1966

Pela primeira e única vez na história da Fórmula 1, o austríaco Jack Brabham foi campeão pilotando um carro que ele próprio construiu, o Brabham-Repco. Ele venceu quatro dos nove Grandes Prêmios da temporada.

A Brabham-Repco conquistou também o Campeonato Mundial de Marcas e a Fórmula 1 sofreu profundas transformações. As regras foram modificadas, permitindo a ampliação da potência dos motores, passando os simples a ter 3.000 cilindradas e os turbinados 1.500 cilindradas.

O peso minímo dos carros passou a ser de 500 kg, com óleo e água, sem o combustível. Com o objetivo de aproveitar ao máximo a potência dos novos motores, os construtores investiram no desenvolvimento dos carros, predominando a busca de novas alternativas aerodinâmicas. Mas poucas equipes dispunham de motores prontos para o campeonato.

A Ferrari tinha já um 12 cilindros, a BRM experimentava um V 16 que se revelaria pouco confiável; a Brabham recorreu ao V8 com monobloco. Outras equipes usaram o V8 Coventry-Climax da Fórmula 1.500, melhorados. Jackie Stewart venceu o GP de Mônaco, em Montecarlo, com um Coventry-Climax de 2.000 cc.

Campeão de 1966, Jack Brabham

Jack Brabham

No segundo GP do calendário, em Spa-Francochamps, na Bélgica, dos 15 carros na pista, apenas 7 tinham motores de 3.000 cc. Na prova seguinte, em Reims, na França, aconteceu a primeira vitória de um piloto-construtor: Jack Brabham venceu com o Brabham-Repco e com mais três vitórias nas provas seguintes acabou campeão desse ano de transição da Fórmula 1. Contando-se apenas os pontos de cinco das nove provas disputadas, a classificação do campeonato foi esta:

   1966 – Classificação – Pilotos

Pos. Piloto Páis Equipe Pts

Jack Brabham Australia Brabham 42

John Surtees Inglaterra Cooper 28

Jochen Rindt Austria Cooper 22

Denis Hulme Nova Zelandia Brabham 18

Graham Hill Inglaterra BRM 17

Jim Clark Escócia Lotus 16

Jackie Stewart Escócia BRM 14

Mike Parkes EUA Ferrari 12
Lorenzo Bandini Italia Ferrari 12

10º

Lorenzo Scarfiotti Itália Ferrari 09

11º

Richie Ginther EUA Honda 05

12º

Dan Gurney EUA Eagle 04
Mike Spence Inglaterra Lotus 04

14º

Bob Bondurant EUA Eagle 03
Jô Siffert Suíça Cooper 03
Bruce McLaren Nova Zelândia McLaren 03
17º Peter Arundell Inglaterra Brabham 01
Bob Anderson Inglaterra Brabham 01
Jô Bonnier Suécia Cooper 01
John Taylor Inglaterra Brabham 01

GP da Alemanha

1966 –  Campeonato Mundial de Construtores

Pos.

Equipes

Pts.

Brabham

42

Ferrari

31

Cooper-Maserati

30

BRM

22

Lotus-BRM

13

LOtus-Climax

08

Eagle

04

Honda

03

McLaren

02

10º

Brabham-Climax

01

Brabham-BRM

01

McLaren-Serenissima

01

Correram também: Cooper-Ferrari, Eagle-Weslake e Shannon.

John Taylor morreu durante o Grande Prêmio da Alemanha, em Nurburging, no dia 7 de agosto, num acidente com seu Brabham-BRM. Dos 27 carros que largaram só 12 chegaram ao final da corrida, que teve também a participação de carros da Fórmula 2, com classidficação separada e sem contagem de pontos.

1966 –  Grandes Prêmios

 
Dia GP Circuito Voltas Vencedor Equipe Tempo
30/05 Monaco Monte Carlo 100 – 313 km Jackie Stewart BRM 2h33m10s5
13/06 Belgica Spa 28 –  394,240 km John Surtees Ferrari 2h09m11s3
27/06 França Reims 48 – 398,400  km Jack Brabham Brabham 1h40m313
11/07 Inglaterra Brandss Hatch 80 –  341,200  km Jack Brabham Brabham 2h13m13s4
18/07 Holanda Zandvoort 90 – 376,650 km Jack Brabham Brabham 2h20m32s5
01/08 Alemanha Nurbrurgring 15 – 341,580  km Jack Brabham Brabham 2h27m03s
12/09 Italia Monza 68 – 391  km L. Scarfiotti Ferrari 1h47m14s8
03/10 EUA Watkins Glen 108 – 399,600   km Jim Clark Lotus 2h09m40s11
24/10 México C. do Mèxico 65 – 325 km John Surtees Cooper 2h06m35s34