2015

A Mercedes domina de novo

O Campeonato da Fórmula 1 de 2015 foi a 66ª temporada da principal categoria do automobilismo mundial, promovido pela Federação Internacional de Automobilismo (FIA).

O campeonato foi disputado por 10 equipes, com a participação de 23 pilotos, em 19 Grandes Prêmios, que começaram no dia 15 de março,em Melbourne, na Austrália, e terminaram em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes, no dia 29 de novembro.  As duas principais novidades do calendário da categoria foram a inclusão do Grande Prêmio do México, na Cidade do México, e a ausência, pela primeira vez em 50 anos, do Grande Prêmio da Alemanha, por falta de condições financeiras do autódromo de Nurburgring, ao qual caberia promover a corrida, no rodízio com Hockenheim.

Lewis Hamilton, da Mercedes, repetiu a façanha do ano anterior e conquistou o seu segundo título seguido, tornando-se tricampeão da F1, no GP dos Estados Unidos, faltando ainda três provas para o fim do campeonato. O piloto inglês também faturou o troféu de poles da FIA, largando da primeira posição em 11 das 19 provas da temporada.  Seu companheiro de equipe, Nico Rosberg, foi o vice-campeão e Sebastian Vettel, da Ferrari, o terceiro colocado.

A Mercedes garantiu o titulo das construtoras com 4 corridas de antecedência, no GP da Rússia, com ampla vantagem sobre a Ferrari, segunda colocada, e a Williams, a terceira.  A Honda que voltou à Fórmula 1, equipando com motor V6 e o Sistema de Recuperação de Energia à McLaren, que rompeu uma relação de 20 anos com a Mercedes. A Lotus trocou os motores da Renault , que usava havia 20 anos, pelos da Mercedes. A equipe Manor substituiu a Marussia, retirando-a da administração judicial em que estava desde no fim de 2014 e registrando-se como Marussia Manor, equipe inglesa e não russa.

Entre os pilotos, Fernando Alonso deixou a Ferrari e voltou à McLaren, a qual tinha deixado em 2007, ocupando a vaga de Kevin Magnssen. Sebastian Vettel , depois de 15 anos e quatro títulos mundiais, trocou a Red Bull pela Ferrari, no lugar de Alonso. A sua vaga na Red Bull foi ocupado pelo jovem russo Daniil Kvyat. A Toro Rosso formou a dupla mais jovem da F1, com o espanhol Carlos Sainz Jr., de 21 anos, e o holandês Max Verstappen, que, com 17 anos, tornou-se o piloto mais novo a iniciar uma temporada da categoria. A Sauber igualmente renovou a sua dupla de pilotos, substituindo Esteban Gutierrez e Adrian Sutil pelo brasileiro Felipe Nasr e o sueco Marcus Ericsson. A Manor, com motor Ferrari, começou o campeonato com o norte-americano Will Stevens e o espanhol Roberto Merhi, que, a partir do GP de Cingapura, se revezou com outro norte-americano, Alessandro Rossi. A nota lamentável do ano com relação aos pilotos foi a morte do francês Jules Bianchi, no dia 17 de julho, sete meses depois do acidente que sofreu no GP do Japão de 2014.

A Mercedes dominou inteiramente o campeonato, desde a primeira corrida, na Austrália, onde fez a dobradinha e livrou uma vantagem de 28 pontos sobre a Ferrari e terminou 30 segundos à frente do terceiro colocado, Sebastian Vettel.  A diferença da equipe alemã só cresceu durante o andamento do campeonato e chegou a 275 pontos no final do campeonato. A Ferrari ameaçou ser mais competitiva e chegou a ganhar três corridas, com Sebastian Vettel, mas não teve forças para contar o poderio da Mercedes.  A Williams, graças à regularidade de Felipe Massa e o ímpeto e arrojo de Valtteri Bottas, voltou a ocupar a terceira posição entre as equipes.

