1987

Nelson Piquet conquistou seu terceiro campeonato na Fórmula 1 (1981,1983,1987), correndo pela Williams Honda, com Nigel Mansell em segundo e Ayrton Senna em terceiro.

A Williams, com Piquet, Mansell e Riccardo Patrese, conquistou o Campeonato Mundial de Construtores, pela décima vez consecutiva.

O ponto do  brasileiro Roberto Moreno, correndo pela AGS Ford,  foi obtido no Grande Prêmio da Austrália, último do campeonato. No final da temporada, Ayrton Senna assinou contrato com a McLaren

Disputaram o campeonato a Marlboro McLaren TAG, Tyrrel Ford, Williams Honda, Brabham BMW, Zakspeed, Lotus Honda, AGS Ford, Arrows Megatron, Benetton Ford, Osella Alfa Romeo, Ninardi Motori Moderni, Ligier Megatron, Ferrari e Lola Ford. Quase todas as equipes apresentaram novos carros já no início da temporada, no Grande Prêmio do Brasil, em Jacarepaguá.

A McLaren apresentou três carros MP4/3; a Tyrrel, três DG 016; a Williams, três FW 11B; a Brabham, três  BT56; a Lotus, três 99T; a Arrows, três A10; a Benetton, três B187; a Ferrari, três F1/87. A Zakspeede começou a temporada com o 861, modelo 86; a AGS mostrou uma versão modificada do modelo 86, o JH22; a March começou com o 87P, com chassis F3000 modificado; a Osella correu com o modelo 86 FA1F e uma versão derivada dele, o FA1G.

A Ligier, que ficou sem a Alfa Romeo, não correu no Brasil e estreou em Ímola com um motor Megatron no JS 29/BC. A Lola, com o LC87/1, também estreou em Ímola, e a Coloni, com o FC /187 só apareceu em Monza.  O motor V6, da Honda, ganhou 11 dos 16 Grandes Prêmios, nove com o FW11B, da Williams, e dois com o 99T da Lotus. O TAG-Porsche ganhou três e o Ferrari V6 a 90º ganhou os outros dois GPs.

Nelson Piquet

Nelson Piquet

Depois de reconsiderar sua decisão de se retirar da Fórmula 1, a Goodyear firmou um acordo com as equipes, em janeiro, e passou a fornecer pneus “ standards” a todas elas. Com isso, acabaram-se os diferentes tipos de borracha disponíveis a cada prova. Cada uma das equipes recebeu 10 jogos de pneus por Grande Prêmio, dos quais só dois jogos podiam ser usados em cada uma das duas sessões de treinos. O Grande Prêmio do Brasil que abriu a temporada em Jacarépagua, no dia 12 de abril, foi vencido pelo francês Alain Prost com a McLaren.

Com um carro inteiramente novo, Prost foi o quinto colocado no grid, atrás de Mansell, Piquet, Senna e Téo Fabi. Beneficiando-se, porém, do superaquecimento dos motores de Piquet e Mansell _  que os obrigou a uma corrida contida e três paradas nos boxes _  e do abandono de Senna e Fabi, Prost garantiu o primeiro lugar, 40 segundos à frente de Piquet. Na corrida seguinte, em San Marino, Senna faz a pole, mas Mansell logo assumiu a ponta e ganhou a corrida, com o brasileiro em segundo e Michele Alboreto em terceiro. Nelson Piquet, que sofrera um acidente no primeiro dia da prova, ferindo-se na perna, não participou dessa corrida. O japonês Satoro Nakajima foi sexto e obteve seu primeiro ponto na categoria.

Nas demais provas, cinco pilotos revezaram-se no primeiro lugar: Prost venceu na Bélgica e Portugal; Senna foi primeiro em Mônaco e nos Estados Unidos; Nigel Mansell ganhou na França, Inglaterra; Austria, Espanha e México; Piquet venceu na Alemanha, Hungria e Itália; Gerhard Berger  foi o vencedor no Japão e na Austrália. Embora tenha vencido seis provas, Mansell acabou superado por Piquet, que chegou em primeiro em apenas três, porque o brasileiro foi mais regular, marcando pontos em 12 das 15 provas das quais participou. Mansell só pontuou em 9 provas. Senna e Piquet fizeram quatro dobradinhas durante a temporada.

