1989

Pelo regulamento, na Fórmula 1 não há mais motores turbos. A partir desse ano, e até 1993, só são admitidos os motores atmosféricos, com 3.500 cc; os carros devem ter o peso mínimo de 500 kg e o consumo de combustível é livre, sem reabastecimento. E já no primeiro grande prêmio da temporada a Ferrari, com o piloto inglês Nigel Mansell, venceu no Brasil com o novo modelo 640, que apresentava o revolucionário câmbio de comando eletrônico projetado por John Barnard.

Mas a supremacia continuou com a McLaren que venceu novamente o Campeonato Mundial de Marcas, totalizando 141 pontos, contra 77 da Williams, e tendo os seus dois pilotos nos primeiros lugares da classificação geral. O francês Alain Prost conquista o seu terceiro campeonato (1985,1986,1989), com 76 pontos, e Ayrton Senna termina o campeonato em segundo, com 60 pontos. O campeonato teve a participação de 54 pilotos.

Participaram do campeonato 20 equipes: Malboro McLaren Honda, Tyrrel Ford, Williams Renault, Brabham Judd, Arrows Ford, Lotus Judd, March Judd, Osella Ford, Benetton Ford, Dallara Ford, Minardi Ford, Ligier Ford, Ferrari, Lola Lamborghini, Coloni Ford, Eurobrun Judd, Zakspeed Yamaha, Onyx Ford, Rial Ford e AGS Ford.

Alain Prost

Alain Prost

No GP do Brasil, Senna foi o pole, porém logo teve de abandonar; Mansell disputou a liderança com Patrese e Prost, mas acabou vencendo, com média horária de 186,034 km. Em San Marino, a segunda prova da temporada, Senna fez a pole e venceu de ponta a ponta, com média de 201,939 km/h. O resultado seria repetido nas corridas seguintes, em Mônaco e no México, com Senna fazendo a pole e liderando as corridas de ponta a ponta. Prost ganhou a quinta prova, em Phoenix, nos Estados Unidos, mas na corrida seguinte, o belga Tierry Boutsen interrompeu a série de vitórias da McLaren, chegando em primeiro no GP  do Canadá, em Montreal, numa corrida cheia de alternativas, na qual Prost liderou por uma volta; Senna esteve em primeiro durante 30 voltas; Patrese, durante 31 voltas e Warwick, durante 4 voltas. Mas o domínio da McLaren recomeçou em Silverstone, com vitória de Prost, e na Alemanha, com Ayrton Senna em primeiro. A partir dai, Mansell ganhou na Hungria; Senna foi primeiro na Bélgica; Prost ganhou em Monza; Gerhard Berger em Portugal; Senna voltou a vencer na Espanha.  A decisão do campeonato ficou para a corrida de Suzuka, no Japão. A sete voltas do final, Prost era o primeiro e Senna o segundo.

O brasileiro tentou ultrapassagem  na última chicane da pista. Alain jogou seu carro sobre o de Ayrton, tentando a saída dos dois da corrida, pois se nenhum deles fizesse ponto, o francês seria campeão. Senna saiu gesticulando e, com a ajuda de comissários, recolocou o carro na pista e voltou aos boxes. Trocou o bico do carro e voltou a correr, ultrapassando o italiano Alessandro Nanini na penúltima volta, na mesma chicane, e ganhou a corrida. Mas não chegou a ir ao pódio. Foi desclassificado por ter recebido ajuda dos comissários e ter cortado a chicane, quando foi empurrado. O incidente provocou uma rumorosa disputa de Senna com Jean Marie Balestre e Alain Prost, que continuou e teve desdobramentos no campeonato seguinte.

Na prova final, na Austrália, Boutsen conquistou sua segunda vitória no campeonato, numa corrida tumultuada, interrompida após duas voltas devido a um acidente, reiniciada e suspensa definitivamente na 70ª das 81 voltas, por causa das chuvas. Prost não retornou para a segunda largada e Senna, que fizera a pole e liderava até a 13ª volta, teve de abandonar.