A Red Bull passou quase a temporada inteira queixando-se dos motores fornecidos pela Renault e o dono da fábrica de energéticos que mantém a equipe, Dietrich Mateschitz, ameaçou deixar a categoria, caso não conseguisse um novo fornecedor de motores. Depois de muita troca de acusações, e da negativa da Mercedes, Ferrari e Honda terem recusado pedido da Red Bull, as duas partes chegaram a uma solução de compromisso e a equipe austríaca vai usar em 2016 um motor fabricado pela Renault, mas que levará uma outra marca.

Uma crise idêntica à da Red Bull e Renault viveram a McLaren e a Honda. Desde os testes da pré-temporada, na Espanha, os motores da fábrica japonesa mostraram problemas de confiabilidade e de potência, que provocaram vários abandonos e más colocações de pilotos do quilate de Fernando Alonso. No final do campeonato a equipe deu sinais de progresso, mas o suficiente para melhorar a sua performance. A Manor, ainda em decorrência da herança maldita, começou mal o campeonato, não podendo participar da primeira corrida na Austrália, por falta de computadores, que tinham entrado no leilão dos bens da Marussia. A partir do GP da Malásia, porém, a equipe inglesa se mostrou mais consistente, conseguindo participar e quase sempre terminar todas as corridas.

Entre os pilotos, Lewis Hamilton e Nico Rosberg começaram se alternando nas vitórias, com o inglês vencendo na Austrália, na China e Bahrein (depois de uma surpresa de Vettel na Malásia) e o alemão chegando em primeiro na Espanha e Mônaco. Em seguida, Hamilton venceu no Canadá; Rosberg, na Áustria; Hamilton, na Inglaterra e Vettel , na Hungria. A partir daí, Hamilton ganhou na Bélgica, Itália, Japão, Rússia e garantiu o tricampeonato nos Estados Unidos, numa série que só foi quebrada em Cingapura, com vitória de Sebastian Vettel. Nico Rosberg reagiu e ganhou as três últimas corridas, quando já não tinha mais condições de brigar pelo título, mas podia mostrar a sua capacidade de reação e o que será capaz de fazer na próxima temporada. Sebastian Vettel, com as três vitórias (Malásia, Hungria e Cingapura) deu novo alento à Ferrari e abriu boas perspectivas para a equipe italiana em 2016.

O ano da Fórmula 1 terminou com uma ampla discussão entre equipes e dirigentes sobre motores.  As montadoras mais fortes, Ferrari, Renault e Honda, assim como algumas equipes, querem mudanças no regulamento que lhes permitam pelo menos se igualarem à Mercedes. As equipes menores, com a apoio do presidente da FIA, Jean Todt, e do administrador da F1, Bernie Ecclestone, presidente da FOM, querem motores mais baratos. Todavia, a proposta da FIA e da FOM de abrir concorrência para escolha de um fornecedor alternativo não teve a unanimidade necessária na última reunião da Comissão de Estratégia.

