1993

Novas alterações foram introduzidas no regulamento da Fórmula 1. Foram proibidas as gasolinas especiais; o  pace car passou a ser usado durante as interrupções da prova; a parada de box passou a ser obrigatória; as dimensões dos carros e a largura dos pneus foram reduzidas, os treinos livres foram limitados a 60 minutos e passaram a ser proibidos os testes em pistas onde se realizam as corridas. Alain Prost, correndo pela Williams, conquistou seu terceiro campeonato mundial na Fórmula 1, com 99 pontos. Ayrton Senna, agora com motor Ford na McLaren, pois a Honda deixou a Fórmula 1, foi segundo, com 73 pontos.

A temporada começou com o menor número de participantes em cinco anos, apenas 14 equipes, com 28 carros, entre elas a estreante Sauber. A relação das equipes foi a seguinte: Williams Renault, Tyrrel Yamaha, Benetton Ford, Marlboro McLaren Ford, Footwork Mugen, Lotus Ford, Lotus Ford, Jordan Hart, Larousse Lamborghini, BMS Lola Ferrari, Minardi Ford, Ligier Renault, Ferrari e Sauber.

O cenário da Fórmula 1 mudou radicalmente. Grandes patrocinadores deixaram a categoria; carros mudaram de cor; equipes trocaram de dono. A Mobil, que patrocinava e fornecia combustíveis e lubrificantes para a Benetton, abandonou a Fórmula 1. Foi substituida pela ELF. A McLaren, diante do afastamento da Honda, voltou a usar os propulsores V8 da Ford, que já tinha usado de 66 a 83. A Minardi, de Christian Fittipaldi, mudou de cor: os carros que eram negros, foram pintados de branco, para atender ao patrocinador, a fábrica de ferramentas Beta. Na área administrativa, os 125 Automóveis Clubes, de 106 paises, aprovaram a extinção da FISA e a criação da FIA, sob a presidência de Max Mosley.

Alain Prost

Alain Prost

Apesar da superioridade da Williams, o campeonato de 93 foi mais disputado e emocionante do que se esperava. Isso já ficou evidenciado na primeira corrida, na África do Sul, com Senna liderando as primeiras 23 voltas da corrida e mantendo-se bem perto da Williams no resto da prova, em que foi segundo.

O vencedor foi Alain Prost, que retornava às pistas depois de um ano e meio de afastamento. E Christian Fittipladi marcou pontos, com um honroso quarto lugar, sem parar para troca de pneus, como os demais pilotos. E a perspectivas de maior disputa entre as equipes voltaram a se confirmar em Interlagos, na segunda corrida da temporada. Valendo-se da chuva e da saída de Prost, que na 29ª volta bateu em Fittipaldi e abandonou a corrida, Senna  conseguiu uma inesperada vitória, mesmo tendo de cumprir penalidade de 10 segundos (stop & go), na 24ª volta, por ter feito ultrapassagem proibida sob bandeira amarela. Senna voltou a vencer em Donington, na Inglaterra, no Grande Prêmio da Europa, com uma atuação sensacional. Saiu em quarto lugar e já na primeira volta passou por Schumacher, Prost e Hill, para assumir a liderança e ganhar a corrida com 1´23´´ de vantagem sobre Damon Hill.

A situação do campeonato começou a mudar em Ímola, com Prost voltando a vencer e Senna tendo de abandonar quando era segundo colocado e depois de ter sofrido três pequenos acidentes durante os treinos. Prost ganhou de novo em Barcelona, no Grande Prêmio da Espanha, mas Senna manteve sua invencibilidade em Mônaco, favorecido por problemas de Prost e Schumacher.

O francês começou a perder a corrida quando teve de parar na 12ª volta para fazer o “stop & go”, por ter queimado a largada. No retorno à pista o motor morreu e só voltou a pegar na terceira tentativa, deixando Prost em 22º lugar. Schumacher, que herdou a liderança, parou na 32ª volta, por rompimento das tubulações de fluido da suspensão ativa. Senna  assumiu a liderança e a manteve tranquilamente até o final. A esperança da McLaren de superar as Williams, porém, se esvaneceu a partir da corrida no Canadá. Prost chegou em primeiro, totalizando 47 pontos , e Senna acabou em 18º, passando a segundo na classificação geral, com 42 pontos.  A série de vitórias de Prost continuou na França, Inglaterra e Alemanha. Foi interrompida na Hungria, pela  primeira vitória  de Damon Hill, que venceu também os GPs seguintes na Bélgica e Itália. A essa altura do campeonato, Prost  mantinha a primeira colocação, com 81 pontos, seguido de Hill, com 58, e Senna, com 53.

