardo

Renault

1m12s799

14 Daniil Kvyat

Toro Rosso

1m13s135

15 Lance Stroll

Racing Point

1m13s450

16 Lando Norris

McLaren

1m13s333

17 Alexander Albon

Toro Rosso

1m13s461

18 George Russel

Williams

1m14s721

19 Robert Kubica

Williams

1m14s839

20 Sebastian Vettel

Ferrari

sem tempo

Corrida

Max Verstappen, da Red Bull, aproveitou dois erros de Lewis Hamilton e da Mercedes para vencer o Grande Prêmio da Alemanha de 2019, com o tempo de 1h44m31s275. O primeiro erro foi cometido por Hamilton, que, depois de rodar e perder o bico do carro atravessou o canteiro de grama para entra na pit lane, o que lhe valeu punição de 5 segundos. No box, surpreendida pela entrada inesperada do piloto, a equipe se embaralhou na escolha e na troca de pneus, fazendo com que Hamilton, que era o líder da prova voltasse em 5º na pista, mas, de fato, devido à punição, sendo o 11º na classificação. Valtteri Bottas, também da Mercedes, não completou a prova, deixando a pista a seis voltas do final, depois de sofrer aquaplanagem e rodar.

Sebastian Vettel foi o destaque de uma corrida marcada pela chuva e pista molhada e intensa troca de posições, chegando em 2º, após largar da última posição, e Daniil Kvyat também surpreendeu, chegando em 3º e conquistando o 2º pódio da história de sua equipe, a Toro Rosso. Verstappen também fez a volta mais rápida, com 1m16s645, na 61ª, acrescentando um ponto extra aos 25 do primeiro lugar.

Com a vitória, o jovem holandês da Red Bull manteve o terceiro lugar da classificação geral, com 162 pontos, à frente de Sebastian Vettel, que chegou a 141. O líder Hamilton aumentou para 41 pontos a vantagem sobre o companheiro Valtteri Bottas, com 225 contra 184.

A corrida começou com todos os pilotos usando pneus de chuva e com o carro de segurança à frente do pelotão durante três voltas de formação, que reduziram de 67 para 64 voltas o percurso total. Na 4ª volta, a largada foi normal, com Hamilton mantendo a ponta, mas Verstappen, 2º no grid, tendo dificuldades para avançar e caindo para o 4º lugar. Com Bottas passando a 2º e Kimi Raikkonen a 3º. Leclerc, que largava em 10, pulou para 6º e Vettel passou a 14º ainda na primeira volta. Na 2ª volta, Verstappen se recuperou a tomou o 3º lugar de Raikkonen e na 3ª, aproveitando a presença do safety car, provocado pela rodada de Sergio Perez, o primeiro a abandonar a pista, todos os pilotos trocam de pneus, passando aos intermediários. Na saída da pit lane, Leclerc e Grosjean quase se tocaram e na apuração do incidente, a punição acabou sendo aplicada à Ferrari, que liberou o seu piloto em condições inseguras.

Na 10ª volta, Vettel, depois de passar por Norris e Stroll, já era 7º e os 10 primeiros, após todas as trocas de pneus, eram Hamilton, com 3s1 sobre Bottas, Verstappen, Leclerc, Hulkenberg, Raikkonen, Vettel, Sainz, Albon e Giovinazzi. Na volta 15, na curva 8, o motor do carro de Daniel Ricciardo fumou e ele teve de abandonar a corrida, causando a imposição de safety virtual. Leclerc foi o único a aproveitar a segurança, para fazer pit stop e colocar um segundo conjunto de pneus intermediários e voltar ainda na 4ª posição. Na volta 20, Sainz rodou em 360 graus, devido a aquaplanagem, mas conseguiu segurar o carro pouco antes da brita e voltou em 14º. Na volta 23, Magnussen é o primeiro a colocar pneus macios e na volta seguinte Vettel faz o mesmo, voltando na 11ª posição. Na 26, Verstappen coloca pneus médios e sai em 4º, atrás de Leclerc e, na 27, Bottas faz o mesmo voltando em 3º. Depois da troca, Verstappen gira em 360 graus e reclama com a equipe dessa “merda de pneus que me deram”. Na volta 29, depois de colocar pneus macios e voltar em 2º, Leclerc roda na curva 8, onde a pista parecia ensaboada, vai parar na caixa de brita e deixa a corrida.