No final do ano ocorreram grandes mudanças nas equipes para a temporada seguinte. Nelson Piquet passou para a Benetton, deixando a Lotus, onde teve duas temporadas péssimas. Alain Prost assinou com a Ferrari e o austríaco Gerhard Berger passou a ser o novo companheiro de Ayrton Senna na McLaren.

   1989 – Classificação – Pilotos

Pos. Piloto Páis Equipe Pts

Alain Prost França McLaren 76

Ayrton Senna Brasil McLaren 60

Riccardo Patrese Itália Williams 40

Nigel Mansell Inglaterra Ferrari 38

 5º

Thierrt Boutsen Bélgica Williams 37

Alessandro Nannini Itália Benetton 32

Gerhard  Berger Áustria Ferrari 21

Nelson Piquet Brasil Lotus 12

Jean Alesi França Tyrrell 08

10º

Derek Warwic Inglaterra Arrows 07

11º

Eddie Cheever EUA Arrows 06
Stefan Joahonsson Suécia Onyx 06
Michele Alboreto Itália Lola 06

14º

Johnny Herbert Inglaterra Tyrrell 05
Pierluigi Martini Itália Minardi 05
  16º Mauricio Gugelmin Brasil March O4
Andrea de Cesaris Itália Dallara 04
Stefano Modena Itália Brabham 04
Alex Caffi Itália Dallara 04
Martin Brundle Inglaterra Brabham 04
  21º Satoro Nakajima Japão Lotus 03
Christin Danner Alemanha Rial 03
  23º Emanuele Pirro Itália Benetton 02
René Arnoux França Ligier 02
Jonathan Palmer Inglaterra Tyrrell 02
26º  Olivier Grouillard França Ligier 01
Gabriele Tarquini Itália AGS 01
Luis Perez-Sala Espanha Minardi 01
Philipe Alliot França Lola

 

1989 – Campeonato Mundial de Construtores

Pos.

Equipes

Pts.

McLaren

141

Williams

77

Ferrari

59

Benetton

39

Tyrrell

16

Lotus

15

Arrows

13

Dallara

08

Brabham

08

10º

Minardi

06

Onyx

06

12º

March

04

13º

Rial

03

Ligier

03

15º

AGS

01

Lola

01

 

1989-  Grandes Prêmios

 
Dia GP Circuito Voltas Vencedor Equipe Tempo
26/03 Brasil Jacarepagua 61  – 306,891 km Nigel Mansell Ferrari 1h38n58s744
23/04 San Marino Ímola 58 –  292,320 km Ayrton Senna McLaren 1h26m51s245
07/05 Mônaco Monte Carlo 77 –  256,256  km Ayrton Senna McLaren 1h53m33s251
28/05 México H. Rodriguez 69  –  305,049 km Ayrton Senna McLaren 1h35m21s431
04/06 EUA Leste Phoenix 75 – 284,850 km Alain Prost McLaren 2h01m33s133
18/06 Canadá Montreal 69 – 302,910 km T. Boutsen Williams 2h01m24s073
09/07 França Le Castellet 80 – 305,040 km Alain Prost McLaren 1h38m29s411
18/07 Inglaterra Silverstone 64 – 305,792 km Alain Prost McLaren 1h19m22s131
30/07 Alemanha Hockenheim 45 – 305,865  km Ayrton Senna McLaren 1h21m43s302
13/08 Hungria Hungaroring 77 – 305,536 km Nigel Mansell Ferrari 1h49m38s650
27/08 Belgica Spa 44 – 305,360 km Ayrton Senna McLaren 1h40m54s196
10/09 Italia Monza 53–  307,400 km Alain Prost McLaren 1h19m27s550
24/09 Portugal Estoril 71– 308,850 km G. Berger Ferrari 1h36m48s546
01/10 Espanha Jerez  73– 307,914 km Ayrton Senna McLaren 1h47m48s264
22/10 Japão Suzuka  53- 310,527 km A. Nannini Benetton 1h35m06s277
05/11 Austrália Adelaide  70 –264,600 km T. Boutsen Williams 2h00m17s421