Calendário/Vencedores

Data

País

Circuito

Vencedor

Equipe

Tempo

15/03

Austrália

Melbourne

 Lewis Hamilton Mercedes 1h31m54s067

29/03

Malásia

Sepang

 Sebastian Vettel Ferrari  1h41m05s793

12/04

China

Xangai

 Lewis Hamilton  Mercedes  1h39m42s008

19/04

Bahrein

Sakhir

 Lewis Hamilton  Mercedes  1h35m05s809

10/05

Espanha

Barcelona

 Nico Rosberg  Mercedes  1h41m12s555

24/05

Mônaco

Monte Carlo

 Nico Rosberg  Mercedes  1h39m16s420

07/06

Canadá

Montreal

 Lewis Hamilton  Mercedes  1h31m53s145

21/06

Áustria

Spielberg

 Nico Rosberg  Mercedes  1h49m18s420

05/07

Inglaterra

Silverstone

 Lewis Hamilton  Mercedes  1h31m37s729

26/07

Hungria

Hungaroring

 Sebastian Vettel Ferrari  1h46m09s985

23/08

Bélgica

Spa

 Lewis Hamilton  Mercedes  1h23m40s387

06/09

Itália

Monza

 Lewis Hamilton  Mercedes  1h28m00s688

20/09

Cingapura

Marina Bay

 Sebastian Vettel  Ferrari  2h01m22s118

27/09

Japão

Suzuka

 Lewis Hamilton  Mercedes  1h28m06s508

11/10

Rússia

Sochi

 Lewis Hamilton  Mercedes  1h37s11s024

25/10

EUA

Austin

 Lewis Hamilton  Mercedes  1h50m52s824

01/11

México

Cidade do México

 Nico Rosberg Mercedes 1h42m35s038

15/11

Brasil

Interlagos

 Nico Rosberg Mercedes 1h31m09s090

29/11

Abu Dhabi

Yas Marina

 Nico Rosberg Mercedes 1h38m30s175

Classificação

 Pilotos

 

Posição

Piloto

Equipe

Pontos

Lewis Hamilton Mercedes

381

Nico Rosberg Mercedes

322

Sebastian Vettel Ferrari

278

Kimi Raikkonen Ferrari

150

Valtteri Bottas Williams

136

Felipe Massa Williams

121

Daniil Kvyat Red Bull

95

Daniel Ricciardo Red Bull

92

Sergio Perez Force India

78

10º

Nico Hulkenberg Force India

58

11º

Romain Grosjean Lotus

51

12º

Max Verstappen Toro Rosso

49

13º

Felipe Nasr Sauber

27

14º

Pastor Maldonado Lotus

27

15º

Carlos Sainz Jr Toro Rosso

18

16º

Jenson Button McLaren

16

17º

Fernando Alonso McLaren

11

18º

Marcus Ericsson Sauber

9

19º

Roberto Merhi Manor

0

20º

Alexander Rossi Manor

0

21º

Will Stevens Manor

0

22º

Kevin Magnussen McLaren

0

 Equipes

 

Posição

Equipe

Pontos

Mercedes

703

Ferrari

428

Williams

257

Red Bull

187

Force India

136

Lotus

78

Toro Rosso

67

Sauber

36

McLaren

27

10º

Manor

0

 

Um balanço completo da temporada

Veja o balanço completo da temporada de 2015 da Fórmula 1, preparado pelo site da Rádio e Televisão Portuguesa (RTP):

Vitórias

 

 

Pilotos

Equipes

Lewis Hamilton

10

Mercedes

16

Nico Rosberg

6

Ferrari

3

Sebastian Vettel

3

 

  • Hamilton venceu 10 GPs. É a 6ª melhor marca da historia. No ano passado ele ganhou 11, em 19 GPs. Em 2011, Vettel venceu 11, em 19 provas.em 2002,  Schumacher também teve 11 vitórias, em 17 corridas. O máximo de vitórias numa temporada foi obtido por Schumacher, em 2004, com 13 em 18 provas e por Vettel, em 2013, com 13 vitórias em 19 GPs.
  •  A Mercedes repete a marca recorde de 2014: 16 vitórias em 19 GPs. A equipe alemã obteve 12 dobradinhas, uma  a mais do  que em 2014. É um novo record absoluto. Os 3 melhores resultados são Mercedes em 2015 – 12 Dobradinhas, em 2015: Mercedes, 11, em 2014, e McLaren, com 10, em 1988.

 

Voltas mais rápidas

 

Pilotos

Equipes

Lewis Hamilton

8

Mercedes

13

Nico Rosberg

5

Red Bull

3

Daniel Ricciardo

3

Ferrari

3

Kimi Raikkonen

2

Sebastian Vettel

1

 

  • Lewis Hamilton, com 28, 8 delas em 2015, iguala o número de voltas mais rápidas em corrida de Jim Clark.
  • A Mercedes, com 38 (13 em 2015), iguala a marca de voltas mais rápidas da  Ferrari, de 2008.