A primeira foi Mônaco, com Piquet em segundo; a segunda foi Detroit, também com Senna em primeiro e Piquet em segundo; a terceira na Hungria, com Piquet em primeiro; a quarta na Itália, também com Piquet em primeiro e Senna em segundo. Os dois subiram ao pódio juntos ainda na Alemanha, com Piquet em primeiro e Senna em terceiro lugar, e na Inglaterra, com Piquet em segundo e Senna, em terceiro. Na prova da Austrália, Senna foi desclassificado, depois de terminar em segundo, devido a irregularidade nos condutores de refrigeração dos freios. O Grande Prêmio da Austria teve três largadas, devido a choque múltiplo nas duas primeiras.

   1987 – Classificação – Pilotos

Pos. Piloto Páis Equipe Pts

Nelson Piquet Brasil Williams 73

Nigel Mansell Inglaterra Williams 61

Ayrton Senna Brasil Lotus 57

Alain Prost França McLaren 46

 5º

Gerhard Berger Áustria Ferrari 36

Stefan Johansson Suécia McLaren 30

Michele Alboreto Itália Ferrari 17

Thierry Boutsen Bélgica Benetton 16
Teo Fabri Itália Benetton 16

10º

Eddie Cheever EUA Arrows 08

11º

Jonathan Palmer Inglaterra Tyrrell 07
Satore Nakajima Japão Lotus 07

13º

Riccardo Patrese Itália Williams 06

14º

Andrea de Cesaris Itália Brabham 04
Philippe Streif França Tyrrell 04
  16º Derek Warwic Inglaterra Arrows 03
Philippe Alliot França Lola 03
 18º Martin Brundle Inglaterra Zakspeed 02
 19º Ivan Capelli Itália March 01
René Arnoux França Ligier 01
Roberto Pupo Moreno Brail AGS 01

1987 – Campeonato Mundial de Construtores

Pos.

Equipes

Pts.

Williams

137

McLaren

76

Lotus

64

Ferrari

53

Benetton

28

Tyrrell

11

Arrows

11

Brabham

10

Lola

03

10º

Zakspeed

02

11º

March

01

Ligier

01

AGS

01

 

1987 –  Grandes Prêmios

 
Dia GP Circuito Voltas Vencedor Equipe Tempo
12/04 Brasil Jacarepagua 61  – 306.891 km Alain Prost McLaren 1h39m45s141
03/05 San Marino Ímola 59 – 297,360 km Nigel Mansell Williams 1h31m24076
17/05 Belgica Spa 43– 298,420 km Alain Prost McLaren 1h27m03s217
31/05 Mônaco Monte Carlo 78 – 259,584 km Ayrton Senna Lotus 1h57m54s085
21/06 EUA Leste Detroit 63 – 253,449 km Ayrton Senna Lotus 1h50m16s358
05/07 França Le Castellet 80 – 305,040 km Nigel Mansell Williams 1h37m03s839
12/07 Inglaterra Silverstone 65 – 310,570 km Nigel Mansell Williams 1h19m11s780
26/07 Alemanha Hockenheim 44 – 299,068  km Nelson Piquet Williams 1h21m25s091
08/08 Hungria Hungaroring 76 – 305,064 km Nelson Piquet Williams 1h58m26s793
16/08 Austria Osterreichring 52 –308,984 km Nigel Mansell Williams 1h18m44898
06/09 Italia Monza 50 – 290  km Nelson Piquet Williams 1h14m47s707
20/09 Portugal Estoril 70 – 304,500  km Alain Prost McLaren 1h37m03s906
27/09 Espanha Jerez  72 – 303,696 km Nigel Mansell Williams 1h49m12s692
18/10 México H. Rodriguez  63 –  278,525 km Nigel Mansell Williams 1h26m24s207
01/11 Japão Suzuka  51 –  298,809 km G. Berger Ferrari 1h32m58s072
16/11 Austrália Adelaide  82 – 309.960 km  G. Berger Ferrari 1h52m56s144