E o francês conquistou o título por antecipação, com o segundo lugar conseguido no GP de Portugal, vencido pelo alemão Schumacher.

Barrichello não correu as duas últimas provas, dispensado pela Minardi, que vendeu sua vaga para o desconhecido Jean-Marc Gounon. No final da temporada, Alain Prost e Riccardo Patrese se despediram da Fórmula 1, permanecendo em atividade para a temporada de 1994 apenas um campeão, Ayrton Senna, que em outubro anunciou a sua transferência para Williams.

1993 –  Campeonato Mundial de Construtores

Pos.

Equipes

Pts.

Williams

168

McLaren

84

Benetton

72

Ferrari

28

Ligier

23

Lotus

12

Sauber

12

MInardi

07

Footwoek

04

10º

Larousse

03

Jordan

03

1993 – Grandes Prêmios

 
Dia GP Circuito Voltas Vencedor Equipe Tempo
14/03 A. do Sul Kyalami 72 – 306,792 km Alain Prost Williams 1h38m45s082
28/3 Brasil Intrlagos 71 – 307,075 km Ayrton Senna McLaren 1h51m15s485
11/04 Europa Doningto Park 76 – 305,748 km Ayrton Senna McLaren 1h50m46s570
25/04 S. Marino Imola 61 – 307,440 km Alain Prost Williams 1h33m20413
09/05 Espanha Barcelona 65 – 308,555 km Alain Prost Williams 1h32m27s685
23/05 Mônaco Monte  Carlo 78 – 259,584 km Ayrton Senna McLaren 1h52m10s947
13/06 Canadá Montreal 69 – 305,670 km Alain Prost Williams 1h36m41s822
04/07 França Magny-Cours 72 – 306 km Alain Prost Williams 1h38m35s241
11/07 Inglaterra Silvertone 59 – 308,334 km Alain Prost Williams 1h25m38s189
25/07 Alemanha Hockhenheim 45 – 306,675 km Alain Prost Williams 1h18m40s885
15/08 Hungria Hungaroring 77 –  305,536 km Damon Hill Williams 1h47m39s09
29/08 Bélgica Spa 44 – 306,856 km Damon Hill Willims 1h24m32s124
12/09 Itália Monza 53 – 307,400 km Damon Hill Williams 1h17m07s509
26/09 Portugal Estoril 71 – 308,850 km M. Schumacher Benetton 1h32m46s309
24/10 Japão Suzuka 53 – 310,792 km Ayrton Senna McLaren 1h40m27s912
07/11 Australia Adelaide 79 – 298,620 km Ayrton Senna McLaren 1h43m27s476

 

   1993 – Classificação – Pilotos

Pos. Piloto Páis Equipe Pts

Alain Prost Frnça Williams 90

Ayrton Senna Brasil McLaren 73

Damon Hill Inglaterra Williams 69

Michael Schumacher’ Alemanha Benetton 52

 5º

Riccardo Patrese Itália Benetton 20

Jean Alesi França Ferrari 16

Mrtin Brundle Inglaterra Ligier 13

Gerhard Berger Áustria Ferrari 12

Johnny Herbert Inglaterra Lotus 11

10º

Mark Blundell Inglaterra Ligier 10

11º

Michel Andretti EUA McLaren 07
Karl Wendlinger Áustria Sauber 07

13º

Jyrki Jarvilehto Finlândia Sauber 05
Christian Fittipaldi Brasil Minardi 05
  15º Mika Hakkinen Finlândia McLaren 04
Derek Warwic Inglaterra Arrows 04
  17º Philippe Alliot França Larousse 02
Ruben Barrichello Brasil Jordan 02
Fabrizio Barbazza Itália Minardi 02
 20º Alesandro Zanardi Itália Lotus 01
Eric Comas França Larousse 01
Eddie Irvine Inglaterra Jordan 01