Pódios

Pilotos

Equipes

Lewis Hamilton

17

Mercedes

32

Nico Rosberg

15

Ferrari

16

Sebastian Vettel

13

Williams

4

Kimi Raikkonen

3

Red Bull

3

Felipe Massa

2

Lotus

1

Daniel Ricciardo

2

Force India

1

Valtteri Bottas

2

Romain Grosjean

1

Daniil Kvyat

1

Sergio Perez

1

 

  • Nico Rosberg, com 41 pódios, iguala marca de Felipe Massa. Pela 14ª vez, conseguiu o 1º lugar no grid, como Emerson Fittipaldi, Jack Brabham e Graham Hill.
  • Lewis Hamilton, com 87 pódios, 25 pelo 2º lugar, está a 10 pódios de Fernando Alonso, que é o 3º piloto com mais pódios, atrás de Prost, com 106, e Schumacher,  com 155.
  • Kimi Raikkonen tem 90 pódios na carreira, igualando-se aAyrton Senna e com um  a mais do que Sebastian Vettel. Subiu ao 3º lugar pela  30ª vez, recorde absoluto nessa classificação, pois nenhum outro piloto tem mais 3ºs lugares.
  • A Mercedes  tem 94 e 95 pódios ma sua história, contra a marca de 100 pódios da Renault.
  • Hamilton igualou a marca de 17 pódios num mesmo ano, de Schumacher, em 17 corridas, em 2002, e de Vettel, em 19 provas, em 2011,
  • No GP da Itália de 2015, Hamilton completou 16 pódios consecutivos, ficando atrás só de Schumacher, que fez 19 entre 2001 e 2001,
  • A Mercedes estabeleceu recorde absoluto de 32 pódios numa única temporada, superando seus 31 pódios de 2014.
  • A Mercedes conquistou 12 dobradinhas, o que também é um recorde absoluto na F1.

GPs nos pontos

 

Pilotos

Equipes

Lewis Hamilton

18

Mercedes

35

Sebastian Vettel

17

Ferrari

31

Nico Rosberg

17

Williams

27

Kimi Raikkonen

14

Red Bull

27

Felipe Massa

14

Force India

21

Daniil Kvyat

14

Toro Rosso

17

Valtteri Bottas

13

Lotus

15

Daniel Ricciardo

13

Sauber

11

Sergio Perez

12

McLaren

6

Max Verstappen

10

Romain Grosjean

10

Nico Hulkenberg

9

Carlos Sainz Jr

7

Felipe Nasr

6

Marcus Ericsson

5

Pastor Maldonado

5

Jenson Button

4

Fernando Alonso

2


Poles

Pilotos

Equipes

Lewis Hamilton

11

Mercedes

18

Nico Rosberg

7

Ferrari

1

Sebastian Vettel

1

Primeira fila

Pilotos

Equipes

Lewis Hamilton

18

Mercedes

33

Nico Rosberg

15

Ferrari

4

Sebastian Vettel

4

Red Bull

1

Daniel Ricciardo

1

Nico Rosberg, com 22 poles na carreira, 7 do ano, oguala o número de poles de Fernando Alonso.

 

  • Lewis Hamilton, com 11 poles, ganhou o troféu FIA Pole de 2015
    Lewis Hamilton tem 90 primeiras filas (18 este ano), marca só superada por Schumacher, com 116.
  •  A Mercedes tem 35 primeiras filas completas (15, em 2015) e obteve 33 primeiras filas em 36 possíveis.

