1968

O campeonato de 1968 começou com as equipes completamente modificadas. Denis “Denny” Clive Hulme trocou a Brabham pela McLaren; Jacky Stewart foi da BRM para a Matra; Jochen Rindt saiu da Cooper e ingressou na Brabham; Ickx se transferiu para a Ferrari.

O campeão foi o inglês Graham Hill, que conquistou seu bicampeonato correndo pela Lotus-Ford. Venceu três dos doze Grandes Prêmios disputados nesse ano. No meio da temporada morreu, aos 32 anos, o piloto escocês Jim Clark, que também corria com a Lotus. O acidente aconteceu no circuíto de Hockenheim, na Alemanha, durante uma corrida de Fórmula 2, antes do início da fase européia da Fórmula 1.

Campeão de 1968, Graham Hill

Campeão de 1968, Graham Hill

Foi um ano trágico para o automobilismo. Além de Jim Clark, Mike Spencer perdeu a vida em treino de Indianápolis; Ludovico Scarfiotti morreu num treino e Jo Schlesser no GP da França. O campeonato começou no circuito de Kyalami, na África do Sul e as Lotus-Ford se mostraram mais adaptadas ao calor, conseguindo os primeiro e segundo lugares.

Jim Clarck foi o vencedor; completou 25 vitórias em GPs e também bateu o recorde de Fangio. Graham Hil foi o segundo colocado. Na Espanha, quatro meses depois, e em  Mônaco, as duas provas seguintes, Graham Hill chegou em primeiro, assumindo a liderança do campeonato.

Na Espanha, quase todos os carros eram novos: a McLaren M7A, Honda RA 301, Cooper BRM T86B, Brabham BT 26, com motor Repco tipo 860. Dos 13 carros que começaram, apenas cinco terminaram a prova. No quarto GP da temporada, em Spa-Francorchamps, na Bélgica, Surtees liderou com folga, mas um problema na suspensão o obrigou a parar.

Hulme e Stewart também tiveram de desistir e Bruce McLaren, que saira em 6º lugar, conseguiu uma vitória inesperada. Nessa prova, a Ferrari usou pela primeira vez os aerofólios suspensos, logo imitados por outras equipes.

No Grande Prêmio de Mônaco, Collin Chapman lançou o novo modelo 49-C da Lotus, revolucionando a aerodinâmica dos carros com o uso de spoilers e carenagem. Já no Grande Prêmio da Bégica, a Ferrari apresentou os primeiros aerofólios.

Vários pilotos se revezaram no primeiro lugar nas demais corridas do campeonato; J.Stewart venceu na Holanda, Alemanha e Estados Unidos; J. Ickx foi primeiro na França; Joe Siffert venceu na Inglaterra e Dennis Hulme foi o vencedor na Itália e Canadá. Mas Hill chegou em primeiro na última prova, no México, e garantiu o primeiro lugar, na classificação final, que foi a seguinte:

   1968 – Classificação – Pilotos

Pos. Piloto Páis Equipe Pts

Graham Hill Inglaterra Lotus 48

Jackie Stewart Escócia Matra 36

Denis Hulme Nova Zelandia McLaren 33

Jacky Icks Bélgica Ferrari 27

Bruce McLaren Nova Zelandia McLaren 22

Pedro Rodriguez México BRM 18

Jô Siffert Suíça Lotus 12
John Surtees Inglaterra Honda 12

Jean Pierre Beltoise França Matra 11

10º

Chri Amon Nova Zelândia Ferrari 10

11º

Jim Clark Escócia Lotus 09

12º

Jochen  Rindt Áustria Brabham 08

13º

Richard Attwood Inglaterra BRM 06
Johnny Servoz-Gavin França Matra 06
Jackie Oliver Inglaterra Lotus 06
Ludovico Scarfiotti Itália Cooper 06
17º Lucien Bianchi Bélgica Cooper 05
Victor “Vic” Henry Elford Inglaterra Cooper 05
19º Brian Redman Inglaterra Cooper 04
Piers Courage Inglaterra BRM 04
21º Dan Gurney EUA McLaren 03
Jo Bonnier Suécia Honda 03
23º Jack Brabham Áustria Brabham 02
Silvio Moser Suíça Brabham 02


Participaram da temporada 43 pilotos; 19 deles não pontuaram.

1968 –  Campeonato Mundial de Construtores

Pos.

Equipes

Pts.

Lotus

62

McLaren

49

Matra-Ford

45

Ferrari

32

BRM

28

Honda

14

Cooper-BRM

14

Brabham-Repco

10

Matra

09

10º

McLaren-BRM

03

Não pontuaram: Cooper-Maserati, Eagle, Lola, Brabham-Climax, LDS e Cooper-Climax.

1968 –  GRANDES   PRÊMIOS

 
Dia GP Circuito Voltas Vencedor Equipe Tempo
01/01 A.  do Sul Kyalami 80 – 327,520 Jim Clark Lotus 1h53m56s6
12/05 Espanha Jarama 90 – 306,360 km Graham Hill Lotus 2h15m02s1
07/05 Monaco Monte Carlo 80 – 251,600  km Graham  Hill Lotus 2h00m32s3
04/06 Bélgica Spa 28 – 394,240  km B. McLaren McLaren 1h40m021
18/06 Holanda Zandvoort 90 –  376,650  km Jackie Stewart Matra 2h46m11s26
02/07 França Rouen 60 – 392,520  km Jacky Ickx Ferrari 2h25m40s9
15/07 Inglaterra Brandss Hatch 80 –  341,200  km Jo Siffert Lotus 2ho1m203
06/08 Alemanha Nurbrurgring 14 – 319,690  km Jackie Stewart Matra 2h19m03s2
10/09 Italia Monza 68 – 391  km Denis Hulme McLaren 1h40m14s8
22/09 Canada M.Tremblant 90 – 299,160 km Denis Hulme McLaren 2h27m11s2
01/10 EUA Watkins Glen 108 – 399,600   km Jackie Stewart Matra 1h59m20s29
22/10 México C. do Mèxico 65 – 325 km Graham Hill Lotus 1h56m43s95