Na volta 30, aconteceram os erros de Hamilton e da Mercedes que definiram o desfecho da corrida. O inglês saiu da pista, bateu na barreira e perdeu o bico do carro, na altura da entrada da pit lane. Sem continuar e completar a volta, como manda o regulamento, ele atravessou o canteiro de grama e foi direto ao box. Surpreendida, a equipe demorou a decidir qual pneu colocar e, quando decidiu, demorou 50 segundos para fazer a troca e colocar o novo bico, jogando o piloto para 5ª posição, que na verdade viria a corresponder a 10ª, pela punição de 5 segundos. Com a queda de Hamilton, Bottas assumiu a ponta, que perdeu para Verstappen já na volta 31.

Na volta 32, metade da prova, os 10 primeiros eram Verstappen, Hulkenberg, Bottas, Albon, Hamilton, Sainz, Raikkonen, Vettel, Gasly e Giovinazzi. Na volta 35, após pagar a punição de 5 segundos, Hamilton sofreu outra, por dirigir muito devagar com o safety car virtual e caiu para 12ª, quando cumpriu a pena, na volta 8. A essa altura, a corrida de Hockenheim tinha uma formação inédita, com pilotos do pelotão intermediário, como Hulkenberg, Kvyat, Stroll e Albon entre os 10 primeiros. Na volta 41, porém, Hulkenberg que era segundo colocado, escapou, parou na brita e deixou a corrida. Verstappen aproveitou o safety car para colocar novo conjunto de pneus intermediários e voltar em 1º.

Na volta 48, durante parada de Verstappen, a F1 teve por instantes uma liderança inédita, com Lance Stroll, em 1º, até ser superado pelo holandês. Na volta 51m Kvyat passa por Stroll e ocupa e 2ª colocação. Na 53, Hamilton gira em 360 graus e cai pata 15. Na 55, Stroll resiste a pressão de Bottas e os cinco primeiros são Verstappen, Kvyat, Stroll, Bottas e Sainz. Na volta 57, Bottas rodou na curva 8, bateu no muro, perdeu a roda dianteira direita e quebrou o bico do carro, tendo de deixar a corrida.

Na volta 60, Vettel passa por Sainz e chega a 4º; na 62, de asa aberta, ultrapassa Stroll, para ser 3º, e na 63 e penúltima volta, sob a vibração da torcida ferrarista, supera Kvyat para ser o 2º no pódio e apontado como o piloto do dia.

Resultados

Depois da corrida, Kimi Raikkonen e Antonio Giovinazzi, que tinham sido 7º e 8º lugares respectivamente, foram punidos com 30 segundos, por irregularidade técnica e classificação final ficou assim:

Posição Piloto Equipe Tempo Incidentes
Max Verstappen Red Bull 1h44m31s275
Sebastian Vettel Ferrari a 7s333
Daniil Kvyat Toro Rosso 8s305
Lance Stroll Racing Point 8s960
Carlos Sainz McLaren 9s583
Alexander Albon Toro Rosso 10s052
Romain Grosjean Haas 16s838
Kevin Magnussen Haas 18s765
Lewis Hamilton Mercedes 19s667
10º Robert Kubica Williams 24s987
11º George Russell Williams 26s404
12º Kimi Raikkonen Alfa Romeo 42s124
13º Antonio Giovinazzi Alfa Romeo 43s849
Não completaram
Pierre Gasly Red Bull 61-colisão
Valtteri Bottas Mercedes 57-acidente
Nico Hulkenberg Renault 39-acidente
Charles Leclerc Ferrari 27-acidente
Lando Norris McLaren 25-potência
Daniel Ricciardo Renault 13-exaustor
Sergio Perez Racing Point 3-acidente

Classificação

Pilotos

Posição Piloto Pontos
Lewis Hamilton 225
Valtteri Bottas 184
Max Verstappen 162
Sebastian Vettel 141
Charles Leclerc 120
Pierre Gasly 55
Carlos Sainz 48
Daniil Kvyat 27
Kimi Raikkonen 25
10º Lando Norris 22
11º Daniel Ricciardo 22
12º Lance Stroll 18
13º Kevin Magnussen 18
14º Nico Hulkenberg 17
15º Alexander Albon 15
16º Sergio Perez 13
17º Romain Grosjean 8
18º Antônio Giovinazzi 1
19º Robert Kubica 1
20º George Russel 0

Equipes

Posição Equipe Pontos
Mercedes 409
Ferrari 261
Red Bull 217
McLaren 70
Toro Rosso 42
Renault 39
Racing Point 31
Haas 26
Alfa Romeo 26
10º Williams 1