 

Disputas internas

 

Lotus Romain Grosjean 17 Pastor Maldonado 2
Ferrari Sebastian Vettel 15 Kimi Raikkonen 4
Mercedes Lewis Hamilton 12 Nico Rosberg 7
Red Bull Daniel Ricciardo 12 Daniil Kvyat 7
Force India Nico Hulkenberg 11 Sergio Perez 8
Williams Valtteri Bottas 11 Felipe Massa 8
Manor GP Will Stevens 9 Robert Mheri 4
Manor GP Will Stevens 2 Alexander Rossi 3
Toro Rosso Carlos Sainz Jnr 10 Max Verstappen 9
Sauber Felipe Nasr 10 Marcus Ericsson 9
McLaren Fernando Alonso 10 Jenson Button 8
McLaren Kevin Magnussen 0 Jenson Button 1

Voltas na liderança

 

Pilotos

Km

Voltas

%

Equipes

Km

Voltas

%

Lewis Hamilton

3096

587

51%

Mercedes

4706

936

81%

Nico Rosberg

1610

349

30%

Ferrari

919

186

16%

Sebastian Vettel

866

176

15%

Williams

118

20

2%

Felipe Massa

112

19

2%

Red Bull

39

7

1%

Kimi Raikkonen

52

10

1%

Daniel Ricciardo

39

7

1%

Valtteri Bottas

6

1

0%

Abandonos

 

Pilotos

Equipes

Pastor Maldonado

10

Lotus

17

Fernando Alonso

8

McLaren

15

Romain Grosjean

7

Toro Rosso

12

Carlos Sainz

7

Manor GP

7

Jenson Button

6

Force India

7

Nico Hulkenberg

6

Ferrari

7

Max Verstappen

5

Red Bull

6

Kimi Raikkonen

5

Sauber

6

Will Stevens

4

Williams

5

Roberto Merhi

3

Mercedes

3

Daniel Ricciardo

3

Daniil Kvyat

3

Valtteri Bottas

3

Marcus Ericsson

3

Felipe Nasr

3

Nico Rosberg

2

Felipe Massa

2

Sebastian Vettel

2

Kevin Magnussen

1

Sergio Perez

1

Lewis Hamilton

1

Acidente/ Escapadas – 22

Pilotos

Equipes

Nico Hulkenberg 4 Lotus 7
Pastor Maldonado 4 Force India 4
Romain Grosjean 3 Ferrari 3
Marcus Ericsson 2 McLaren 2
Kimi Raikkonen 2 Sauber 2
Max Verstappen 1 Toro Rosso 2
Fernando Alonso 1 Williams 1
Jenson Button 1 Red Bull 1
Carlos Sainz 1
Valtteri Bottas 1
Daniil Kvyat 1
Sebastian Vettel 1

Problemas mecânicos – 58

Pilotos

Equipes

Fernando Alonso 7 McLaren 12
Pastor Maldonado 6 Lotus 10
Carlos Sainz 6 Toro Rosso 10
Max Verstappen 4 Red Bull 5
Jenson Button 4 Manor GP 4
Romain Grosjean 4 Ferrari 4
Daniel Ricciardo 3 Sauber 4
Kimi Raikkonen 3 Force India 3
Will Stevens 3 Mercedes 3
Felipe Nasr 3 Williams 3
Daniil Kvyat 2
Nico Hulkenberg 2
Nico Rosberg 2
Felipe Massa 2
Robert Mehri 1
Kevin Magnussen 1
Sebastian Vettel 1
Sergio Perez 1
Lewis Hamilton 1
Valtteri Bottas 1
Marcus Ericsson 1

Curiosidades

Os últimos 52 GPs do mundial de F1 foram vencidos por apenas por 4 pilotos. Rosberg, Vettel, Hamilton e Ricciardo. A 2ª melhor sequencia é de 26 GPs, entre o GP de Portugal de 1987 e o GP do Canadá de 1989, dividida por Prost, Mansell, Berger e Senna.

