1960

O piloto Jack Brabham conquistou o bicampeonato, correndo com o revolucionário Cooper Climax e como era esperado, pelo seu desenvolvimento tecnológico, a Cooper tornou-se a primeira bicampeã do Campeonato Mundial de Marcas. A partir desse ano, o motor traseiro do Cooper Climax passou a ser copiado por todas as equipes da Fórmula 1. Vinte e sete pilotos conseguiram pontos, sendo 20 oficiais e sete independentes. Jack Brabham venceu seis das dez provas disputadas e _ computados apenas os seis melhores resultados _  fez 43 pontos, contra 34 do segundo colocado, o neozelandês Bruce McLaren. Nesse ano, a contagem de pontos em cada GP foi a seguinte: 1º, 8 pontos; 2º, 6 pontos; 3º, 4 pontos; 4º, 3 pontos; 5º, 2 pontos e 6º, 1 ponto. Esse crritério foi alterado de novo em 1961. Jim Clark e John Surtees fizeram sua estréia na Fórmula 1. Clark se destacou logo na sua primeira corrida, no GP da Holanda, o segundo da temporada. A “Scarab”, equipe norte-americana também fez sua estréia, com os pilotos Lance Reventlow e Chuch Daig.

Campeão de 1960, Jack Brabham

Jack Brabham

No primeiro GP do ano, na Argentina, 14 pilotos se classificaram para o grid de largada, mas só seis chegaram ao final. Stirling Moss fez a pole e a volta mais rápida (1´38” 9), mas  na corrida, em dupla com Trintignant,  terminou em terceiro, atrás de Bruce McLaren, também com Cooper-Climax, e C. Allison, com Ferrari. Moss e Trintingnant não marcaram pontos. Em Mônaco, Moss voltou a fazer a pole e desta vez ganhou a corrida, embora tenha dividido a liderança das 100 voltas com Bonnier (23 voltas) e Brabham (7 voltas). Dos 16 carros que iniciarama a prova, 9 terminaram; 5 abandonaram e 2 não foram classificados. Em Indianápoilis, com a participação de 33 pilotos, dos quais só 17 chegaram ao final, o vencedor foi J. Rathmann.

O predominio de Jackie Brabham começou no quarto GP válido para o campeonato, no circuito de Zandvoort, na Holanda. A partir dai ele ganhou também, consecutivamente, na Bélgica, França, Inglaterra e Portugal. O norte-americano Phil Hill interrompeu a série de vitórias na Itália e Stirling Moss foi o vencedor  na última prova da temporada, em Riverside, nos Estados Unidos.

   1960– Classificação – Pilotos

Pos. Piloto Páis Equipe Pts

Jack Brabham Austrália Cooper 43

Bruce McLaren Nova Zelandia Cooper 34

Stirling Moss Inglaterra Lotus 19

Innes Ireland Inglaterra Lotus 18

Phil Hill EUA Ferrari 16

Wolfgang von Trips Alemanha Ferrari 10
Olivier Gendebien Bélgica Cooper 10

Jim Rathmann EUA Watson 08
Jim Clark Escócia Lotus 08
Richie Ginther EUA Ferrari 08

11º

Tony Brooks Inglaterra Cooper 07

12º

Cliff Allison Inglaterra Ferrari 06
Roger Ward EUA Watson 06
John Surtees Inglaterra Lotus 06

15º

Grahm Hill Inglaterra BRM 04
Jo Bonnier Suécia BRM 04
Willy Mairesse Argentina Ferrari 04
Paul Goldsmith EUA Epperly 04

19º

Carlos Menddieguy Argentina Cooper 03
Henry Taylor Inglaterra Cooper 03
Giulio Cabianca Itália Cooper 03
Don Bronson EUA Phillips 03

23º

Johnny Thomson EUA Lesovsky 02

24º

Lucien Bianchi Belgica Cooper 01
Ron Flochart Escócia Lotus 01
Hans Herrmann Alemanha Porsche 01
Eddie Johnson EUA Trevis 01


Participaram do campeonato mais 59 pilotos, que não pontuaram.

1960 –  Campeonato Mundial de Construtores

Pos.

Equipes

Pts.

Cooper-Climax

48

Lotus

34

Ferrari

26

BRM

08

Cooper-Maserati

03

Cooper-Castellotti

03

Porsche

01

Concorreram também: Watson, Meskowsky, Trevis, Behra, Kurtis Kraft, Scarab, Aston Martin, Epperly, Kuzma, Maserati-, JBW, Vanwall, Christensen e Ewing.

1960 –  Grandes Prêmios

 
Dia GP Circuito Voltas Vencedor Equipe Tempo
07/02 Argentina B. Aires 80 –  312,640 km Buce McLaren Cooper 2h17m49a8
20/05 Monaco Monte Carlo 100 – 313,800 km Stirling Moss Lotus 2h53m45a5
30/05 500 Milha Indianápolis 200 – 804,672 km Jim Rathmnn Watson 3h36m11s36
06/06 Holanda Zandvoor 75 – 313,875 km Jack Brabham Cooper 2h01m47s2
19/06 Belgica Spa 36 –  506,880 km Jack Brabham Cooper 2h21m37s2
03/07 França Reims 50 – 415 km Jack Brabham Cooper 1h57m24s9
16/07 Inglaterra Silverstone 77 – 361,900 km Jack Brabham Cooper 2h04m24s9
14/08 Portugal Porto 55 – 412,500 km Jack Brabham Cooper 2h19m00s03
04/09 Italia Monza 50 – 500 km Phil Hill Ferrari 2h21m09s2
20/11 EUA Riverside 75 – 395,925 km Stirling Moss Lotus 2h28m52s

Foi um outro ano infeliz da Fórmula 1. Alan Stacey e Chris Bristow morreram em acidentes durante o GP da Bélgica, no dia 19 de junho. Harry Schell morreu num treino na Inglaterra. No GP da Holanda, no dia 6 de junho, um espectador morreu depois de ser atingido pelo BRM de Dan Gurney.