1983

Nélson Piquet conquistou o seu segundo campeonato mundial na Fórmula 1, com apenas dois pontos à frente do francês Alain Prost. Ganhou o título correndo pela Brabham-Parmalat, que ficou em terceiro lugar no Campeonato Mundial de Construtores, atrás da Renault e da campeã Ferrari.

Nelson Piquet

Nelson Piquet

Foi a primeira vitória de um motor turbo, tanto no campeonato de pilotos quanto no de marcas. Das 15 provas do campeonato, os turbos só não ganharam três, nos circuitos de rua de Long Beach, Mônaco e Detroit, vencidos pelos Ford-Cosworth.

A temporada de 1983 foi a que teve o menor número de concorrentes, desde 1971, com 15 equipes e 35 pilotos. Participaram Saudia Willimas, Benetton Tyrrel, Brabham Parmalat, Marlboro McLaren, ATS, Lotus JPS, Renault Elf, March, Marlboro Alfa Romeo, Ligier Gitanes, Ferrari, Arrows, Osella, Theodore, Toleman Hart e Spirit.

Émerson Fittipaldi desistiu do sonho de uma equipe brasileira na Fórmula 1, não inscrevendo a Copersucar-Fittipaldi para essa temporada.

O novo regulamento da F1 eliminou nessa temporada o “efeito solo”, o que reduziu a velocidade, mas melhorou o espetáculo, revivendo as demonstrações de técnica dos pilotos e as ultrapassagens emocionantes. Nesse ano passou a ser obrigatória a parada nos boxes, provocando alternativas na classificação e uma atração a mais nas transmissões das corridas pela televisão, com a torcida para se saber qual a equipe seria a mais rápida na troca de pneus e reabastecimento.

Nelson Piquet venceu a primeira prova do campeonato, o Grande Prêmio do Brasil, disputado no autódromo de Jacarépagua, no dia 13 de março,.mas nos sete  GPs seguintes colocou-se entre o 2º e o 4º lugares: foi 2º na França, Mônaco e Inglaterra; 3º na Austria, e 4º na Bélgica e Estados Unidos. No Canadá não pontuou e na Holanda, antepenúltima etapa do campeonato,  devido a um acidente, foi obrigado a abandonar, depois de liderar durante 41 das 72 voltas do circuito. As vitórias em Monza e Brandss Hatch, porém, garantiram o título ao brasileiro. Na África do Sul, última etapa do campeonato, Piquet e Prost ainda lutavam pelo título, mas o brasileiro seria o campeão se Prost não fizesse pelo menos o segundo lugar.

Se isso não acontecesse, mesmo com o quarto lugar , Piquet seria o campeão. O brasileiro fez uma corrida calculada, procurando  não correr riscos, e na 35º das 77 voltas aconteceu o que ele mais esperava: o turbo da Renault RE 40 de Prost estourou e ele foi obrigado a abandonar a prova. Tranquilo, Piquet pode se deixar ultrapassar por Patrese e Lauda e, depois que este abandonou por quebra de motor, por De Cesaris e mesmo assim garantiu o terceiro lugar e o título de campeão.  O Grande Prêmio do Brasil foi uma prova cheia de incidentes: de Cesaris foi desclassificado, por não submeter seu carro à pesagem; Keke Rosberg, porque foi empurrado depois de uma parada no box, e Élio de Angelis porque correu com um motor Ford, embora tivesse se classificado com um Renault Turbo. No Canadá, Sullivan foi  desclassificado, por ter corrido com um carro com peso inferior ao limite mínimo de 540 KG, que vigou até 1987.

1983 – Campeonato Mundial de Construtores

Pos.

Equipes

Pts.

Ferrari

89

Renault

79

Brabham

72

Williams (Ford-36/Honda-2)

38

McLaren

34

Alfa Romeo

18

Tyrrell

12

Lotus (Renault-11/Ford-1)

12

Toleman

10

10º

Arrow

04

11º

Theodore

01

   1983 – Classificação – Pilotos

Pos. Piloto Páis Equipe Pts

Nelson Piquet Brasil Brabham 59

Alain Prost França Renault 57

René Arnoux França Ferrari 49

Patrick Tambay França Ferrari 40

 5º

Keke Rosberg Finlândia Williams 27

John Watson Inglaterra McLaren 22
Eddie Chever EUA Renault 22

Andrea de Cesaris Itália Alfa Romeo 15

Riccardo Patrese Itália Brabham 13

10º

Niki Lauda Austria McLaren 12

11º

Jacques Laffite França Williams 11

12º

Michele Alboreto Itália Brabham 10
Nigel Mansell Inglaterra Lotus 10

14º

Derek Warwick Inglatrra Toleman 09
  15º Marc Surer Suiça Arrows 04
  16º Mauto Baldi Itália Alda Romeo 03
  17º Danny Sullivan EUA Tyrrell 02
Elio de Angelis Itália Lotus 02
  19º Bruno Giacomtti Itália Toleman 01
Johnny Ceccoto Venezuela Theodore 01

 

1983 –  Grandes Prêmios

 
Dia GP Circuito Voltas Vencedor Equipe Tempo
13/03 Brasil Jacarepagua 63  – 316,953 km Nelson Piquet Brabham 1h48m27s731
27/03 EUA – Oeste Long Beach 75 – 245,625 km John Watson McLaren 1h53m34s889
17/04 França Le Castellet 54 –313,740 km Alain Prost Renault 1h34m13s913
01/05 San Marino Ímola 60 – 302,400 km P. Tambay Ferrari 1h37m52s460
15/05 Mônaco Monte Carlo 76 – 251,712 km Keke Roberg Williams 1h56m38s121
22/05 Belgica Spa 40 – 278,620 km Alain Prost Renault 1h27m11s502
05/06 EUA Detroit 60 – 241,380 km M. Alboretto Tyrrell 1h50m53s669
12/06 Canadá Montreal 70 –308,700  km René Arnoux Ferrari 1h48m31s838
16/07 Inglaterra Silverstone 67– 316,173 km Alain Prost Renault 1h24m39s760
07/08 Alemanha Hockenheim 45 – 305,865  km René Arnoux Ferrari 1h27m10s319
14/08 Austria Osterreichring 53 – 314,926 km Alain Prost Renault 1h24m32s745
28/08 Holanda Zandvoort 72 – 306,144 km René Arnoux Ferrari 1h38m41950
11/09 Italia Monza 52 – 301,600  km Nelson Piquet Brabham 1h23m19s880
25/09 Europa Brand Hatch 76 – 319,732 km Nelson Piquet Brabham 1h36m45s865
15/10 A. do Sul Kyalami 77 – 316,008 R. Patrese Brabham 1h33m25708