  • Pela 7ª vez, apenas 3 pilotos venceram as corridas de uma temporada, algo que nunca tinha acontecido em anos consecutivos.
  • Nos últimos 2 anos, só 3 equipes venceram os 38 GPs. É a 8ª vez que isso acontece. Em 1976-77,  9 equipes diferentes chegaram à vitória.
  • Nos últimos 2 anos, só 4 pilotos venceram. um novo recorde absoluto na história da F1. Em 1981-82, 15 pilotos diferentes venceram
  • Em 17 das 19 corridas de 2015, quem liderava na 1ª volta, venceu a corrida.
  • A punição final a Max Verstappen, impediu a Toro Rosso de conseguir, pela 1ª vez  na historia, 7 GPs consecutivos nos pontos.

Regulamento

Apesar de não ter havido tantas mudanças como em 2014, uma série de novas regras entrarão em vigor nesta temporada de 2015.

Eis algumas delas:

  • O peso mínimo do carro foi aumentado para702 kg. sem combustível.
  • Novas regras foram introduzidas para melhorar a segurança e também restringir soluções estranhas e feias nos bicos dos carros. Desenhos como o bico de tamanduá ou duplo (como o da Lotus em 2014) não serão mais permitidos
  • Para que os pilotos  possam ser facilmente distinguidos uns dos outros,  enquanto estão na pista, o capacete de cada um deles deve ser apresentado com a mesma pintura em todos os eventos da temporada
  • Cada carro deve levar o número de corrida de seu piloto, conforme publicado pela FIA no início da temporada, ou o número de corrida que foi atribuído ao seu substituto. Esse número deve ser claramente visível a partir da frente do carro e no capacete do piloto e deverá ser usado por esse piloto durante toda a sua carreira na Fórmula 1. A carreira na Fórmula 1 será considerada terminada se ele não participar de um evento por duas temporadas inteiras consecutivas.
  • A classificação dos pilotos nas Q1 e Q2 vai depender do número de carros no grid. Se houver 20 carros, serão eliminados 5 pilotos em cada etapa; Se houver 18, esse número será reduzido para quatro.
  • Depois de iniciada a volta de apresentação,  qualquer piloto que sair da sua posição deve recuperá-la antes de passar a primeira linha do Safety Car (geralmente pouco antes do grid); se não o fizer, deve iniciar a corrida dos boxes e receber stop&go de dez segundos.
    • Um um piloto será obrigado a largar da pit lane se algum membro ou qualquer equipamento de sua equipe permanecer no grid de largada após o sinal de 15 segundos ter sido mostrado.
    • As liberações inseguras, após uma parada no box, serão punidas com uma penalidade de stop&go de dez segundos.Punições adicionais podem ser impostas a critério dos Comissários Desportivos.
    • Os pilotos devem se dirigir lentamente para a pit lane, ao invés de voltar para o grid de largada, em caso de uma suspensão de corrida.
    • Os carros podem descontar uma volta atrás do safety-car; no entanto, o safety-car não será mais obrigado a esperar até todos os pilotos que tem volta para descontar cheguem até a parte de trás do grid antes de sair da pista. O safety-car fica livre para voltar os boxes na volta seguinte, após o último carro com volta para descontar tê-lo ultrapassado
    • Os pilotos que tiverem permissão para começar a corrida, apesar de não terem conseguido tempo inferior a 107% do pole position, deverão largar da última posição do grid, atrás de todos os demais competidores que tiveram penas aplicadas. Se isso se aplicar a mais de um piloto, os seus tempos na sessão final de classificação serão usados  para determinar uma ordem de partida.
    • O combustível não pode ser adicionado nem removido de um carro, após a saída do pit lane para iniciar a primeira volta de reconhecimento.
    • Se o pessoal ou equipamento da equipe permanecer no grid após o sinal de 15 segundos, o piloto do carro em questão deve começar a corrida da pit lane
    • Quando uma corrida for suspensa, os pilotos devem se dirigir lentamente para a pit lane, em vez de voltar para o grid de largada
    • As liberações inseguras serão punidas com stop&go de dez segundos e sanções adicionais poderão ser impostas a critério dos Comissários Desportivos.
    • Para cumprir a penalidade de cinco segundos, o piloto deve entrar no pit lane, parar em sua posição de pit stop durante pelo menos cinco segundos e, em seguida, voltar a participar da corrida. O piloto pode, no entanto, optar por não parar, desde que não realize mais nenhuma pit stop até o final da corrida.  Nesse caso, cinco segundos serão adicionados ao seu  tempo de corrida de decorrido o condutor em questão.
