1970

Resumo do ano

Pela primeira vez na história da Fórmula 1 aconteceu a concessão do título mundial post-mortem. O piloto australiano Jochen Rindt morreu em acidente com sua Lotus, numa curva do autódromo de Monza, durante os treinos para o Grande Prêmio da Itália, quando perdeu o controle da sua Lotus, chocando-se violentamente contra o guard rail.

Mas os 45 pontos que ele tinha acumulado até então não foram superados e ele acabou campeão, mesmo depois de morto. Jackie Ickx foi o vice-campeão, com 40 pontos. O título de Jochen Rindt foi garantido pelo seu companheiro de equipe, o piloto brasileiro, Emerson Fittipaldi, que venceu o Grande Prêmio dos Estados Unidos, última das 13 provas disputadas na temporada.

Essa foi a primeira vitória de Emerson Fittipaldi na Fórmula 1, pilotando a revolucionária Lotus 72 com radiadores laterais e em forma de cunha. A Ferrari lançou o seu flat 12, motor horizontal. A temporada de 70 marcou o início de uma fase brilhante do automobilismo brasileiro no cenário internacional, com a estreia de Emerson Fittipaldi.

Ele fez sua primeira corrida no GP da Inglaterra, em Brandss Hatch, no dia 19 de julho, largando em último lugar, com o Lotus-Ford, e chegando em oitavo, a duas voltas do vencedor. Na segunda participação, na Alemanha, Fittipaldi largou em 13º lugar e terminou em 4º.  Na Austria, saiu em 16º e chegou em 15º e últiimo lugar.

Campeão de 1970, Jochen Rindt

Jochen Rindt

Depois de ficar fora das duas provas seguintes, na Itália e no Canadá, Emerson Fittipaldi, finalmente, subiu ao primeiro lugar do podium, ao ganhar o GP dos Estados Unidos, em Watkins Glen, a 4 de outubro. Era o ponto de partida para uma carreira vitoriosa, que iria motivar as gerações seguintes de pilotos brasileiros e garantir a presença permanente, a partir de então,,do Brasil na Fórmula 1.

Emerson terminou o campeonato em 10º lugar, com 12 pontos. Na última prova, no México, saiu em penúltimo lugar e foi obrigado a abandonar logo na primeira volta.

A classificação do campeonato foi a seguinte:

   1970 – Classificação – Pilotos

Pos. Piloto Páis Equipe Pts

Jochen Rindt Austria Lotus 45

Jacky Ickx Bélgica’ Ferrari 40

Clay Regazzoni Suiça Ferrari 33

Deni Hulme Nova Zelandia McLaren 27

Jackie Stewart Escocia Tyrrell 25

º

Jack Brabham Autrália Brabham 25

Pedro Rodriguez México BRM 23
Chris Amon Nova Zelandia March 23

Jean Pierre Beltoise França Matra 16

10º

Emerson Fittipaldi Brasil Lotus 12

11º

Rolf Stommlen Alemanha Brabham 10

12º

Henri Pescarolo França Matra 08

13º

Graham Hill Inglaterra Lotus 07
Bruce McLaren Nov Zelandia McLaren 06

15º

Mario Andretti EUA March 04
Reine Wisell Suécia Lotus 04
17º Ignazio Giunti Itállia Ferrari 03
John Surtees Inglaterra Surtees 03
19º John Miles Inglaterra BRM 02
Jackie Oliver Inglatrra BRM 02
Johnny Servoz-Gavin França March 02
22º François Cevert França March 01
Peter Gethin Inglaterra McLaren 01
Derek Bell Inglaterra Surtees 01
Dan Gurney EUA McLaren 01

GP do Canadá

Participaram da temporada 43 pilotos.

Uma nova alteração do regulamento aumentou o limite de peso dos carros para 530 kg, mantendo para os motores as regras impostas em 1966: 1.500 cilindradas com compressor ou 3.000 cc sem compressor. Nesse ano, o construtor Ken Tyrrel rompeu o acordo operacional com a Matra, passando a construir seus próprios carros.

Graças às vitórias de Rindt e de Emerson Fittipaldi, a Lotus levantou o título da temporada.

1970 –  Campeonato Mundial de Construtores

Pos.

Equipes

Pts.

Lotus

59

Ferrari

52

March

48

Brabham-Ford

35

McLaren-Ford

35

BRM

23

Matra

23

Surtees

03

McLaren-Alfa-Romeo, De Tomaso, Tyrrel e Belasi não pontuaram.

1970  –  Grandes Prêmios

 
Dia GP Circuito Voltas Vencedor Equipe Tempo
07/03 A.  do Sul Kyalami 80 – 327,520 Jack Brabham Brabham 1h49m34s6
19/04 Espanha Jarama 80 – 306,360  km Jackie Stewart March 2h10m58s2
10/05 Monaco Monte Carlo 80 – 251,600  km Jochen Rindt Lotus 1h54m36s6
07/06 Bélgica Spa 28 – 394,240 km P. Rodriguez BRM 1h38m099
21/06 Holanda Zandvoort 80 – 334,800  km Jochen Rindt Lotus 1h50m43s41
05/07 França C. Ferrand 38 – 306,090 km Jochen Rindt Lotus 1h55m57s
19/07 Inglaterra Brabds Hatch 80 – 341,200 km

Jochen Rindt

Lotus 1h57m02s
02/08 Alemanha Hockenheim 50 –  339,450 km

Jochen Rindt

Lotus 1h42m00s3
18/08 Austria Osterreichring 60 – 354,660 km Jacky Ickx Ferrari 1h42m1732
06/09 Italia Monza 68 – 391  km C.Regazzoni Ferrari 1h39m06s88
20/09 Canada M Tremblant 90 – 299,160  km Jacky Ickx Ferrari 2h21m18s4
04/10 EUA Watkins Glen 108 – 399,600   km E. Fittipaldi Lotus 1h57m32s79
25/10 México C. do Mèxico 65 – 325 km Jacky Ickx Ferrari 1h53m28s36

1970 foi um outro ano de luto para o automobilismo internacional,. Além de Jochn Rindt, morreram Bruce McLaren, num carro de sua fabricação para o circuito Can-Am, e  Pier Courage, no dia 21 de junho, no GP da Holanda, num carro De Tomaso