    • Para cumprir a penalidade de 10 segundos, o piloto deverá entrar na pit lane, parar em sua posição de pit stop por dez segundos e, em seguida, voltar à corrida. O piloto pode, no entanto, optar por não parar, desde que não faça mais nenhum pit stop até o final da corrida. Nessa caso,  10 segundos serão adicionados ao seu tempo de corrida. Em ambos os casos acima, o piloto deve cumprir a pena na primeira vez que entre na pit lane.
    • A menos que ele dirija para mais de uma equipe, cada piloto não poderá usar mais de quatro unidades de energia durante a temporada. As punições serão aplicadas cumulativamente com base nos componentes de cada unidade de potência substituídos. As peças de substituição devem ser “semelhantes em design, massa, inércia e função à original”.
      • As punições não passarão para o evento seguinte. Se um piloto não puder cumprir sua punição completa no grid, o restante será transformado numa penalidade de tempo para o Grande Prêmio posterior, na seguinte base:
      • 1 a 5 posições no grid: penalidade de tempo de cinco segundos
        6 a 10 posições no grid: drive-through
        11 a 20 posições no grid: penalidade de stop&go de dez segundos.
      • Essas punições só se referem a mudanças de componentes do motor e não a outras infrações na pista
  • Em uma tentativa de melhorar a segurança, um sistema de Safety Car Virtual foi criado para garantir que os pilotos diminuam suficientemente a velocidade quando bandeiras amarelas duplas sejam necessárias em qualquer seção da pista e os concorrentes ou funcionários possam estar em perigo, mas as circunstâncias não são de molde a justificar o uso do carro de segurança. Quando é dada a ordem para dar início ao processo VSC uma mensagem de  “VSC DISTRIBUÍDO” será exibida no sistema de mensagens oficial e todos os painéis de luzes da FIA exibirão o dístico “VSC”.
  • Durante a vigência do Safety Car Virtual
    • Nenhum carro pode ser conduzido lentamente sem necessidade, de forma irregular ou de maneira que possa ser considerada potencialmente perigosa para os outros pilotos ou qualquer outra pessoa, a qualquer momento, na pista, na entrada dos boxes ou na pit lane. durante o procedimento de VSC está em uso.
    • Nenhum carro pode entrar nos boxes a menos que seja para fins de troca de pneus.
    • Todos os carros concorrentes devem reduzir a velocidade e ficar acima do tempo mínimo estabelecido pela FIA ECU pelo menos uma vez em cada setor de triagem (um setor de triagem é definido como a seção da pista entre cada um dos painéis de luzes da FIA).
    • Todos os carros devem também estar acima deste tempo mínimo quando os painéis de luzes da FIA mudarem para verde. Os comissários podem impor sanções a qualquer piloto que deixar de ficar acima do tempo mínimo conforme exigido.
    • Nenhum motorista pode ultrapassar outro carro na As exceções são: a) Ao entrar nas boxes,  o condutor pode passar outro carro remanescente na pista depois de ter alcançado a primeira linha do safety car. b) Ao deixar os boxes,  o condutor pode ultrapassar ou ser ultrapassado por um outro carro na pista antes de atingir a segunda linha do safety car. c) Na entrada do pit, pit lane ou na saída do pit saída,  o piloto pode ultrapassar outro carro que também esteja em uma dessas três áreas. d) Se qualquer carro desacelera com um problema óbvio.
    • Quando o Diretor de Prova decidir que é seguro terminar o procedimento de VSC, a mensagem “VSC Ending” será exibida no sistema de mensagens oficial e, a qualquer momento entre 10 e 15 segundos mais tarde, “VSC” nos painéis de luz da FIA CHL muda para verde e os pilotos  podem continuar imediatamente corrida. Após 30 segundos as luzes verdes serão extintas.
    • Haverá dois testes de dois dias durante a temporada. Esses testes serão realizados na terça-feira e quarta-feira após os GPs da Espanha e da Áustria. Dois dos quatro dias devem ser reservados para jovens pilotos. Nenhum piloto que competiu em mais de duas corridas do Campeonato Mundial de Fórmula 1 pode participar de tais testes e todos os pilotos devem estar de posse de uma Licença Internacional.

A critério da FIA, e com o pleno conhecimento de todos os concorrentes, a cada competidor também será permitida a realização de dois eventos de demonstração (DE) dos carros. A DE é definida como um evento em que um concorrente participa somente para fins de demonstração e só pode ser realizado entre o final do último evento do campeonato e o final do ano civil. Tais demonstrações não podem exceder a 15 km de distância e apenas pneus fabricados especificamente para esse fim pelo fornecedor nomeado poderão  ser usado.

Participantes

Equipe

Carro

Motor

Pilotos

País

Red Bull/Renault RB11 Renault F1
2014

3
26

Daniel Ricciardo
Daniil Kvyat
Austrália
Rússia
Mercedes F1 W05 Mercedes F1W06

6
44

Nico Rosberg
Lewis Hamilton
Alemanha
Inglaterra
Ferrari SF15-T Ferrari 059/3

7
6

Kimi Raikkonen
Sebastian Vettel
Finlândia
Alemanha
Lotus/Mercedes E23 Renault F1
2015

8
13

Romain Grosjean
Pastor Maldonado
Suíça
Venezuela
McLaren/Honda MP4-30 Honda

14
22

Fernando Alonso
Jenson Button
Espanha
Inglaterra
Sauber/Ferrari C34 Ferrari

9
12

Marcus Ericsson
Felipe Nasr
Suécia
Brasil
Force India/Mercedes VJN08 Mercedes

11
27

Sérgio Perez
Nico Hulkenberg
México
Alemanha
Williams/Mercedes FW37 Mercedes

19
77

Felipe Massa
Valtteri Bottas
Brasil
Finlândia
Toro Rosso/Renault STR9 Renault Energy F1 2014

25
26

Jean-Éric Vergne
Daniil Kvyat
França
Rússia
Caterham CT05 Renault Energy F1
2014

9
10

Marcus Ericsson
Kamui Kobayashi
Suécia
Japão
Marussia MR03 Ferrari 059/3

4
17

Max Chilton
Jules Bianchi
Inglaterra
França
Red Bull Mercedes

Daniil Kvyat

Daniil Kvyat

Daniel Ricciardo

Daniel Ricciardo

Nico Rosberg

Nico Rosberg

Lewis Hamilton

Lewis Hamilton

Ferrari Lotus

Sebastian Vettel

Sebastian Vettel

Kimi Raikkonen

Kimi Raikkonen

Romain Grosjean

Romain Grosjean

Pastor Maldonado

Pastor Maldonado

McLaren Sauber

Fernando Alonso

Fernando Alonso

Jenson Button

Jenson Button

Felipe Nasr

Felipe Nasr

Marcus Ericsson

Marcus Ericsson

Force India Williams

Sergio Pérez

Sergio Pérez

Nico Hulkenberg

Nico Hulkenberg

Valtteri Botts

Valtteri Bottas

Felipe Massa

Felipe Massa

Toro Rosso  Manor

JMax Verstappen

Max Verstappen

Carlos Sainz Jr.

Carlos Sainz Jr.

Motor Racing - Formula One World Championship - Japanese Grand Prix - Preparation Day - Suzuka, Japan

Will Stevens

Roberto Merhi Manor

Roberto Merhi